Árvore de natal do Parque Lagoas do Norte será acesa no próximo dia 15

Árvore de Natal do Parque é tradição na Zona Norte

A árvore de natal do Parque lagoas do Norte será acesa no próximo dia 15, um sábado, na Lagoa do Cabrinha, próximo à Rua Mineral. A cerimônia de inauguração do artefato natalino contará com uma missa, celebrada pela Arquidiocese de Teresina, a partir das 18h, na Praça do Bicicletário, e logo após a árvore será acesa, acompanhada de uma queima de fogos. A celebração religiosa continua após a show pirotécnico, encerrando a noite de celebração natalina.

A comemoração de natal já é tradicional na programação do parque, que leva muitos fieis para compartilhar de um momento de espiritualidade. Após a acolhida dos visitantes, será rezado um terço organizado pelo grupo Terço dos Homens, da arquidiocese de Teresina. Em sequência, antes de iniciar a missa, acontece a inauguração da árvore de natal flutuante e a queima de fogos com um show pirotécnico que irá durar 5 minutos.

A árvore enfeitada é um dos símbolos do natal que chama a atenção e contagia pessoas com o espirito natalino. No Parque Lagoas do Norte, a árvore possui 16 metros de altura e será montada em uma balsa flutuante. Com sistema de iluminação de led, terá 12 movimentos e troca de cores. A parte principal da árvore terá um tom dourado.

“Já é o quarto ano que realizamos a missa de natal aqui no Parque Lagoas do Norte, que virou uma tradição para nós e para comunidade. É um momento de espiritualidade, de conexão e de reflexão. Estaremos recebendo a todos para mais um lindo evento que será realizado no Parque”, destacou Jorgenei Moraes, diretor do Parque Lagoas do Norte.Árvore de natal do Parque Lagoas do Norte será acesa no próximo dia 15

Estações de ônibus da Frei Serafim preservam árvores e o canteiro central

Previstas para serem instaladas em 2019, as estações de ônibus da Avenida Frei Serafim foram projetadas visando manter a preservação do patrimônio histórico e ambiental da mais importante via da cidade. O modelo foi pensado especialmente para o espaço e é diferente das demais estações do Inthegra, sistema de integração de transporte público.

“A avenida Frei Serafim é um símbolo para a cidade, principalmente o Boulevard, aquelas árvores enfileiradas que dão conforto térmico para quem anda no canteiro central. Por isso essas estações são diferentes, interferindo o mínimo possível na paisagem”, explica a secretária executiva de planejamento urbano da SEMPLAN, Jhamille Almeida.

A primeira diferença das estações é na localização do abrigo climatizado. Em outros corredores, esse espaço se encontra junto à via e os passageiros saem diretamente para os ônibus. Na Frei Serafim, eles ficarão recuados e suspensos alguns metros acima do canteiro em uma plataforma metálica fincada em apenas um ponto, causando pouco impacto.

Jhamille explica que a plataforma de embarque terá uma área aberta, com uma cobertura que vai se integrar com a arborização do canteiro. “A partir do abrigo vai avançar uma plataforma, que será sombreada pelas árvores. Então, as árvores não apenas serão preservadas como são necessárias no projeto”.

De acordo com o projeto, além de recuados, os abrigos das estações serão construídos com material mais leve, sem alvenaria. A estrutura será de vidro e metal. “Será semelhante a um contêiner mais tecnológico, o mais leve e transparente possível. Será feito como se estivesse flutuando sobre o canteiro, com um jardim embaixo do piso da estação”, detalha a secretária de planejamento urbano.

Para ela, o projeto das estações da Frei Serafim permitirá tanto a preservação do patrimônio da cidade como responderá à necessidade de modernização do sistema de transporte público. “O desenho do canteiro central vai continuar o mesmo e esses equipamentos vão trazer conforto térmico nos dias de calor e proteção nos dias de chuva. A Frei Serafim não pode ficar de fora desse projeto de melhoria da mobilidade urbana. É a via mais importante do nosso sistema de transporte. É para onde convergem todas as linhas e a maioria das viagens”, conclui.

