Técnicos do PLN conversam com famílias que serão reassentadas

A equipe do Programa Lagoas do Norte fez durante esta semana uma série de reuniões com as famílias que do entorno da Lagoa do São Joaquim, uma das que passará por obras de requalificação nesta fase do programa. Depois de se encontrarem com as famílias que não serão afetadas diretamente ou que serão afetadas apenas parcialmente, na tarde desta sexta-feira os técnicos conversaram com as famílias que encontram-se em situação de risco e precisarão ser reassentadas, para explicar como se dará o processo e as opções que cada um tem.

Na ocasião, foi explicado às famílias as principais diretrizes do processo de reassentamento, como garantir a permanência do maior número possível de pessoas na área requalificada, as diferentes opções para compensação, melhoria das condições de moradia, pagamento de indenização incluindo todas as melhorias feitas no imóvel, minimização de impactos sociais e ambientais e garantia da oferta de serviços sociais, como educação, saúde, transporte público, etc.

No geral, as famílias que terão seus imóveis desapropriados podem optar por duas formas de compensação, o reassentamento ou a indenização. No caso do reassentamento, as famílias podem podem optar pelo reassentamento monitorado, quando receberá uma indenização e terá acompanhamento da equipe do PLN na compra de um novo imóvel.

Por outro lado, as famílias também podem escolher pela indenização. Nesse caso, os proprietário serão indenizados de acordo com o laudo de avaliação dos seus respectivos imóveis, ou, em caso de pessoas que moram de aluguel, receber um auxílio-moradia. Todo este processo de negociação será mediado pela OAB.

Diretora da Unidade De Projetos Socioambientais do PLN, Conceição Ferreira destaca que estes processos de desapropriação são necessários principalmente para garantir a integridade dessas famílias. “Só vão sair aquelas famílias que não estiverem seguras nos seus imóveis. O trabalho é para garantir que em nenhum momento, como em um inverno muito intenso, as famílias sofram com alagamentos”.

Márcio Sampaio, diretor geral do PLN, ressalta que este não é o último momento de diálogo, que estará presente em todo o processo. “Próxima semana estarão sendo convidadas pessoalmente família por família para que todo programa de reassentamento seja devidamente explicado nos casos individuais, para que o programa tenha toda sua efetividade”, explica.

Este ponto é destacado também pelo secretário municipal de planejamento, José João Braga. “O Programa Lagoas do Norte foi feito para melhorar as condições de vida da população daquela região, e para alcançarmos este objetivo é importante estas conversas com as comunidades que serão beneficiadas, seja com as requalificações urbanas ou com as melhorias das condições de moradia”.

Todo o processo de reassentamento é feito de acordo com os moldes da lei, tendo o acompanhamento da Procuradoria Geral do Município. “O papel da procuradoria é de orientar os profissionais da prefeitura quanto à legalidade dos procedimentos a serem adotados. A gente sabe que os procedimentos de desapropriação serão necessários, mas tem que ser feitos na forma que é prevista na lei, garantindo a Justiça para todos que de alguma forma serão afetados pelo programa, tendo seus direitos totalmente reconstituídos na forma de indenização ou de reassentamento”, explica o procurador Ivan Barbosa, que também participou da reunião.

Moradora há mais de duas décadas do entorno da Lagoa do São Joaquim, a dona de casa Gorete Barbosa, 56 anos, é uma das proprietárias de imóvel que precisarão ser desapropriados. Para ela, reuniões como essa são importantes para orientação dos moradores. “Eu gostei, porque tinha muita dúvida e hoje pra mim ficou bem claro. Vale a pena, porque minha casa é de taipa, já caiu, e agora vou para um lugar melhor no mesmo bairro”, afirma.

Requalificação

A Lagoa do São Joaquim é uma das quatro lagoas que estão inseridas no Edital 1 da fase dois do Programa Lagoas do Norte. Para o local, estão previstas obras de requalificação urbana e melhorias habitacionais, investimentos no sistema de drenagem, na segurança, iluminação, e acessibilidade, além de melhorias ambientais, com plantio de espécies nativas e conservação da paisagem existente. Para lazer da população, será instalada uma academia, espaços de convivência e brinquedos infantis.

Atualmente as obras estão em processo licitatório e a empresa vencedora deve ser definida até o mês de outubro. Além da Lagoa do São Joaquim, também passarão por intervenções as Lagoas do Mazerine, Piçarreira e Lagoa dos Oleiros.

