Parque Lagoas do Norte é praça de esportes e lazer

Com 254.286,27 m² de área total, o que corresponde a 25 hectares de área aberta, o Parque Lagoas do Norte se consolidou como praça de esportes e lazer para a população da zona Norte da capital. Diariamente, os espaços do Parque são utilizados para a prática de diversas modalidades esportivas e recebem famílias em momentos de lazer e recreação.

 

No início das manhãs e aos finais de tarde, moradores do entorno se reúnem no Parque para aulas de aeróbica e ginástica localizada, ministradas por educadores físicos, e para a prática de caminhada e corrida. É constante também a prática de atividade física nos equipamentos da academia popular instalada no Parque e a presença de crianças no espaço destinado à recreação.

 

A professora aposentada Maria Ieda Santiago mora no bairro Acarape e é frequentadora assídua do Parque Lagoas do Norte, onde realiza atividades físicas: “Sempre gostei de me cuidar mas, desde que o Parque foi criado, deixei a academia e passei a fazer minhas atividades ao ar livre, com essa paisagem linda. Aqui, a gente cuida do corpo e da mente e faz amizades, cultiva a alegria de viver. As aulas de ginástica no Parque são uma motivação para seguirmos felizes, em harmonia com a natureza à nossa volta. Isso sem falar que a gente não paga nada, o que torna tudo ainda melhor. A gente cuida da saúde e ainda faz economia!”, comentou.

 

Aos finais de tarde e à noite, a população da região Norte utiliza as quadras do Parque Lagoas do Norte para jogar futsal, capoeira, futebol e vôlei de areia. Aos finais de semana, no final das tardes, o campo de futebol do Parque sedia torneios e jogos de times da região e a administração do Parque é palco de encontros de diversas comunidades religiosas.

 

“A Prefeitura de Teresina tem investido na gestão do Parque Lagoas do Norte e mantém programas de recuperação periódica dos brinquedos e da academia ali instalados e uma equipe permanente de limpeza para a conservação do local. A SEMDUH e a SDU Centro Norte realizam, periodicamente, manutenção na iluminação pública e mutirões de limpeza em todo o entorno do Parque. Além disso, a administração municipal mantém uma parceria com o 9º Batalhão da Polícia Militar, que desenvolve atividades de grupo de capoeira e do Pelotão Mirim, aos sábados, no Parque Lagoas do Norte. Há ainda, no Parque, uma tradição de eventos das mais diversas congregações religiosas e comunitárias, geralmente aos finais de semana, e com prévio agendamento na administração”, destacou Erick Amorim, coordenador do Programa Lagoas do Norte.

 

De acordo com o coordenador, um dos maiores desafios da Prefeitura de Teresina é a prevenção e o enfretamento à depredação do patrimônio público na área do Parque Lagoas do Norte.

 

“Desenvolvemos continuamente ações de educação ambiental e de conscientização cidadã, mas o Parque sofre com a depredação e o uso inadequado das instalações. Já registramos a ocorrência de ligações clandestinas de energia elétrica e destruição de bancos, placas e equipamentos. As atividades educativas e a ocupação do Parque pela população ajudam a evitar esses danos; mesmo assim, quando ocorrem, a Prefeitura toma as providências para reparar. A população que utiliza o Parque tem nos ajudado muito na prevenção à depredação e temos a certeza de que, cada vez mais, o desrespeito ao patrimônio público irá diminuir”, completou Erick Amorim.

 

Para dona Maria José da Silva Barros, moradora do bairro São Joaquim, a população precisa se conscientizar de que o patrimônio público deve ser cuidado por todos: “Venho todos os dias ao Parque, fazer atividade física, e minha filha participa do Pelotão Mirim, aos sábados. Mas eu sei que o Programa Lagoas do Norte é mais do que o Parque, por isso aproveito todas as outras oportunidades que ele nos traz. Tem muitas mulheres aqui que são chefes de família e o Lagoas do Norte nos valoriza, com ações de qualificação profissional e de desenvolvimento sustentável. Participei do curso de Gestão em Negócios, para aprender mais e me qualificar. Depois do Programa, todo mundo quer vir ao São Joaquim, nossa comunidade está muito mais bonita. Mas não é só a Prefeitura fazer, nós temos que manter esse benefício, por isso faço questão de aprender a conservar as lagoas limpas e a preservar os bichos que vivem aqui. Ter todos os dias, na porta de nossas casas, a visão do Parque, com as lagoas saneadas, as pessoas caminhando e as crianças podendo brincar, é motivo para muita festa”, pontuou.