Semplan desenvolve projeto piloto de novo modelo para escola municipal

O projeto inicial para uma escola municipal de ensino fundamental em tempo integral foi desenvolvido pela Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (Semplan), a pedido da Secretaria Municipal de Educação (Semec), que consiste na construção de escolas em terrenos próprios em mais de um pavimento. O projeto será piloto no uso da tecnologia BIM na Prefeitura de Teresina.

Os modelos de projeto padrão da Semec para construção de escolas são feitas apenas em um pavimento, o que exige uma extensão maior para a construção térrea. A ideia é utilizar terrenos que não tenham a opção de expansão de pavimento e montar toda a estrutura necessária tida como base das escolas municipais, além de buscar melhorias.

“O projeto está sendo amadurecido. Nós, juntamente com outros profissionais, estaremos fazendo adaptações que complementem e tornem o projeto apto para iniciar a obra. Além disso, seremos também pioneiros no uso da tecnologia BIM, buscando a redução de gastos e tempo de execução, o que que também é nosso objetivo”, ressalta Débora Cavalcante, chefe de coordenação de planejamento urbano da Secretaria de Planejamento Urbano (SEPLUR), da Semplan.

O projeto foi apresentado ao Secretário Municipal de Educação, Kléber Montezuma. Em fase inicial e de avaliação, o projeto deve sofrer alterações com uma maior elaboração, buscando melhorias estruturais que impactem positivamente no aprendizado e na qualidade da educação.

Além de nova estrutura, a escola está sendo preparada para receber medidas ambientais que visam uma maior sustentabilidade. “Para o desenvolvimento desse projeto foi levado em consideração o uso da dinamicidade, com uma interação maior com a natureza, buscando aproveitar sempre a ventilação natural, reutilização da água, hortas verticais e uso de energia solar, promovendo uma melhor eficiência energética do prédio. Todo o programa feito foi voltado buscarmos uma sustentabilidade e atender todas as necessidades de uma escola de tempo integral”, concluiu Débora Cavalcante.

Entenda o BIM

BIM significa Building Information Modelling (Modelagem de informação da construção), que consiste em um sistema que inclui a modelagem inteligente do projeto em 3D, além da concentração de todas as informações de diversas áreas relacionadas à obra em um único documento, favorecendo uma melhor visualização do trabalho e um planejamento mais eficaz que reduz a execução da obra em gastos e tempo.

Arquiteta do Agenda Teresina 2030 participa da semana de inovação de gestão pública

A Prefeitura de Teresina participou, por meio da Agenda Teresina 2030, vinculada à SEMPLAN, da 4° Semana de Inovação em Gestão Pública, com o tema “serviço público para o futuro”. A Agenda foi representada pela arquiteta e urbanista Mariana Fiúza, que ministrou palestra na Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), em Brasília. Na ocasião, foram abordadas as transformações que o serviço público precisa ter para se adaptar às novas tendências em tecnologia e sobre o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Global (ODS).

Dentro das novas tendências, o evento frisou a continuação da promoção da sustentabilidade e também a inclusão e a diversidade por meio da inovação. Desafios foram apresentados pelos palestrantes e participantes visando a integração de tecnologias digitais para os setores e órgãos nacionais, regionais e municipais.

 

“Achei muito interessante pela relevância dos assuntos abordados. Mostraram como criar um serviço público de qualidade a partir de novas ferramentas digitais e de como se gera valor público usando essa tecnologia. Pudemos perceber que estamos alinhados com as novas práticas e que nossa estratégia de cidade inteligente também está alinhada com o uso da tecnologia. O que ficou de lição é que a gente precisa de um constante aperfeiçoamento. Temos que dar um passo à frente da nossa população, para que antes que demandem serviços, a gente possa saber qual os tipos de serviços eles vão precisar. Nos antecipando evitaremos atrasos, atritos, e estaremos prestando um bom serviço à população, que é a nossa função”, destacou Mariana Fiuza, especialista em inovação da gestão pública na Agenda Teresina 2030.

