Prefeitura dialoga com vereadores sobre emendas parlamentares

Atendendo a um convite da Câmara Municipal, José João Braga, secretário municipal de Planejamento e Coordenação, e Raimundo Eugênio, secretário de Governo de Teresina, compareceram à Casa na manhã desta quarta-feira (14) para prestar esclarecimentos sobre a execução de parte das emendas parlamentares dos vereadores.

De acordo com os secretários, o país ainda se recupera da crise financeira e isso diminuiu a capacidade de investimento do poder público municipal.  Além da burocracia envolvida no processo de empenho das emendas que exigem um tempo maior para a execução das obras, assim como a crescente demanda da área da saúde, que consome boa parte do orçamento municipal.

Durante a audiência, o secretário José João Braga apresentou uma planilha com valores que destacam a situação financeira do município que, apesar de estável, não permite grandes verbas para investimento com recursos próprios. Ainda assim, foi destacado que os recursos das emendas estão sendo empenhados de acordo com as possibilidades.

“Apesar da Prefeitura de Teresina estar com todas as receitas equilibradas, nosso valor de investimento com recursos próprios tem reduzido significativamente a cada ano, mas procuramos liberar as emendas de acordo com a parte orçamentária. Esse ano já foi liberado em torno de R$ 5 milhões e esperamos liberar o máximo possível de acordo com o equilíbrio fiscal do município”, disse o secretário.

Outro ponto apresentado foi a necessidade de um acompanhamento mais próximo por parte dos próprios parlamentares, para que todo o processo burocrático necessário desde a destinação da emenda até a execução da obra aconteça da forma mais ágil possível. Além disso, foi destacado que a saúde, devido ao grande volume de pessoas atendidas na capital piauiense, consome cerca de 35% do orçamento municipal.

Prefeitura inicia reparação elétrica da iluminação no Parque Lagoas do Norte

A Prefeitura de Teresina iniciou esta semana a reposição dos cabos de energia que foram roubados no Parque Lagoas do Norte. Serão 200m de cabos repostos neste primeiro momento, o que será expandido posteriormente para resolver o problema da falta de iluminação na região. A direção também está atuando junto à Secretaria Estadual de Segurança Pública para solicitar reforço do policiamento e evitar novos roubos no local.

A primeira etapa da fiação, que está sendo instalada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH), deve ser concluída na próxima semana. Os moradores da região reclamam dos constantes roubos da fiação subterrânea no local e alegam que não podem utilizar a estrutura do parque no período noturno pela falta de iluminação e sensação de insegurança.

“É a terceira vez que a Prefeitura faz essa reposição. Estamos usando recursos que poderiam ser investidos em outros lugares. Então pedimos que a população e as autoridades de segurança nos ajudem a fiscalizar esses roubos”, reforça o gerente do Parque Lagoas do Norte, Jorgenei Moraes.

Foram identificados 14 pontos de escuridão no Parque, alguns terão a iluminação religada nesta primeira etapa da reposição da fiação, como a pista skate, o anfiteatro e a Praça do Bicicletário.

“Estamos tomando as devidas providências para religar a iluminação e esperamos contar com a colaboração de todos para evitar que estes roubos continuem acontecendo, garantindo um equipamento público de qualidade para a população tanto durante o dia quanto durante a noite”, afirma o secretário de Planejamento e Coordenação, José João Braga.

SEMPLAN busca implementar medidas para melhorar o sistema SIMAPP

Uma equipe da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN) reuniu-se com consultores de Fortaleza para a apresentação da metodologia utilizada na Prefeitura da capital cearense com o Sistema de Monitoramento de Ações e Projetos Prioritários de Fortaleza (MAPPFOR), que possui semelhanças com o Sistema de Monitoramento de Apoio a Programas e Projetos (SIMAPP), desenvolvido pela Prefeitura de Teresina. O objetivo é buscar implementar ações que melhorem o uso do SIMAPP.

