SEMPLAN – Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação
Teresina, 19 de Janeiro de 2018

Você está em » Destaques

Audiências públicas embasam elaboração de plano de combate à violência

04/05/2016 - 12h05
DSC07989

A Prefeitura de Teresina realizou hoje (04) a primeira de quatro audiências públicas que nortearão a elaboração e execução do Plano de Prevenção e Combate à Violência no Município de Teresina. Pela manhã, moradores e lideranças comunitárias da zona Sul de Teresina discutiram a violência na capital piauiense. À tarde, das 16h às 18h, será a vez da zona Norte debater o tema, no Teatro do Boi.

 
“O Plano está sendo construído de forma coletiva, em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Primeiro, fizemos uma coleta de dados junto às autoridades e instituições diretamente ligadas à segurança pública. Há cerca de um mês, realizamos oficinas sobre a temática com grupos de mulheres, jovens, empreendedores e lideranças comunitárias, para aferirmos a percepção desses grupos acerca da violência em Teresina. Nessa etapa, apresentaremos em audiências públicas os dados coletados e os resultados das oficinas e colheremos novas percepções e sugestões, que embasarão a construção do Plano de Prevenção e Combate à Violência no Município de Teresina. As audiências serão realizadas hoje (04) e amanhã (05), por região da cidade”, explicou Washington Bonfim, secretário municipal de Planejamento e Coordenação.

 
A elaboração do Plano de Prevenção e Combate à Violência no Município de Teresina faz parte do Programa Lagoas do Norte. De acordo com Sofia Reinarch, coordenadora de projeto do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e mediadora do debate, o encontro é muito importante para ouvir a população e, a partir de então, elaborar medidas de segurança.
“Nossa intenção é mapear os problemas e potencialidades locais na prevenção da violência entre jovens, com especial atenção à região do Lagoas do Norte. Hoje vamos apresentar os dados e as estatísticas da violência em Teresina, e é imensamente importante ouvir as percepções de quem vivencia diariamente o que os dados estão apontando. É uma forma de complementar e engrandecer o trabalho”, explicou Sofia Reinarch.

 
Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Teresina é a capital que teve o maior aumento de crimes violentos entre 2013 e 2014. Os dados apontam que os jovens com idades entre 18 e 24 anos são as maiores vítimas de homicídio doloso na capital e o instrumento utilizado para o crime é, em sua maioria, arma de fogo e arma branca.

 
“A violência está crescendo assustadoramente e o crack é o agente que tem uma grande participação nisso. As causas são diversas: desigualdade social, falta de moradia, de educação de qualidade, entre outros fatores. Mas eu estou muito satisfeito com a audiência pública, porque mostra que a Prefeitura de Teresina está abraçando esse tema, originalmente de interesse do Estado, e se aproximando ainda mais da comunidade e dos seus anseios”, avaliou Ascânio Sávio, presidente da União das Entidades Comunitárias de Teresina (UNICOTE) e morador do bairro Angelim, zona Sul.

 
Para Washington Bonfim, a ideia é compreender os indicadores de criminalidade e analisar como os recursos da comunidade podem ser potencializados para fortalecer as iniciativas de prevenção da violência: “A Prefeitura de Teresina tem a preocupação de colaborar com a comunidade na resolução do problema de insegurança que vivemos, dentro do seu papel constitucional. A audiência serve para escutar a comunidade e dizer o que está sendo planejado. As colaborações discutidas serão executadas em médio e longo prazo”, observou.

 
Hoje (04), das 16h às 18h, o debate acontecerá no Teatro do Boi, zona Norte de Teresina. Amanhã (05), as comunidades e entidades das zonas Sudeste e Leste discutem violência. Na zona Sudeste, os debates acontecerão das 9h às 11h na Obra Kolping, no bairro Dirceu; enquanto na Leste a audiência ocorrerá das 16h às 18h, na Escola Municipal Professor Manoel Paulo Nunes, no bairro Vale Quem Tem.