SEMPLAN – Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação
Teresina, 15 de Dezembro de 2017

Você está em » Notícias

Agenda 2030: experiência de Teresina é discutida em São Paulo

30/11/2017 - 12h11

A experiência de Teresina em dados abertos foi discutida no II Encontro Brasileiro de Governo Aberto, realizado nos dias 28 e 29 de novembro em São Paulo. As metodologias e os processos participativo da capital piauiense serão disponibilizados para que os municípios que desejam adotar as estratégias de governo aberto.

 

“A nossa experiência foi vista como inovadora e de alto impacto. Tivemos várias experiências de participação este ano onde pudemos usar as tecnologias digitais, o que mostra que é possível abrir ainda mais os processos de decisão, tornando o governo ainda mais transparente. Em São Paulo, mais do que conhecer novas experiências, pudemos mostrar a nossa e levá-la para cidades que queriam reaplicá-la”, explica a assessora de coordenação de Planejamento Urbano da Prefeitura de Teresina, arquiteta Flávia Maia. Entre as experiências, estão a elaboração do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT) e a Hackathon.

 

As duas experiências e a Plataforma Agenda 2030 foram apresentados à assistente do projeto de implementação da Agenda 2030 do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Amanda Barroso Lima, e à representante da Agenda Pública, Laila Belix.

 

“Gostaríamos de trazer para o II Encontro Brasileiro de Governo Aberto iniciativas que estivessem fora do eixo Rio-São Paulo e a experiência da Agenda 2030 de Teresina nos pareceu inovadora e de alto impacto. Pensamos que representa bem os desafios e oportunidades no Nordeste brasileiro. Experiências de participação com tecnologias digitais como a hackaton e o plano diretor participativo surpreenderam o público e mostraram o que é possível fazer com dados e processos abertos”, disse Laila Belix.

 

O processo de elaboração do PDOT vem sendo construído junto com a população. Em abril, foi lançado o Teresina Participativa, fórum presencial que deu o pontapé inicial para que a administração municipal ouvisse as demandas da sociedade. Em seguida, através do aplicativo Colab.re, a população respondeu a um questionário interativo sobre a cidade que se deseja para os próximos anos. As respostas estão servindo de base para a construção do PDOT. No segundo semestre, a Prefeitura de Teresina realizou a primeira Hackathon, onde estudantes e profissionais buscaram soluções inteligentes para o desenvolvimento sustentável com base nos dados disponibilizados na Agenda 2030.

 

Durante o encontro, foi possível discutir sobre os desafios e oportunidades de construir uma agenda de governo aberto a nível local e as dificuldades de fazer essa abertura com poucos recursos. Em Teresina, por exemplo, a opção foi trabalhar com dados que são importantes para o desenvolvimento da cidade, como renda, esgotamento sanitário e saúde.

 

“Essas informações estão georeferenciadas, o que permite uma visualização mais fácil. Além disso, aumenta a eficiência e dá mais espaço para sociedade participar e exigir melhorias”, explica a arquiteta da Agenda Teresina 2030, Karina Freitas.