O programa Agenda Teresina 2030, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação, integrou o Fórum “Enfrentando o viés de gênero”, organizado pelo Fórum Global de Liderança Feminina, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro neste final de semana. A coordenadora Flávia Maia foi convidada para mediar o painel de desenvolvimento sustentável e equidade de gênero

O evento fez parte do encerramento do curso da Rede de Liderança Feminina da Universidade de Columbia, do qual Flávia fez parte. O objetivo do Fórum é entender os impactos do viés de gênero em diferentes dinâmicas sociais, focando especialmente na educação, tecnologia e desenvolvimento sustentável. Questões de gênero estão intrínsecas, muitas vezes de forma quase imperceptível, nos ambientes de trabalho e na vida em geral, o que leva a um baixo número de mulheres em posição de liderança.

“As mulheres estão entre os grupos mais afetados pelos modos de vida não-sustentáveis. 70% da população vivendo em condição de pobreza no mundo é composta de mulheres e meninas, e a pobreza tem um efeito multiplicador sobre as vulnerabilidades, tornando-as mais suscetíveis a doenças, gravidez na adolescência, evasão escolar, entre outros problemas”, afirma Flávia.

Flávia Maia foi uma das 20 brasileiras escolhidas para participar da primeira turma do programa Columbia Women’s Leadership Network in Brazil, da Universidade de Columbia, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. O Columbia Global Centers é um treinamento dedicado à gestão de pessoas no serviço público, que passa pelo aperfeiçoamento técnico, discussão de temas estratégicos e construção de redes, reunindo profissionais das diversas áreas da administração pública com perfil de liderança.

Agenda 2030

A Prefeitura de Teresina, ainda em 2015, foi uma das primeiras do país a estabelecer um departamento específico para buscar o cumprimento dos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável estabelecidos pela ONU para o ano de 2030. Foi assim que surgiu a Agenda Teresina 2030.

Entre as ações concluídas ou em andamento, o objetivo da construção de uma cidade e comunidades sustentáveis tem tido mais relevância, com 23,8% das ações. Um exemplo de medida tomada neste sentido é a revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT) que visa modificar a ocupação da capital piauiense, favorecendo a concentração de pessoas em zonas estruturadas e o uso do transporte público.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).