Mutirão promove conscientização ambiental na zona Norte

Cerca de 110 famílias estão sendo beneficiadas com o mutirão de limpeza nas ruas que formam o entorno da lagoa do Parque Alvorada, zona Norte de Teresina. Realizado na manhã deste sábado (13), o mutirão também conta com ações de conscientização às pessoas sobre a obra de esgotamento sanitário que será implantada naquela região com o objetivo de proteger lagoas e mananciais, reduzindo os índices de doenças de veiculação hídrica e melhorando a qualidade de vida da população.

 

A lagoa do Parque Alvorada fica localizada ao fundo de 50 casas e está completamente tomada de aguapés. Maria das Graças, mais conhecida como Maria do Frango, conta que a sujeira do local gera acúmulo de insetos em sua casa: “Eu moro aqui há muitos anos com a minha família e às vezes até adoecemos por conta da sujeira que fica na lagoa. Além do constante mau cheiro, também sofremos com insetos e medo de aparecer cobra. Mas a Prefeitura está promovendo essa limpeza e eu tenho muita fé de que verei tudo feito e limpo. Depois, é a hora de cada morador fazer sua parte para manter a limpeza. O carro do lixo passa três vezes por semana, sem falhar, então é só ter o costume de dar o destino certo ao lixo. Outra coisa que me deixa feliz demais é essa obra de esgotamento sanitário. Minha vida, enfim, está mudando para melhor”, comemora.

 

Ao total, 14 pessoas da Superintendência de Desenvolvimento Urbano Centro Norte (SDU/CN) e comunidade realizam a limpeza da lagoa. “É muito importante essa aproximação da sociedade, por isso, só tenho a agradecer a participação dos moradores nessa ação. O mutirão é realização do Programa Lagoas do Norte e nossa preocupação é justamente com a qualidade de vida das pessoas, proporcionando condições básicas de saúde e meio ambiente para a população”, garante o secretário municipal de planejamento e coordenação, Washington Bonfim.

 

A presidente da Associação dos Moradores do Parque Alvorada, Beatriz Pimentel, reafirma a importância da presença da comunidade no mutirão: “Hoje está sendo um dia de aprendizado, porque é muito importante conscientizar os moradores dos malefícios causados com o acúmulo do lixo. Então, esse momento serve para mostrar que a sociedade também precisa fazer sua parte, como a simples ação de colocar o lixo em sacolas para o carro de coleta recolher. A obra de saneamento sanitário também é aguardada com muita expectativa. A vida de todos aqui vai melhorar muito”, conta.

 

O mutirão percorre as ruas Professor Ludovico, Telegrafista Francisco Medeiros, São Sebastião e Canindé realizando a limpeza da lagoa e a coleta de lixo e entulho dos quintais. Toda a limpeza está sendo monitorada pela polícia ambiental. A vigilância em saúde ambiental da Fundação Municipal de Saúde (FMS) também esteve na ação e realizou orientações para a população sobre o uso de hipoclorito de sódio.

 

“O mutirão está limpando e tratando as águas da lagoa, reduzindo os riscos à saúde dos moradores. A sociedade também precisa nos ajudar limpando os seus quintais e evitando o posterior acúmulo de resíduos na lagoa. Em breve, os moradores também vão contar com um sistema de esgotamento sanitário para dar o destino correto ao esgoto e às águas servidas em cada casa, reduzindo a poluição ambiental e aumentando a qualidade de vida da população”, finaliza Conceição Ferreira, coordenadora social do Programa Lagoas do Norte.

 

O mutirão é uma ação do Programa Lagoas do Norte, por meio de articulação entre as secretarias municipais de Planejamento (SEMPLAN); de Educação (SEMEC); e de Trabalho, Cidadania e Assistência Social (SEMTCAS); a Fundação Municipal de Saúde (FMS); a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMAM); e a Superintendência de Desenvolvimento Urbano Centro Norte (SDU/CN).

Firmino Filho destaca os desafios de Teresina na abertura da I Conferência de Saneamento Básico

O Prefeito Firmino Filho participou na manhã dessa sexta-feira (12) da abertura da I Conferência Municipal de Saneamento Básico e destacou os principais desafios que a gestação enfrentará para conseguir universalizar a distribuição de água e a oferta de saneamento básico. Na programação do evento, a palestra “A Gestão de Saneamento básico no município” ministrada pelo mestre em economia Pedro Scazufca. O evento é organizado pela Secretaria Municipal de Planejamento e acontece no auditório Ipê da faculdade Uninovafapi.

 

“Estamos vivendo nas Cidades Brasileiras a convivência de duas grandes agendas: a que recebemos do século XX e os grandes desafios da sustentabilidade. Temos um grande desafio que é a mobilidade. Em Teresina, são mais de 400 mil veículos circulando e o resultado disso a gente percebe ao se deslocar pela cidade. Em termos de infraestrutura urbana, o saneamento é o grande desafio, principalmente em termos de esgotamento. Temos apenas 18% da nossa cidade com serviço de esgoto. Avançamos na drenagem”, destacou o prefeito.