Técnicos explicam intervenções do Programa Lagoas do Norte para comunidade do São Joaquim

A equipe do Programa Lagoas do Norte reuniu-se na tarde desta quarta-feira com moradores do entorno da Lagoa do São Joaquim, um dos pontos que passará por obras de requalificação urbana na segunda etapa do programa. A reunião, que aconteceu na Unidade de Proteção Socioambiental do PLN, no bairro Matadouro, teve como objetivo explicar para a comunidade as intervenções que serão feitas na região e o processo realizado quando for necessária a desapropriação parcial de terrenos, construindo um diálogo com as pessoas afetadas.

O encontro desta quarta faz parte de uma série de eventos semelhantes com famílias da região da Lagoa do São Joaquim, que estão sendo informadas sobre o que está previsto para os próximos anos nas suas áreas, como requalificação urbana e melhorias habitacionais, investimentos no sistema de drenagem, na segurança, iluminação e acessibilidade, além de melhorias ambientais, com plantio de espécies nativas e conservação da paisagem existente. Para lazer da população, será instalada uma academia, espaços de convivência e brinquedos infantis.

Um dos pontos mais importantes abordados na reunião foi em relação às indenizações que serão pagas às famílias que terão parte de seus terrenos utilizados durante as obras, de forma que não haja prejuízos para os moradores. “O Programa Lagoas do Norte trabalha voltado para o reassentamento do menor número possível de famílias, mas quando é necessário, trabalhamos em conjunto com a mediação da OAB para encontrar formas que todos fiquem satisfeitos”, explica o diretor geral do programa, Márcio Sampaio.

A equipe do PLN explicou para as famílias presentes as opções de indenização, que podem ser feitas com dinheiro, através de pagamento de acordo com laudo da avaliação do terreno, ou através de serviços prestados, com melhorias nos próprios imóveis dos moradores da região. “Partes dos terrenos deles serão utilizados, mas eles irão permanecer na área. Se não tivermos esses pedaços de terreno, não teremos como fazer as intervenções para melhorar a drenagem”, explica a diretora da Unidade de Proteção Socioambiental, Conceição Ferreira.

Este diálogo é visto como uma parte importante do trabalho do Lagoas do Norte, que envolve diversas comunidades na região mais ligada às suas tradições em Teresina. “A Prefeitura busca realizar essas intervenções em parceria com a população, buscando o consenso para que todos possam ser beneficiados pelas obras”, explica o secretário de planejamento José João Braga.

A aposentada Maria das Graças, de 70 anos, foi uma das mais entusiasmadas com as intervenções. “Muito bom, quero que façam logo. Pra gente ficar livre dos alagamentos, do fedor, dos problemas que tem ali”, conta ela.

Também aposentado, João Antonio da Silva, de 61 anos, foi mais cauteloso. Ele mostrou preocupação ao questionar se seria obrigado a doar o seu terreno para a Prefeitura, o que foi prontamente corrigido pela equipe do PLN. “No início eu fiquei confuso, mas gostei quando foi explicado que a gente vai ter essas indenizações. Eu comprei esse terreno 20 anos atrás e não posso perder o que paguei, mas gostei muito da reunião. Vale a pena, essa obra é uma maravilha, vai acabar com o matagal, ficar uma coisa mais higiênica. Vou sair no fundo do meu muro e ver uma praça, uma coisa bonita, não um esconderijo de bandidos”, afirma.

A reunião desta quarta-feira precede outros eventos e atendimentos individualizados que serão feitos pela equipe de assistência social com as famílias. Atualmente as obras estão em processo licitatório e a empresa vencedora deve ser definida até o mês de outubro. Além da Lagoa do São Joaquim, também passarão por intervenções as Lagoas do Mazerine, Piçarreira e Lagoa dos Oleiros.

Núcleo Gestor se reúne para discutir revisão do Plano Diretor

O Núcleo Gestor da revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT) reuniu-se nesta terça-feira, na sala de reuniões da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN), para revisar os pontos da minuta de lei do plano. O trabalho de constante revisão com profissionais de várias áreas é visto como fundamental para atingir os objetivos propostos, de tornar a cidade mais concentrada e com infraestrutura adequada, uma vez que o PDOT abrange todos os aspectos da ocupação de Teresina.

A reunião contou com vários membros dos órgãos incluídos na formação do núcleo gestor. Estiveram presentes, através de seus representantes, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh), a Procuradoria Geral do Município, a Superintendência de Desenvolvimento Rural (SDR), e a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec), além da própria Semplan.

