A Agenda Teresina 2030 encerrou nesta terça-feira (18) a capacitação de frente de dados com as secretarias da Prefeitura de Teresina. A iniciativa, que tem participação do Programa das Nações Unidas pelo Desenvolvimento (PNUD), tem como objetivo fazer um governo aberto, com os dados das secretarias alinhados aos indicadores e metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela ONU disponibilizados para a população através de plataformas digitais, tornando a gestão municipal mais transparente.

A proposta é para que em 2019 seja criada uma plataforma online para a inserção de dados pelas secretarias, a partir das taxas de indicadores como natalidade, mortalidade, população coberta por vacinação, nível de escolaridade, dentre outras, que estarão alinhadas as metas dos ODS. A ideia é que seja um portal interativo, que disponibilizará a visualização e download dos dados abertos do município para a população. O georreferenciamento, com os dados disponibilizados em forma de mapa, também será realizado e inserido na plataforma Carto.

“Tivemos gestores de todas as secretarias municipais presentes, traçando metas e objetivos para divulgação desses dados através dos avanços do município. Alinhamos e fizemos atividades também com os indicadores. Cada indicador vai ser eleito pela secretaria responsável, que vai saber qual ODS que se encaixa mais com sua demanda. Com esse alinhamento aos ODS, conseguiremos gerar banco de dados e colocar em formato aberto para a população de Teresina, buscando sempre maior transparência para a gestão municipal”, destacou Andressa Ívinna de Araújo, organizadora da capacitação e colaboradora da Agenda Teresina 2030.

“Toda e qualquer capacitação que gera diálogo interno em uma prefeitura municipal, que analisa como suas ações contribuem e monitoram os ODS, em uma profundidade de conteúdo que vi aqui, é muito positiva e é uma experiência que deve ser replicada em outras prefeituras. Temos todo um conjunto de trabalho direcionado para transparência, que para a gente é uma condição para a melhoria de gestão e para engajamento da sociedade civil. Toda a Agenda 2030 foi construída com essa ideia, de assumir compromissos, direcionar políticas e projetos e também monitorar e prestar contas, com a participação dos diversos setores da sociedade. Quanto mais ações deste tipo, melhor”, concluiu Ieva Lazareviciute, Assessora de Desenvolvimento Territorial do PNUD.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).