Servidores da Semplan foram à Fortaleza conhecer o uso do MAPPFOR na gestão municipal, e perceberam alguns avanços e melhorias em relação ao SIMAPP, o que despertou o interesse de convidar a consultoria para apresentar a metodologia utilizada, visando a possível implementação de ações ao sistema da gestão municipal da capital piauiense.

“Temos a possibilidade de uma proposta para a realização dessa consultoria aqui na SEMPLAN, com a visão de melhorar, inclusive, a parte do nosso planejamento estratégico desenvolvido com base no Plano Plurianual (PPA), assim como na gestão de Fortaleza”, ressaltou Aurélia Araújo, gestora de monitoramento da SEMPLAN.

Uma das principais melhorias do sistema desenvolvido pela consultoria no sistema de Fortaleza, apontados pelos servidores da SEMPLAN, está relacionado ao monitoramento do SIMAPP, e na execução e apresentação das ações realizadas. O MAPPFOR possui um maior controle, inclusive de autorização de processos de licitação de todos os contratos, fazendo com que o fluxo de ações seja liberado internamente dentro do sistema.

“Todo o processo de autorização, de assinaturas e de liberação de licitações acontece via MAPPFOR. Vemos como uma implementação que irá favorecer o SIMAPP, porque além de um maior controle, possibilita um melhor acompanhamento das ações pelo prefeito, tendo controle geral e unificado das atividades de todos os órgãos que envolvem a Prefeitura. Queremos com essa metodologia adequar a estrutura do SIMAPP. Apesar de estarmos avançados em nosso sistema, buscamos sempre buscar adaptações para melhorarmos”, concluiu Aurélia Araújo.

SIMAPP

O SIMAPP permite o monitoramento de cada órgão municipal no processo de inserção, acompanhamento e análise de resultados dos indicadores definidos para a gestão, com funcionalidades que facilitam o controle interno da gestão municipal.

Líder de projeto social é campeã de Tênis de Mesa nos Jogos Municipais 2018

Kamila Fonteneles, estagiária em Engenheira Civil no Programa Lagoas do Norte, foi a grande campeã de Tênis de Mesa nos jogos dos servidores municipais na edição 2018.  Ela pratica o esporte há quase 4 anos, quando se apaixonou e criou um projeto social com a modalidade esportiva no parque Lagoas do Norte.

A competição contou com dez participantes mistos, sem categorias de gênero. Para Kamila a iniciativa e organização do evento não deixaram a desejar. “A competição foi muito boa, pois além da pratica desportiva, os jogos proporcionam a interação entre os servidores de diferentes órgãos da Prefeitura”, ressaltou.

A relação de Kamila com o esporte começou no Parque Lagoas do Norte, onde se apaixonou e deu continuidade aos treinamentos, além de iniciar um projeto social. “Em uma colônia de férias tinha uma mesa no parque e depois ela permaneceu aqui. Após o expediente comecei a jogar com companheiros de trabalho e comecei a gostar. Me encantei com o esporte e criei o projeto de Tênis de Mesa, onde começamos a levar o esporte para os jovens da região”, disse.

Segundo Kamila, a Prefeitura aprovou o seu projeto e disponibilizou todo o material necessário para desempenho das atividades, mas lamenta a paralização do projeto por estar próxima da sua conclusão de curso.

“Já tive 30 garotos no projeto de tênis de mesa. Foi muito proveitoso. A prefeitura disponibilizou mesas, redes, raquetes e tudo o que era necessário para tocarmos o projeto. Infelizmente tive que parar para concluir o meu curso, caso não consiga voltar, espero que alguém possa dar continuidade a esta ação”, concluiu.

Relatório da Agenda Teresina 2030 mostra avanço de Teresina em sustentabilidade

A prefeitura de Teresina, ainda em 2015, foi uma das primeiras do país a estabelecer um departamento específico para buscar o cumprimento dos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável estabelecidos pela ONU para o ano de 2030. Foi assim que surgiu a Agenda Teresina 2030, que acaba de lançar um relatório online com as principais atividades desenvolvidas nos últimos anos. A construção de uma cidades e comunidades sustentáveis (ODS 11) foi o que concentrou o maior número de ações no período, seguido da erradicação da pobreza (ODS 1) e da promoção da saúde e bem-estar (ODS 3).