 

Além de participar da semana de Inovação de Gestão Pública, Mariana foi convidada pela Escola Nacional de Administração Pública (ENAP) para realizar uma palestra mostrando o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Global (ODS) por meio da gestão municipal de Teresina.

 

Foi levado aos alunos de pós-graduação da ENAP a Agenda Teresina 2030 enquanto estratégia municipal, servindo como referência na busca de uma cidade mais inteligente, resiliente e sustentável, mostrando como os ODS podem ser aplicados em outras cidades.

 

“Não é a primeira vez que fazemos exposições das práticas que desenvolvemos em Teresina em palestras. Percebi que eles enxergam em Teresina um caso de sucesso que pode ser reproduzido em outros municípios. A nossa ideia é passar que é possível sim que uma questão local possa ser alinhada com as questões globais. Que mesmo diante de desafios como limitações de recursos e capacidade institucional limitada, pode-se conseguir realizar bons projetos e desenvolver boas ações”, concluiu Mariana Fiuza.

Treinamento de servidores é realizado para continuidade do projeto Gestão Cidadã

A coordenação do Programa Gestão Cidadã, da Secretaria Municipal de Planejamento e coordenação (Semplan), realizou nesta sexta-feira (30), um treinamento com representantes de todos os órgãos da gestão municipal para tratar da continuidade do programa, que entrará em seu quarto ciclo em 2019.

O objetivo é fazer um monitoramento mensal do plano de custeio de cada órgão, buscando reduzir e otimizar os gastos da Prefeitura, para que haja mais recursos para investimentos. Na ocasião, foram abordados a elaboração do plano de custeio, a metodologia do programa e o agendamento para o dia 20 das propostas e apresentação de ações.

“Cada órgão vai analisar suas despesas de custeio e apresentar suas propostas. Estipulamos uma meta financeira em 2019, para que possamos reduzir gastos na Prefeitura em torno de 27 milhões de reais, e para isso avaliaremos as ações propostas, sempre visando atingir o nosso objetivo”, ressaltou Eduardo Speeden, coordenador de Orçamento da Semplan e do programa Gestão Cidadã.

Algumas ideias já foram testadas. A vigilância eletrônica, por exemplo, foi uma experiência bem sucedida na SEMEC. A utilização de táxi como meio de locomoção para o servidor e a instalação de redutores de vazão nas torneiras das escolas municipais para reduzir o consumo de água também são ações que podem ser expandidas em toda a Prefeitura.

“Vamos negociar o que de fato vai ser possível reduzir de ações para o próximo ano. Já temos algumas ações modelo que esperamos ver nos planos de cada órgão, para que possamos seguir e dar continuidade ao projeto que vem reduzindo consideravelmente os gastos na Prefeitura nos últimos três anos”, concluiu Eduardo Speenden.

Auditoria do Banco Mundial conhece Programa Lagoas do Norte

Uma equipe de auditores independentes do Banco Mundial está em Teresina nesta sexta-feira para conhecer o Programa Lagoas do Norte e ver de perto o impacto causado nas comunidades da área de atuação do projeto. Durante a visita foram apresentados dados relativos à primeira fase do programa, já concluída, e a segunda fase, que está em andamento.

“A razão de estarmos visitando Teresina é fazer uma avaliação de como o Banco Mundial ajuda as municipalidades pelo Brasil. Este programa é um exemplo de como o Banco pode ajudar, desenvolvendo a cidade e resolvendo múltiplos problemas, relacionados à drenagem, à qualidade de vida da população, etc. Este programa tem desenvolvido Teresina. É um prazer estar aqui e perceber o impacto que o Banco Mundial está causando, e é exatamente isso que procuramos, um impacto visível na vida das pessoas, como nós vemos aqui”, afirma Juan Jose, um dos auditores da missão.