Jhamille Almeida, secretária executiva de planejamento urbano da Semplan, lembra que esta reunião faz parte de todo o roteiro de discussões em torno do PDOT, ressaltando o aspecto democrático da revisão. “Na última semana estivemos reunidos com o comitê de acompanhamento, com órgãos externos, que demonstraram suas preocupações, e hoje já acertamos alguns pontos com a equipe da prefeitura através do núcleo gestor”, explica.

O secretário de planejamento, José João Braga, destaca a relevância do tema, o que exige um trabalho bem elaborado e minucioso em cada ponto. “O Plano Diretor vai apontar os rumos do crescimento da cidade, não podemos deixar nenhum aspecto sem a devida revisão com a participação de todos os órgãos competentes. Estamos abertos às críticas”, afirma.

Representante das SDU’s no núcleo gestor, Constance Jacob destaca a necessidade da participação de todos na revisão do PDOT. “É muito importante nesse momento a gente reunir esse núcleo gestor que lida com diferentes aspectos envolvido no PDOT. No momento dessa reunião a gente pega as especificidades de cada um dos reunidos, seja quem tem habilidade maior com drenagem, parcelamento do solo, para consolidar todas as diretrizes que estão propostas. É um assunto complexo e por isso não pode ser decidido por um órgão só da prefeitura, precisa desse colegiado de gestão”, diz ela.

Com a revisão do Plano Diretor, a prefeitura busca tornar a cidade mais concentrada nas regiões centrais e próximas dos corredores de transporte, onde já existe uma estrutura adequada, melhorando também a qualidade de vida da população, que perderá menos tempo em deslocamentos e terá à disposição todos os equipamentos públicos necessários.

Festival de pipas marca inicio da Colônia de Férias do Parque Lagoas do Norte

Um grande momento de descontração está sendo preparado no Parque Lagoas do Norte. Trata-se do Festival de pipas, que acontece no dia 22 de julho, a partir de 8 h da manhã, dando início à colônia de férias. Pessoas de todas as idades podem participar do festival, basta comparecer no parque com a sua pipa e se divertir.

A intenção é de criar um grande colorido no céu, deixando mais bela a paisagem do Parque, além de proporcionar um momento de lazer a todas as pessoas presentes. A expectativa é de que a população das comunidades próximas compareça em grande número. A maior e menor pipa serão premiadas com medalhas.

“Será um grande momento que abrirá a nossa colônia de férias. Soltar pipa é uma brincadeira tradicional deste período do ano, onde os ventos são mais fortes. Queremos proporcionar essa descontração para as crianças, e queremos também que os adultos presentes participem, relembrando os bons momentos da infância”, ressaltou Jorgenei Moraes, diretor do Parque Lagoas do Norte.

A Colônia de férias já é tradicional no Parque Lagoas do Norte. Este ano será a 7° edição e receberá 400 crianças de diferentes faixas etárias. Crianças de 6 a 8 anos participarão das oficinas de histórias. Crianças de 9 a 14 anos podem se inscrever nas oficinas de berimbau, capoeira, oficinas de confecção de boi reciclado, ou participar de modalidades esportivas como atletismo, handebol de areia, futebol de campo, tênis de mesa, voleibol, dentre outras. Todas as crianças terão aula de educação ambiental na Sala Verde, onde o enfoque será o saneamento.

Equipe do Lagoas do Norte apresenta diretrizes do programa para secretarias parceiras

A equipe do Programa Lagoas do Norte (PLN) apresentou, na manhã desta quinta-feira (12), no Parque Lagoas do Norte, as principais obras, diretrizes e objetivos do Programa para membros de outras secretarias da administração municipal de Teresina. O objetivo é fazer com que as outras pastas compreendam melhor o funcionamento e se tornem parceiras nos projetos implantados, que buscam melhorar a qualidade de vida da população na zona Norte.

A apresentação foi feita pelo diretor geral do Programa, Márcio Sampaio, que apresentou as obras realizadas na primeira etapa, já concluída, e o que está em andamento atualmente com a segunda etapa, com investimentos quatro vezes maiores. O Lagoas do Norte atua em diferentes áreas buscando melhorar a qualidade de vida dos habitantes da região.

“O foco principal do PLN é o saneamento, mas ele vai além disso, atuando em requalificação dos espaços urbanos, impulsionando a economia local, e modernizando a administração e governança. Por isso, é importante a articulação de todas as secretarias”, afirma o diretor geral do Programa, Márcio Sampaio.