Das 264 ações propostas na Agenda Teresina 2030, 72% já foram concluídas ou estão em andamento, e apenas 28% do total ainda não foram iniciados. Entre as ações concluídas ou em andamento, o objetivo da construção de uma cidade e comunidades sustentáveis tem tido mais relevância, com 23,8% das ações. Um exemplo de medida tomada neste sentido é a revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT) que visa modificar a ocupação da capital piauiense, favorecendo a concentração de pessoas em zonas estruturadas e o uso do transporte público.

“O maior número de ações correspondentes ao ODS 11 se dá por conta do fator climático de Teresina. A temperatura de Teresina é bastante elevada em relação a outros lugares, e por isso a maior preocupação em tornar a cidade mais sustentável e resiliente. Das ações desenvolvidas temos como destaque os projetos de mobilidade urbana, que visam melhora a qualidade do transporte público para atrair um número maior de usuários, reduzindo a quantidade de carros nas ruas e consequentemente a menor emissão de gás carbono. Também temos as hortas agroecológicas com a produção totalmente orgânica, onde também são realizadas feiras comunitárias ecológicas, gerando renda familiar e diminuindo o uso de agrotóxicos no solo”, ressaltou Karina Freitas, Arquiteta e Urbanista da Agenda Teresina 2030.

O relatório da Agenda Teresina 2030 faz parte da estratégia do município de realizar um constante monitoramento das ações desenvolvidas e de como essas ações estão levando a capital a ser uma cidade mais sustentável de acordo com os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela Agenda 2030 Global. Depois do ODS 11, aparecem em destaque a erradicação da pobreza (ODS 1), com 12,13% e a promoção da saúde e bem-estar (ODS 3), com 8,47 %.

O documento leva informações sobre a Agenda Teresina 2030, contexto histórico local, acordos globais pela sustentabilidade, práticas desenvolvidas, relatório de ações realizadas, além da visão para o futuro. A missão da Agenda Teresina 2030 é dar suporte ao governo local para cumprir com os compromissos dos acordos firmados, com destaque para Agenda 2030 global.

“A importância de um relatório como esse é ver que o caminho que estamos adotando está nos levando a cumprir objetivos de 2030, além de dar possibilidades para que possamos nos ajustar durante esse tempo. Esperamos que a população tenha conhecimento do trabalho que está sendo desempenhado e que contribuam para a sustentabilidade de Teresina”, concluiu Mariana Fiúza, Urbanista e especialista em inovação da gestão pública da Agenda Teresina 2030.

CLIQUE AQUI E CONFIRA O RELATÓRIO

Semana de divulgação do Colab é finalizada com avaliações positivas

A equipe do Colab finalizou a semana de divulgação do aplicativo na última sexta-feira. Foram realizadas reuniões internas para monitoramentos, palestras em universidades, treinamento de cadastramento de usuários e gestores, Workshop, além de reuniões com lideranças dos bairros da capital. O objetivo da semana de divulgação foi ampliar o número de novos usuários no aplicativo.

As ações de divulgação envolveram apresentações didáticas, para facilitar o entendimento do uso do aplicativo. Segundo Dayanna Kraieski, gestora do Colab na Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (Semplan), os impactos das divulgações geraram um saldo positivo, pois houve um aumento no quantitativo de usuários, além de uma ótima aceitação do aplicativo junto às comunidades.

“Após a realização dessas divulgações esperamos que tanto o público acadêmico, como os líderes comunitários, possam agir como agentes multiplicadores do Colab, repassando as informações recebidas do aplicativo para assim contribuir em melhorar a gestão pública” ressalta Dayanna.

As reuniões internas também geraram resultados. Foram realizados monitoramentos para avaliar como está sendo feito a análise e distribuição de demandas, além de planejamentos para definir os próximos passos do aplicativo na capital.