Para Leonardo Madeira, diretor executivo do Programa, a visita serviu para mostrar que o Lagoas do Norte tem seguido no caminho certo para alcançar os objetivos, sejam eles ambientais ou socioeconômicos.

“A avaliação é muito positiva. Vieram conhecer mais de perto o Programa Lagoas do Norte, para que possam conhecer melhor essa experiência, verificar quais foram as lições aprendidas e replicar isso no restante do mundo. Isso mostra que o Programa Lagoas do Norte está se tornando uma grande vitrine para os demais projetos”, finalizou.

Lagoas do Norte promove limpeza e plantio em via lateral de escola municipal

O Programa Lagoas do Norte (PLN) continua com o trabalho de conscientização com a comunidade que fica na região da Escola Municipal José Nelson, no bairro Parque Alvorada, que sofre com o lixo que é depositado de forma irregular na lateral da escola. Nesta sexta-feira (30), a equipe do PLN promoveu a limpeza da rua e realizou plantio de árvores com o objetivo de conscientizar a população e inibir ações de destinação inadequada de lixo. A ação faz parte do projeto Saúde sem Lixo, que foi pensado pelo PLN para receber denúncias e solucionar problemas relacionados ao depósito de lixo em locais inadequados.

O lixo que foi amontoado na lateral da escola causou sérios problemas aos alunos. Transtornos como o mau cheiro, aparecimento de ratos e insetos, além da necessidade de dedetizações constantes causaram prejuízos nas aulas e na estrutura da escola, que sofreu com a contaminação dos lanches estocados na cantina.

“Desenvolvemos essas ações em várias etapas. Fizemos gincanas ambientais para os alunos, desenvolvemos palestra de sensibilização, roda de conversa com os pais e comunidade e hoje fizemos um plantio de mudas e a limpeza da rua para inibir as pessoas que estão usando a escola como depósito de lixo”, disse Márcia Alencar, educadora ambiental e técnica em saneamento do Programa Lagoas do Norte.

Diretora da escola José Nelson, Marli da Paz diz que já tentou solucionar o problema e não teve sucesso, mas acredita que depois das ações desenvolvidas ele possa ser totalmente solucionado. “Nós estamos nessa luta de tentar erradicar esse lixão já há algum tempo. Conseguimos essa parceria com o Programa Lagoas do Norte e outros órgãos da prefeitura, que vem nos ajudando nessa batalha. Acredito que as ações que foram desenvolvidas hoje pelo Lagoas do Norte trabalharam bem a conscientização dos alunos e da comunidade. Creio que estamos conseguindo a sensibilização que precisamos para acabar com esse lixão. A nossa expectativa é de que realmente o acabe com esse problema, para não prejudicar mais ainda os nossos alunos e a comunidade”, ressaltou.

“A Prefeitura de Teresina recolhe mais de duas mil toneladas de lixo somente na zona norte, em espaços irregulares que recebem a destinação inadequada do lixo. Nosso grande desafio é procurar respostas, sensibilizando a comunidade para contribuir com a limpeza pública e com a coleta da cidade, pois além dos investimentos que são feitos, é preciso também da ajuda da população”, concluiu Márcia Alencar.

 

Alunos de escola municipal da zona Norte visitam órgãos da Prefeitura para conhecer funcionamento do Colab

O Programa Lagoas do Norte (PLN), em parceria com a equipe de monitoramento do Colab da Prefeitura de Teresina, está trabalhando uma campanha de conscientização com a comunidade que fica na região da Escola Municipal José Nelson, no Parque Alvorada, que sofre com o depósito de lixo na lateral da escola. Nesta terça e quarta-feira, os alunos tiveram uma palestra de conscientização e prevenção contra a destinação inadequada do lixo, além de conhecer melhor o funcionamento do aplicativo Colab, com uma visita técnica à Ouvidoria de Teresina e à SDU Centro-Norte.