Participaram da reunião membros de várias pastas que trabalham de alguma forma em interação com o PLN. Entre elas estão a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEMEL), responsável por equipamentos e organizações esportivas que funcionam no Parque; a Secretaria Municipal de Educação, que leva alunos da rede municipal para aulas de educação ambiental in loco no Parque; a Fundação Wall Ferraz, que analisa cursos profissionalizantes a serem realizados em parceria com a Unidade de Projetos Socioambientais; e a Fundação Cultural Monsenhor Chaves, uma parceira em eventos no Teatro do Boi e no próprio Parque.

Outra pasta presente foi a Secretaria Municipal de Economia Solidária (SEMEST), representada pelo secretário Ricardo Bandeira, que prevê formas de estimular o comércio de artesanato na região. “Vamos fazer quatro feiras nos próximos 12 meses, concentrando artesãos dos 13 bairros, para fortalecer a economia solidária dessas comunidades. Queremos também ampliar o alcance da escola de arte santeira, para perpetuar essa nossa tradição, ensinando o ofício e descobrindo novos talentos”.

A busca dessa integração com outros órgãos da administração municipal foi comemorada pelo diretor do Parque Lagoas do Norte, Jorgenei Morais, que vê assim uma forma de potencializar os resultados. “São parcerias importantes para o desenvolvimento das atividades cotidianas do parque, para o bom atendimento à comunidade. Cada área da PMT, na sua competência e área de atuação, é fundamental para que consigamos o nosso maior objetivo, que é melhorar a qualidade de vida da população”.

O secretário da SEMPLAN, José João Braga, reforçou a importância deste processo de trabalho coordenado entre as pastas. “Todas as secretarias, cada uma em sua área, trabalham no sentido de melhorar a qualidade de vida da população, e trabalhando juntas conseguem um maior impacto positivo”.

Parque Lagoas do Norte sedia o 14º Festival de Bois de Teresina

O Festival de Bois de Teresina é uma festividade tradicional que acontece anualmente na capital piauiense e, em 2018, chega a sua 14° edição, que acontece nos dias 21 e 22 de julho, no Parque Lagoas do Norte. O evento é realizado pela Fundação Cultural Monsenhor Chaves em parceria com a Semplan, através do Programa Lagoas do Norte.

O evento consiste na apresentação de grupos de boi-bumbá ou bumba meu boi. A festa é uma das mais populares e importantes do folclore brasileiro. Trata-se de uma brincadeira de rua que acontece em vários estados do Brasil, especialmente no Norte e no Nordeste. Ela surgiu a partir de uma lenda nordestina da época do ciclo do gado, nos séculos XVII e XVIII. Naquele tempo, a vida das pessoas do interior da região girava em torno do boi e de sua criação. A história começou a ser encenada e se tornou um espetáculo de rua.

No sábado, dia 21, as atrações ficam por conta da quadrilha Chapadão do Corisco, com a apresentação de boi garantido, saindo em batucada da Praça dos Orixás até o anfiteatro do Parque Lagoas do Norte. Em seguida, acontece a orquestra Boi Precioso e a apresentação dos grupos Boi Chacumboi, Boi Riso da Floresta, Boi Estrela D’alva e Boi Estrela da Noite. O encerramento é com o Forró pé de serra de Flávio Augusto.

A quadrilha Chapadão do Corisco abre novamente o evento no domingo, dia 22. A orquestra fica por conta do grupo Boi Mimo de São Jorge. Na sequência se apresentam os grupos Boi Mimo de Santa Cruz, Boi Dominante da Ilha, Boi Capricho da Ilha, Riso da Mocidade e Boi Imperador da Ilha. A banda Forró Pajeú encerra a noite.

“Esse festival está sendo bastante aguardado pela comunidade da zona Norte, pois é uma comunidade muito efervescente, que vive intensamente essa tradição do boi-bumbá, que é inclusive tema da nossa colônia de férias”, destaca Jorginei Moraes, diretor do Parque Lagoas do Norte.

O secretário de planejamento, José João Braga Júnior, valorizou a importância do Parque sediar um evento cultural como esse, que reforça as tradições daquela região da cidade. “A zona Norte é o berço de Teresina e extremamente ligada com suas tradições. Sediar este encontro de bois ajuda a comunidade a manter as suas raízes”, conclui.

SEMPLAN busca parceria com ONU para implantar programa de equidade de gênero em Teresina

A equipe da Agenda 2030, da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN), está trabalhando com a ONU Mulheres para tratar de estratégias desenvolvidas dentro das políticas públicas de Teresina, com enfoque na política de igualdade de gênero. Foram discutidas as possibilidades da inclusão de programas da ONU Mulheres em Teresina, como o “Cidade 5050”, que busca promover a igualdade de gênero.