”Conseguimos reunir a maioria dos envolvidos com o Colab na gestão municipal. Fizemos alguns ajustes internos para melhorar o encaminhamento das demandas e, consequentemente, aumentar a taxa de resolutividade. Esperamos que o planejamento que fizemos comece a dar resultados a curto e médio prazo, pois esse também é um dos nossos objetivos”, disse Dayanna.

Entenda o Colab

O Colab é uma ferramenta utilizada pela população para comunicar à gestão pública os problemas estruturais específicos do seu bairro. O aplicativo funciona como uma ponte entre o cidadão e a Prefeitura, onde o cidadão colabora com a gestão municipal mandando informações com fotos de problemas como buracos nas vias e residências abandonadas, postes sem iluminação, dentre outras demandas, que são avaliadas pela Ouvidoria de Teresina e encaminhadas para os órgãos responsáveis.

O aplicativo foi criado em 2013 e possui mais de 200 mil usuários em todo Brasil. Atualmente, é utilizado por mais de 100 prefeituras. Teresina foi a primeira capital do Nordeste a aderir ao aplicativo, atendendo as demandas da população por meio da plataforma desde 2014. Desde 2016 o Colab faz um acompanhamento próximo da atuação da Prefeitura, auxiliando na governança, elaboração de projetos e no uso de todas as ferramentas da plataforma.

Obras de saneamento ficam mais rápidas com uso de tecnologia

O secretário municipal de Planejamento e Coordenação, José João Braga, e a equipe de monitoramento da SEMPLAN, estiveram na manhã desta sexta-feira na zona Norte de Teresina, acompanhando as obras de saneamento básico efetuadas pela concessionária do serviço na capital piauiense, a Águas de Teresina. Durante a visita, foram apresentadas as valetadeiras, máquinas adquiridas pela empresa que tornam o trabalho de cavar as valas mais ágil e com menos transtornos para a população.

As valetadeiras substituem as antigas retroescavadeiras, fazendo escavações mais estreitas e profunda, de acordo com o programado na própria máquina, garantindo mais precisão no serviço. Além das escavações mais estreitas, o serviço também se torna mais ágil. Atualmente, estão sendo concluídos 200 metros de tubulação de esgoto por dia, com previsão para chegar a 300 metros diários. Com escavações menores e mais rápidas, os transtornos causados a população são reduzidos.

“Com a retroescavadeira, o buraco escavado era muito mais largo, além de que a máquina é mais lenta. Com essa tecnologia, conseguimos alcançar um trabalho muito mais eficiente e seguro, tanto para os trabalhadores, quanto para os moradores”, afirmou o secretário José João Braga.

“As novas máquinas reduzem os impactos na mobilidade urbana e no meio ambiente. Há ganhos também na produtividade. A produção chega a triplicar com o uso das valetadeiras, por serem equipamentos mais tecnológicos e de maior precisão. A população ganha ainda em agilidade, já que assim finalizamos os trabalhos com maior rapidez e qualidade. Vale lembrar que nos próximos dois anos serão executados 400 km de novas redes de esgoto, um grande avanço para a melhoria da qualidade de vida dos teresinenses”, explica Cassiano Costa, gerente de Engenharia da Águas de Teresina.

Neste semestre, a concessionária intensificou as ações para ampliação da cobertura de esgotamento sanitário. Até 2020, a capital alcançará 40% de coleta e tratamento de esgoto. Serão construídas sete estações elevatórias e implantados 400 km de rede de esgoto, com benefício direto para mais de 124 mil teresinenses. As obras, inicialmente, contemplarão os bairros Parque Alvorada, Aeroporto, Itaperu, Saci, Nova Brasília, Tabuleta, São Pedro, Pio XII, Macaúba, Vermelha, Mocambinho e Vila São Francisco.

Os investimentos em saneamento básico se refletem diretamente na saúde da população, que fica menos exposta a uma variedade de doenças causadas pelo não tratamento adequado do esgoto, além de contribuir também para a preservação do meio ambiente e valorização imobiliária das regiões saneadas.