 

Participaram da iniciativa 84 alunos do 7° e do 8º ano do ensino fundamental. Na manhã de terça-feira, eles assistiram a uma palestra que mostrou todos os malefícios trazidos pela destinação inadequada do lixo, que é uma das vertentes do saneamento básico. Já nesta quarta-feira (28), oito alunos escolhidos como representantes das turmas foram apresentados aos detalhes do funcionamento do aplicativo Colab, mostrando em uma visita técnica aos órgãos da Prefeitura de Teresina todo o fluxo de trabalho, buscando gerar uma aproximação e apropriação dos alunos e da comunidade no uso aplicativo.

“Tem sido muito satisfatório esse trabalho, porque cada vez que desenvolvemos uma ação percebemos que encontramos novos parceiros e que podemos aumentar o nosso raio de atuação, para que encontremos soluções para esses casos. O Programa Lagoas do Norte busca através dessas parcerias solucionar os problemas dentro das comunidades, no caso da escola, causado por este mau hábito de jogar lixo em local inadequado. Trabalhamos a educação ambiental com o objetivo de que, com essa junção de ideias, possamos realmente acabar com esse problema”, ressaltou Márcia Alencar, educadora ambiental e técnica em saneamento do Programa Lagoas do Norte.

Para o estudante João Pedro Ursulino, 13 anos, aluno do 8º ano do ensino fundamental da Escola José Nelson, o lixo depositado na lateral da escola traz bastante transtornos para os alunos, mas acredita que o problema será solucionado.

“A situação é complicada. O foco de bichos e mosquitos aumentaram bastante e, às vezes, temos que sair da sala por conta do mau cheiro. A população devia ser um pouco mais consciente, e entender que a lateral da escola não é um local adequado para se jogar lixo. Acredito que o Colab vai trazer muitas melhorias para a população, porque pode solucionar problemas de uma forma mais rápida e eficiente”.

“Mostramos para os alunos todo o processo que envolve o aplicativo Colab, desde o envio da demanda o até o encaminhamento para o órgão responsável. Esperamos que eles, como agentes multiplicadores, possam passar adiante a importância da ferramenta, mostrando para outros que eles podem contribuir para a gestão municipal e zelar pela cidade que é deles, com uma ferramenta simples que possuem na palma da mão”, concluiu o coordenador da Ouvidoria de Teresina, Hassam Said.

Plano Diretor quer atrair moradores para área central de Teresina

A Prefeitura de Teresina planeja usar o novo Plano Diretor de Ordenamento Territorial, o chamado PDOT, para atrair moradores às áreas próximas de serviços e equipamentos urbanos, em especial os corredores de ônibus. Uma das principais estratégias para isso será a utilização de um instrumento já previsto na legislação da cidade: a cobrança da Outorga Onerosa. O objetivo é promover o equilíbrio urbano, garantindo o desenvolvimento sustentável do município e melhores condições de vida para os moradores.

 

“Estamos revisando o Plano para reorientar o mercado imobiliário e permitir o crescimento da cidade onde já existe uma infraestrutura, como o transporte público. Isso vale não apenas para prédios residenciais, mas também para aqueles que chamamos de uso âncora, como clínicas, escolas, etc”, explica a secretária executiva de Planejamento Urbano, Jhamille Almeida.

 

A proposta é facilitar as construções de interesse social o mais próximo dentro de uma zona que já esteja urbanizada. Nos últimos anos, Teresina tem crescido bastante, com novos bairros surgindo cada vez mais distantes da região central e ainda sem estrutura adequada. “Isto gera problemas para o município, que tem mais despesas para levar infraestrutura e transporte público para estes novos bairros, e também prejuízos para a população, que fica cada vez mais longe do trabalho, escolas, universidades e serviços em geral”, explica o secretário de Planejamento, José João Braga.