Através deste programa, são implantadas diversas ações visando este objetivo, como fomentar o empreendedorismo e abrir vagas em cursos técnicos  para o sexo feminino, especialmente em áreas tradicionalmente não ocupadas por mulheres; implementar centros de referências para apoio às mulheres vítimas de violência; incluir conteúdos sobre a igualdade de gênero e raça nos currículos escolares do sistema público municipal de educação, a fim de prevenir a violência contra mulheres e meninas dentro e fora do ambiente escolar, entre outras medidas.

O programa surge do reconhecimento da importância das políticas públicas municipais para a promoção da igualdade de gênero e para o empoderamento das mulheres no território das cidades, nas esferas pública e privada, na economia, na política, no ambiente de trabalho, na saúde, na educação, e outras áreas de incidência na cidadania.

“Eles demonstraram interesse em trabalhar com a Prefeitura de Teresina. Estamos trazendo o programa para a Prefeitura, e juntamente com a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres, estudaremos a adesão do programa”, ressalta Gabriela Uchôa, coordenadora da Agenda 2030 em Teresina.

SEMPLAN e comissão de acompanhamento discutem minuta de lei do PDOT

A secretária executiva de planejamento urbano da Semplan, Jhamille Almeida, reuniu-se nesta segunda-feira com membros da comissão de acompanhamento do Plano Diretor de Ordenamento Territorial de Teresina para discutir sobre a minuta de lei do plano e fazer possíveis ajustes no texto que será levado à Câmara Municipal de Teresina.

A comissão de acompanhamento foi eleita em audiência pública ainda em 2017, para acompanhar o avanço da construção do PDOT. Na reunião desta segunda-feira, estavam presentes representantes do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), do Conselho Regional de Engenharia e Agrimensura (CREA), Instituto de Arquitetos do Brasil e da Câmara Municipal.

“A gente se reuniu para dizer os próximos passos. A partir de agora temos uma minuta de lei consolidada e eles vão trazer sugestões de ajustes. O processo precisa ser participativo do inicio ao fim, por isso estamos chamando os atores envolvidos e a secretaria esta à disposição para fazer as discussões necessárias”, diz Jhamille Almeida.

Com a minuta em mãos, é possível passar para uma etapa mais específica da elaboração do PDOT, que vem sendo discutido em audiências públicas com diversos setores da sociedade civil. “A ideia é que a partir de agora a gente faça reuniões setoriais com cada um e eles sejam interlocutores dos representados por eles. Serão reuniões mais técnicas, porque nós estávamos discutindo a estratégia e agora temos a minuta de lei para organizar”, explica Jhamille.

O PDOT busca reorientar a ocupação do espaço urbano em Teresina. A estratégia gira em torno de tornar a cidade mais densa ao redor dos corredores de transporte, facilitando a mobilidade e impedindo a contínua expansão horizontal da cidade, que dificulta a prestação de serviços públicos de qualidade nos bairros mais afastados.

Comitê Lagoas do Norte conhece projetos de requalificação de 04 lagoas

A equipe do Programa Lagoas do Norte esteve reunida na tarde da última quarta-feira (04) com membros do Comitê Lagoas do Norte, composto por representantes de moradores dos 13 bairros beneficiados pelo Programa. A reunião foi realizada para apresentar o detalhamento dos projetos de requalificação urbana e ambiental das lagoas Mazerine, Piçarreira, Oleiros e São Joaquim, na zona Norte de Teresina.

“A Prefeitura de Teresina lançou o edital de licitação para obras de requalificação urbana e ambiental destas lagoas com o objetivo de tornar esses espaços mais agradáveis à comunidade, transformando-os em locais de convivência comunitária, melhorando a qualidade de vida das pessoas e estimulando o lazer e a prática de esportes. Com essa reunião com o Comitê Lagoas do Norte, damos início à apresentação formal dessas intervenções para as comunidades. O próximo passo é realizar a apresentação aos moradores das áreas que receberão as intervenções constantes no edital”, explicou Marcio Sampaio, diretor do Programa Lagoas do Norte.

Equipe do Programa Lagoas do Norte reunida com o comitê

João Meireles, ambientalista do Instituto Cabar e membro do Comitê Lagoas do Norte, ressaltou que o Programa Lagoas do Norte contribui para que a população viva em pleno equilíbrio com o meio ambiente.