Agenda Teresina 2030 cria mapa de indicadores de demandas do Colab

Em parceira com o Colab, a Agenda Teresina 2030 lançou na plataforma Carto o mapa com os indicadores específicos de demandas no Colab de todos os bairros da capital. O objetivo é facilitar o acesso dos usuários aos dados do aplicativo, como o número de problemas relatados e a resolutividade dessas demandas.

O georreferenciamento foi feito a partir de dados enviados pela equipe do Colab na Prefeitura. Agora em forma de mapa, a população tem acesso ao número de demandas, resolutividade, apoios, comentários, dentre outras informações oferecidas pelo aplicativo. A plataforma Carto possibilita o download dos dados inseridos no mapa de indicadores específicos de demandas do Colab para a população.

“O mapa agrega os dados desde o inicio do Colab em Teresina em 2014 até o ano atual. Dividimos o mapa e colocamos também informações sobre gênero, idade e bairros que possuem maior demanda, além do histórico da demanda e o status de sua resolutividade”, destaca Karina Freitas, arquiteta e urbanista da Agenda Teresina 2030.

Para Dayana Kraieski, gestora do Colab na Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (Semplan), o mapa é mais uma ferramenta que vai servir para aumentar a visibilidade do aplicativo em Teresina. “Nosso principal objetivo é aumentar a quantidade de usuários do Colab. Acredito que com o mapa a população terá mais um acesso facilitado para acompanhar o trabalho que estamos desenvolvendo na gestão municipal”, concluiu.

Para visualizar o mapa basta acessar https://agenda2030.carto.com/me

Parque Lagoa do Mocambinho ficará fechado para finalização da obra

O Parque Lagoa do Mocambinho , que entra em sua fase final de construção, ficará fechado a partir da próxima segunda-feira (12) até que todos os serviços sejam concluídos. A medida visa à segurança nessa reta final dos trabalhos, onde serão feitas as instalações elétricas. Com investimento de cerca de R$ 10 milhões, o espaço está sendo construído para se tornar referência em lazer e prática esportiva para a população da zona norte.

O parque cobre uma área de aproximadamente cinco hectares e é construído em torno da Lagoa do Mocambinho, que passou por um processo de limpeza e agora o espelho d’água, com uma ilha no meio, tornou-se um elemento paisagístico da região. Além disso, em volta estão sendo construídas estruturas esportivas, como pista de cooper, quadras poliesportivas, campo de grama sintética, quiosques, academias, playgrounds e espaço administrativo, além de um espaço com grama natural para descanso.

Embora o parque ainda esteja em fase de construção, a comunidade já fazia utilização de alguns espaços, como a pista de cooper. Agora foi determinado o fechamento do local, como forma de evitar acidentes durante a última etapa das obras, como a parte elétrica e acabamento.

“É muito bom perceber que a população está se apropriando de um equipamento público mesmo antes da inauguração. Mostra o quanto a obra está de acordo com os anseios da comunidade. Mas, nesse momento, é necessário ter mais cautela, pois com as instalações elétricas poderia haver algum acidente com a fiação, mas logo todos poderão aproveitar a estrutura do Parque Lagoa do Mocambinho com toda a comodidade e segurança”, explica Marcio Sampaio, diretor geral do Programa Lagoas do Norte, responsável pela obra.

 

Além do aspecto urbanístico e de lazer, o parque trará também uma melhoria na urbanização na área do Loteamento Mocambinho. Uma galeria irá captar as águas pluviais do bairro e direcioná-las à lagoa, melhorando a drenagem na região.

Moradores discutem soluções para furto de fios de energia no Parque Lagoas do Norte

O Parque Lagoas do Norte vem enfrentando um grave problema nos últimos anos e que se agravou nos últimos meses. A iluminação do Parque está comprometida por conta de roubos da fiação de energia, que já foram repostas diversas vezes, causando um prejuízo de mais de 90 mil reais que foram investidos na iluminação pela Prefeitura de Teresina. Por isso, autoridades de vários órgãos da segurança pública, representantes da associação de moradores, permissionários e comunidade estiveram reunidos na noite da última quarta-feira (7), no Parque Lagoas do Norte, para discutir possíveis soluções para o problema.