 

Ele explica que, para estimular o crescimento da cidade em determinadas regiões, a Prefeitura pretende conceder descontos na cobrança da outorga onerosa. “Por exemplo, condomínios residenciais construídos nos arredores dos corredores de ônibus não pagarão o valor integral da outorga. De acordo com o tipo de empreendimento e alguns critérios estabelecidos, estes descontos podem chegar até mesmo a 100% do valor”, ressalta.

 

Para entender o que é a outorga onerosa, é necessário compreender primeiro o índice básico de aproveitamento, que é o limite concedido ao proprietário de um imóvel para construir no seu terreno. Atualmente Teresina possui índices variados em diferentes regiões da cidade, mas com a revisão do PDOT a ideia é que seja adotado um índice único, de valor 1. Isso significa que o proprietário poderá construir na mesma extensão do lote. Por exemplo, em um terreno de 10m x 10m, será permitido construir 100m², ou dois andares de 50m², ou três de 33m², etc.

 

A outorga é uma concessão emitida pelo município para que o proprietário edifique acima do limite estabelecido através do pagamento de uma contrapartida financeira. O Estatuto da Cidade prevê essa cobrança, ressaltando a importância desse controle para que a expansão urbana leve em conta a sustentabilidade ambiental, social e econômica

 

O estatuto também regulamenta a destinação dos recursos arrecadados, que serão destinados para ações como regularização fundiária, implantação de equipamentos urbanísticos e comunitários, criação de espaços públicos de lazer e áreas verdes, proteção de áreas de interesse histórico, cultural ou paisagístico, entre outras.

“Lagoas é Show” leva bom público ao bicicletário do Lagoas do Norte

A noite dos moradores da região do Lagoas do Norte e até de novos visitantes foi marcada por muita animação na Praça do Bicicletário, no sábado (24). O “Lagoas é Show”, em parceria com o Circuito Cultural Secult, levou a gratuitamente à população três atrações.

Com sua maraca registrada, a banda Pegadões do Forró foi a principal atração da noite, fazendo o público presente dançar os sucessos mais atuais do forró. Os presentes também curtiram Erick Paizão, que vem conquistando os palcos teresinenses com uma batida diferenciada no forró, e Márcio Sal, que a abriu a noite de festa.

Armando Laurindo é morador do Bairro Cabral, localizado no centro-norte de Teresina. Pela primeira vez presente no parque, ele garante que gostou e que voltará mais vezes. “Muito bom. É a primeira vez que venho aqui no Parque Lagoas do Norte, um ambiente tranquilo, seguro, familiar e bastante agradável. Essa iniciativa de promover eventos é muito legal, pois proporciona entretenimento para aquelas pessoas que não tenham uma programação no dia. A organização do Evento está de parabéns, vou voltar mais vezes”, ressalta Armando, que se deslocou para curtir a noite no parque.

Franciane Soares, permissionária no Parque Lagoas do Norte, disse estar feliz trabalhando no parque, e que os eventos ajudam muito no sustento da família. “Estou no parque de domingo a domingo e tiro a minha renda familiar trabalhando aqui como permissionária, gosto muito de trabalhar aqui. É sempre bom quando trazem eventos para cá, pois nos ajudam a conseguir uma renda extra e que vai ajudar bastante nesse final de ano”, pontuou Franciane.

“O Lagoas é show marca a volta das atividades festivas no Parque Lagoas do Norte. Levar cultura para a comunidade, apoiando eventos desse porte é o nosso dever. Tivemos um espaço limpo, seguro e bem iluminado, que proporcionaram um ambiente bastante agradável e propicio para a vinda do público”, concluiu o diretor do Parque, Jorgenei Moraes.