A Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN) enviou ao Ministério das Cidades uma carta-proposta em busca de financiamento para obras de drenagem na Zona Sudeste de Teresina, em áreas identificadas como mais vulneráveis a problemas com inundações. Caso os projetos sejam aprovados, serão investidos mais de R$ 60 milhões em ações variadas, como construção de galerias, intervenções em canais, tubulação e urbanização.

A proposta foi elaborada pela secretaria executiva de captação de recursos e monitoramento (Secrem), vinculada à SEMPLAN, para se candidatar a receber recursos através do programa Avançar Cidades – Saneamento, do Ministério das Cidades. Se os projetos forem pré-aprovados pelo governo federal, passará por um novo processo de avaliação junto à Caixa Federal e, após nova aprovação, poderá ser aberto o processo de licitação para execução das obras.

Estes projetos são frutos do Plano Diretor de drenagem de Teresina, que identificou 70 sub-bacias no território da cidade, das quais oito foram consideradas mais críticas. Depois disso, foi necessária a elaboração dos projetos para determinar a intervenções necessárias e, assim, combater os problemas com inundações. “O trabalho da prefeitura começou lá atrás com a conclusão do Plano Diretor de drenagem. Depois a prefeitura conseguiu um aporte de R$ 16 milhões do Governo Federal para elaborar o projeto dessas áreas mais emergenciais, que agora estão sendo submetidos para o Ministério das Cidades”, explica José Alberto Guimarães, assessor de coordenação da Secrem.

Das oito áreas emergenciais, duas já tiveram os recursos pré-aprovados anteriormente, ambas na zona sul: uma na região do bairro Portal da Alegria, e outra na região dos bairros São Pedro, Tabuleta e Redenção. Os projetos em análise no Ministério das Cidades atualmente envolvem outras duas sub-bacias, estas na região Sudeste: uma na região dos bairros Itararé, Extrema, Beira Rio, Tancredo Neves e Comprida, e outra área nos bairros Parque Ideal, Novo Horizonte e Redonda.

“Estas duas sub-bacias na Zona Sudeste apresentam a maior densidade populacional, onde a comunidade está mais exposta há problemas com inundações e outros problemas decorrentes das chuvas. Estes investimentos buscam corrigir estes problemas”, finaliza José Alberto.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).