O Teresina Agenda 2015, Plano de Desenvolvimento Sustentável para a cidade de Teresina, nasceu de uma iniciativa da Prefeitura de Teresina que, preocupada com o planejamento, o meio ambiente e o processo de desenvolvimento urbano, econômico e social, mobilizou a sociedade para discutir e traçar um rumo para o futuro, elaborando, dessa forma, sua Agenda 21. O processo de elaboração se deu no período de agosto/2001 (lançamento no I Congresso da Cidade) a agosto de 2002 (entrega do documento final no II Congresso da Cidade). Foram estudados 17 temas relevantes para o desenvolvimento da cidade, levando-se em consideração as potencialidades, tendências atuais e sua vocação.

 

Concluído, o documento foi submetido à aprovação pela Câmara Municipal que instituiu o Plano de Desenvolvimento Sustentável de Teresina como Plano Diretor da Cidade. Em maio de 2003 foi constituído um grupo especial de trabalho com a atribuição de acompanhar e promover as articulações necessárias para a implementação das propostas contidas no Plano. O grupo composto de seis técnicos, concentrou seus esforços, num primeiro momento, na divulgação do Plano e na mobilização dos diversos atores públicos e privados para consolidar uma consciência de que só com a participação de todos é possível executar/ cumprir a Agenda 2015 de Teresina.

 

O Plano é um instrumento técnico-político dinâmico e um marco de referência tanto para a administração pública como para a sociedade civil no processo de desenvolvimento de Teresina, criando a possibilidade de uma permanente reflexão sobre aquilo que se quer para a cidade.
É neste conceito que está referenciado o trabalho de acompanhamento e implementação do Teresina Agenda 2015, estabelecendo uma sistemática de trabalho focada no planejamento, na avaliação e na revisão.

 

O processo de acompanhamento e implementação tem como linhas de trabalho:
1. Acompanhamento das ações inerentes à política municipal – projetos e ações desenvolvidas pela PMT e que foram referendadas pela Agenda 2015 com a proposta de ampliação e continuidade;

2. Acompanhamento de projetos e ações priorizadas pelos órgãos da administração municipal, para execução em 2003/2004;

3. Planejamento das ações municipais á luz das propostas contidas no Plano e da dinâmica de crescimento do município, estabelecendo prioridades, discutindo alternativas, detalhando os projetos e ações;

4. Avaliação – analisar, com base em indicadores, o que foi executado e o que não pôde ser feito e por que, identificar as pesquisas e estudos necessários para a formulação de novas propostas e correções de rumo;
5. Revisão – organizar a realização III Congresso da Cidade em agosto de 2006 quando serão estabelecidas novas metas. O Plano de Desenvolvimento Sustentável de Teresina estabelece que deverão ser realizadas reuniões periódicas do Conselho Estratégico da Cidade para a avaliação da implementação das propostas e revisão completa, utilizando metodologia atualizada.

 

TERESINA QUE TEMOS

TERESINA QUE QUEREMOS

TERESINA QUE FAREMOS

O PROCESSO

ENTIDADES PARTICIPANTES

CONSELHO ESTRTÉGICO DE TERESINA

 

 

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).