Uma comitiva do Banco Mundial, liderada pelo diretor de Infraestrutura e Desenvolvimento Sustentável para o Brasil, Paul Procee, visitou na manhã desta segunda-feira (19) diversas obras e locais de futura intervenção do Programa Lagoas do Norte. Durante a visita, o representante do banco elogiou o andamento do Programa e os benefícios gerados para a cidade através dele.

O itinerário da visita contou com obras finalizadas e em andamento do Programa. A comitiva conheceu pontos como a Praça dos Orixás, homenagem às comunidades de terreiro da zona Norte, e também o Canal do Matadouro, que melhorou a urbanização e a drenagem das águas nos seus arredores. Os representantes do Banco Mundial também conheceram as obras do Residencial Parque Brasil, iniciadas no fim de setembro e com previsão de entrega para o primeiro semestre de 2020, e do Parque Lagoa do Mocambinho, que está em reta final e deve ser entregue ainda esse ano. Também foi visitada a região conhecida como “Inferninho”, entre as lagoas da Piçarreira e dos Oleiros, que passarão por obras de urbanização.

“São obras muito importantes para a cidade. As que já foram concluídas já mostram o impacto positivo que tiveram, tanto na qualidade de vida como na melhoria do ambiente urbano de Teresina. Estamos ainda com alguns investimentos a serem feitos e com a equipe de Teresina vamos priorizar essas obras e tentar realmente levar esses benefícios para mais pessoas. Fomos no Inferninho hoje pela manhã e vemos que ainda tem muita coisa a ser feita, mas acho que estamos no caminho certo e se o prefeito e a prefeitura continuarem empenhados do jeito que estão a gente consegue levar esse projeto a um grande final”, comentou Paul.

O diretor do Banco Mundial também ressaltou os benefícios a longo prazo que o Programa trará para a região e para a cidade como um todo. Segundo ele, o Lagoas do Norte atua diretamente em duas áreas que contribuem para o desenvolvimento da capital piauiense com sustentabilidade.

“Para nós são duas coisas extremamente importantes, o ganho social e o ganho ambiental. Ambos são muito importantes para a sustentabilidade e o crescimento. Uma cidade mais bonita, mais social, é uma cidade que se desenvolve mais, tem uma economia melhor, e acho que isso são benefícios indiretos que virão com o programa”, completou.

“Nós ficamos muito felizes com o reconhecimento do Banco Mundial do trabalho que estamos fazendo aqui. Mesmo ainda em andamento, nestas visitas nós vemos as melhorias que já são sentidas pela população, que se beneficia diretamente com a urbanização, áreas de lazer e com a drenagem, tudo levando a mais qualidade de vida para os moradores da área de atuação do programa”, concluiu Márcio Sampaio, diretor geral do PLN.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).