Técnicos da Agenda Teresina 2030 e da Superintendência de Trânsito, acompanhados do Prefeito Firmino Filho, apresentaram na quinta-feira (13), no salão nobre da Prefeitura de Teresina, o sistema de transporte público da cidade para uma comitiva formada por representantes da Agência Francesa de Desenvolvimento e de duas ONGs especializadas em mobilidade sustentável. A visita faz parte da implementação do Observatório de Mobilidade Urbana, projeto teresinense que é financiado pela AFD e visa trazer mais transparência e eficiência para o transporte público da capital piauiense.

A AFD foi representada pela diretora Nathalie Yannic. Além dela, estiveram presentes Patricia Caldeiron, da ONG Despacio, e Clarrise Cunha Linke, do Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP), que irão prestar consultoria nesta fase do projeto. A apresentação marca o início dos trabalhos para implementação do observatório, superada a fase de discussões e planejamento. A equipe irá discutir detalhes do termo de referência para posterior licitação para tirar o projeto do papel. A iniciativa busca modernizar a gestão do transporte público em Teresina.

“É uma parceria que busca novos conhecimentos sobre mobilidade urbana para que nós possamos evoluir no enfrentamento dos desafios que estamos vivendo. A AFD tem um compromisso com a redução dos gases poluentes e a mudança do modelo de mobilidade urbana tem um papel importante nesse enfrentamento. Não tenho a menor dúvida que ao longo do tempo esses nossos contatos com essas entidades internacionais vão propiciar novos investimentos e tecnologias para que Teresina tenha acesso ao que está acontecendo no resto do mundo”, disse o prefeito Firmino Filho.

O Observatório da Mobilidade será uma plataforma que, utilizando a mesma tecnologia de encriptação de dados que as bitcoins, conhecida como Blockchain, irá gerar e disponibilizar indicadores do transporte público, como horários, atrasos, tempo de viagem, número de passageiros, etc. Assim, a ideia é que o sistema se torne mais transparente e eficiente.

“A gente teve antes uma fase de montagem de como seria e agora estamos com a consultoria para começar a implementar. É uma cooperação com a prefeitura para melhorar a gestão da operação do transporte público. Tivemos investimentos em infraestrutura, com a construção dos terminais, corredores, pontes e avenidas. Agora a gente quer melhorar a capacitação técnica da prefeitura, com mais qualidade na gestão”, explica a coordenadora da Agenda Teresina 2030, Gabriela Uchôa.

O projeto foi um dos 16 escolhidos entre dezenas de iniciativas espalhadas pela América Latina para receber um financiamento de 500 mil euros da AFD. No Brasil, apenas Teresina e Santos foram escolhidas pelo Programa Euroclima + para receber esta verba. Após a seleção, os técnicos da Prefeitura de Teresina elaboraram o planejamento para implementação do projeto, que começa na prática agora, com o apoio das consultorias contratadas pela Agência Francesa.

“Essa é uma missão de começo de trabalho, avaliando os termos de referência que foram montados, o que será preciso contratar, etc. Vamos revisar indicadores, formas de coletas de dados que podem ajudar na melhora da operação, no diálogo com a população, entre outras coisas. Então estamos trazendo um apoio técnico para que Teresina possa avançar com essa agenda, finaliza Clarisse Cunha Linke, do ITDP.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).