“Toda a civilização da zona Norte de Teresina foi assentada em um berçário ambiental, pela proximidade com os rios e com as lagoas. Eu acompanho o Programa Lagoas do Norte há muito tempo, como ambientalista do Instituto Cabar, e percebo que o Programa é trabalhado pela Prefeitura de Teresina para preservar a saúde, a segurança e o bem viver de todos. Por isso digo que o Lagoas do Norte tem essa força curadora, de promover a reconciliação do homem com o meio ambiente e de fazer com que cada parte tenha garantidos os seus direitos à dignidade, à civilidade e à qualidade de vida, estabelecendo um equilíbrio pleno entre as pessoas, a necessidade histórica da cidade, a historicidade , o meio ambiente e a economia”, disse,

Para Albertino Ribeiro, presidente do Comitê Lagoas do Norte, a requalificação urbana e ambiental das lagoas Mazerine, Piçarreira, Oleiros e São Joaquim trará mais qualidade de vida e saúde para a população.

“A comunidade vai viver uma transformação positiva, porque serão construídas pistas e passeio para caminhadas, áreas infantis e de convivência, além de melhoria nas ruas e na iluminação. As lagoas serão limpas e a cidade ganhará espaços mais bonitos, preservados, com drenagem, trazendo mais tranquilidade, segurança e qualidade de vida. Essa obra não é só beleza. É respeito à dignidade das pessoas, à nossa história de vida. As comunidades do Programa Lagoas do Norte estão satisfeitas e estamos em permanente diálogo com a Prefeitura, para atender cada vez melhor a população”, pontuou Albertino Ribeiro.

O edital de licitação para obras de requalificação urbana e ambiental das lagoas Mazerine, Piçarreira, Oleiros e São Joaquim e seus anexos estão disponíveis no site da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN), no endereço: http://semplan.teresina.pi.gov.br/lagoas-do-norte-licitacao-2018/ .

“A gente anda pelas comunidades e é muito importante saber direitinho como tudo vai acontecer, o que vai ser feito, pra informar do jeito certo. Na primeira fase, o Lagoas do Norte trouxe uma grande transformação. Agora, na segunda fase, a transformação será ainda maior e melhor”, opinou Ana Maria da Silva, moradora do Canal São Joaquim e membro do Comitê Lagoas do Norte.

Prefeituras de Teresina e Fortaleza trocam experiências sobre ferramentas de gestão

Servidoras da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação de Teresina (SEMPLAN) realizaram uma visita técnica às secretarias de Planejamento, Orçamento e Gestão (SEPOG) e Finanças (SEFIN), da Prefeitura Municipal de Fortaleza, com o objetivo de conhecer os modelos de sistemas implantados de Planejamento Estratégico na Gestão Pública e Monitoramento de Resultados da capital cearense.

Na oportunidade, as gestoras conheceram o Sistema Integrado de Orçamento e Planejamento (SIOPFOR), o Sistema de Monitoramento de Ações e Projetos Prioritários de Fortaleza (MAPPFOR) e o Sistema de Gestão da Performance (SIGEP).

“Houve uma grande troca de conhecimentos, com metodologias que agregam aos processos de gestão municipal de Teresina, feitos através do Sistema de Monitoramento de Ações, Programas e Projetos (SIMAPP), já desenvolvido e implantado em 2014 pela Prefeitura na orientação do planejamento e acompanhamento de resultados dos órgãos municipais de Teresina” ressaltou Aurélia Araújo, gestora de monitoramento da SEMPLAN.

Foram apresentados pela Coordenadora de Planejamento, Orçamento e Monitoramento, Maria Aparecida, os sistemas SIOPFOR e MAPPFOR, ambos de Controle e Monitoramento da Gestão Municipal através do Plano Plurianual (PPA). Os sistemas monitoram o orçamento com as ações e projetos prioritários de todas as secretarias municipais. A Secretaria de Finanças apresentou, por meio do secretário municipal Jurandir Gurgel, o SIGEP, responsável por todo o planejamento estratégico da secretaria.

Adriana Morgado, também gestora de monitoramento da SEMPLAN, garante que a experiência foi bastante positiva. “A visita foi muito importante. Tivemos conhecimentos de sistemas que funcionam de forma integrada e são de estrutura própria de cada secretaria. Esperamos com esse aprendizado incrementar e melhorar o nosso sistema. Além de tudo, a visita também colaborou para implementações no processo de indicadores do Plano Plurianual – PPA de Teresina”, concluiu Adriana.