Na ocasião, estiveram presentes, junto com os gestores do Programa Lagoas do Norte, o secretário de Segurança Pública do Estado do Piauí, Coronel Rubens Pereira; o secretário municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), Samuel Silveira; e o delegado do 7° Distrito Policial de Teresina, Menandro Pedro, além de representantes da Guarda Municipal e presidentes das associações de moradores dos bairros que integram o Programa Lagoas do Norte, discutindo e buscando soluções para a resolução imediata do problema, que tem se intensificado nos últimos meses.

O secretário da Semcaspi, Samuel Silveira, disse que a falta de iluminação é uma questão bastante complexa, ainda mais quando a Prefeitura está disponibilizando todo o aparato necessário para manter a iluminação no Parque. Em 2017, foram registradas 18 ocorrências de furtos dos cabos de energia pela guarda municipal, e até setembro deste ano, já foram 21 ocorrências registradas.

“Infelizmente no período da madrugada algumas pessoas vêm ao Parque subtrair os fios de cobre. Ano passado foram mais de 60 kg de fios de cobre apreendidos pela guarda municipal, o que mostra todo o esforço para evitar esse tipo de ocorrência. Temos uma alternativa reservada junto ao 9° batalhão e com o 7º distrito para tentar ações pontuais durante a madrugada. Contamos também com a população para denunciar as pessoas que estão cometendo este crime. São alternativas que usaremos para evitarmos esse tipo de ocorrência”, disse Samuel.

Albertino Ribeiro, líder do Conselho Comunitário do bairro nova Brasília, afirma que a falta de iluminação do Parque está causando transtorno à população, que tem medo de sair de casa para frequentar o Parque, mas reconhece que a Prefeitura tem se esforçado e se mostra esperançoso após a reunião.

“Ficamos muito contentes com a reunião, pudemos externar os nossos posicionamentos para as entidades responsáveis pela segurança. Sabemos que a Prefeitura tem feito todo o esforço possível, mas a situação saiu do controle. Todos foram muito solícitos e se comprometeram em combater os furtos dos fios, esperamos que agora o problema seja solucionado para voltarmos a povoar o Parque, que só nos traz benefícios”, afirmou.

O secretário de Segurança Pública do Piauí, coronel Rubens Pereira, saiu satisfeito com a reunião e com a adesão da causa pela comunidade, que participou e mostrou os problemas a serem resolvidos. Para o secretário, é necessário montar uma presença mais intensiva do policiamento ostensivo.

“Vamos continuar a fazer reuniões para integrar a Policia Militar com a Guarda Municipal, buscando aumentar o efetivo de policiamento fardado no parque. Esses furtos de fios prejudicam a iluminação e impacta diretamente na segurança do Parque. Vamos identificar quem são essas pessoas que estão furtando e que estão recebendo os fios de cobre para abrirmos os inquéritos necessários para encarcerar essas pessoas de acordo com a lei penal. Iremos nos reunir também para buscar retornarmos com o ônibus de patrulhamento que tínhamos em parceria com o Ministério da Justiça, para aumentar também a prevenção desses casos”, disse.

“Foi uma reunião multiparticipativa em que vimos que há uma solução para o problema. A Prefeitura tem investido muito nos cabos de energia, e nos encontramos em uma situação em que não sabíamos mais como combater. Saímos como a certeza de que tudo será resolvido, deixamos encaminhamentos para a solução dos problemas, como a volta do ônibus de patrulhamento. Ficamos felizes com as respostas que tivemos e continuaremos trabalhando para devolvermos a segurança para a comunidade voltar a estar presente no Parque”, concluiu o diretor do Parque Lagoas do Norte, Jorgenei Moraes.