 

Firmino lembrou que ontem (11) foi assinada a Lei da Drenagem, que regulamenta as regras para novos empreendimentos. O texto estabelece que os empreendimentos com mais de 500 metros quadrados devam apresentar planos de drenagem do espaço.

 

“Estamos buscando o enfrentamento dessas questões. Essa conferência vai incidir direto no ponto principal do nosso problema. Vamos buscar construir esse instrumento tão importante para que possamos avançar no futuro do povo teresinense”, disse.

 

Na palestra de abertura, Pedro Scazufca esclareceu a situação atual do saneamento básico no país todo. Segundo dados pesquisados junto às concessionárias do setor em todos os estados, 82,50% da população é atendida pelos sistemas de abastecimento de água; 48,64% da população tem suas casas ligadas ao sistema de esgotamento; apenas 39% do esgoto é tratado e 100 milhões de pessoas não são atendidas pela coleta de lixo. Um dos grandes problemas colocados pelo palestrante são as perdas de água: 36,95% da água produzida no país é perdida e o Nordeste tem um índice de 45% de perdas.

 

Dos mais de 5 mil municípios brasileiros, segundo Pedro Scazufca, menos de 25% tem um plano municipal de saneamento. “O Brasil está atrasado nessa questão do saneamento de uma forma geral. A quantidade de municípios que estão se preocupando com a questão é pequena e a maioria dos que já possuem o plano não se preocuparam em fazer um documento consistente, com planejamento de tratamento dos resíduos sólidos e coleta seletiva, por exemplo”, comentou.

 

Pedro Scazufca elogiou a iniciativa de Teresina, que está buscando elaborar um plano completo de saneamento e destacou que há recursos disponíveis para investimentos no setor, basta que os municípios e as concessionárias consigam melhorar sua gestão. Ele recomendou que as Parcerias Público-Privadas, modernização das infraestruturas, diminuição das perdas e melhoria na gestão.

 

 

Fonte: SEMCOM – PMT

Conferência discute saneamento básico de Teresina

A Prefeitura de Teresina realiza, durante todo o dia de hoje (12), a I Conferência Municipal de Saneamento Básico, no auditório Ipê, do Centro Universitário UNINOVAFAPI.

 

O objetivo da conferência é discutir temas relacionados ao saneamento básico, como drenagem urbana, esgotamento sanitário e gestão dos resíduos sólidos, e apresentar o texto preliminar do Plano Diretor de Saneamento Básico de Teresina, que deve ser concluído até o final de 2015.

 

“Esse é 25° encontro que a Prefeitura de Teresina promove com a sociedade para discutir o saneamento básico e formatar o Plano Diretor, o que demonstra a relevância da construção participativa das soluções, ouvindo especialistas mas, principalmente, ouvindo e entendendo as demandas sociais”, comentou Erick Amorim, diretor presidente do Serviço Municipal de Águas e Esgotos de Teresina (SEMAE).

 

Presente ao evento, o prefeito Firmino Filho destacou a importância da construção do Plano Diretor de Saneamento Básico de Teresina, que guiará as políticas públicas para os próximos anos: “O Plano Diretor trará as diretrizes para as políticas públicas de saneamento básico na cidade e identificará as prioridades da administração pública nessa área para os próximos 20 anos. Ampliar a cobertura de saneamento básico de Teresina é um dos desafios que enfrentamos e a Prefeitura de Teresina tem mostrado sua ação também nesse quesito. O Programa Lagoas do Norte é uma importante contribuição para o saneamento básico da zona Norte de Teresina. Estamos entregando agora, por meio do Programa Lagoas do Norte, o sistema de esgotamento sanitário dos bairros Matadouro e São Joaquim, que eleva em 3% a cobertura total de saneamento da capital. É um número relevante para a qualidade de vida da população, mas faremos ainda mais. Essa conferência é uma oportunidade de discutirmos as diretrizes nacionais e os novos regramentos sobre drenagem e destinação de resíduos sólidos e de trabalharmos juntos para a construção de um regramento local que, de fato, atenda às nossas necessidades e aponte soluções às nossas demandas”, frisou.

 

Palestras

 

Ao abordar a gestão do saneamento básico nos municípios, o coordenador do Grupo Técnico de Parcerias Público-Privadas da Sabesp, Pedro Scazufsca, mostrou os indicadores de saneamento básico brasileiros: “No Brasil, 100 milhões de pessoas não possuem coleta de esgoto. A situação do abastecimento de água é melhor, mas assim existe uma perda média de distribuição muito elevada, de 37%. No Nordeste, essa perda chega a 45%. O saneamento básico é uma agenda atrasada no Brasil, tanto em relação a outras áreas de investimento, internamente, como em comparação a outros países. Para alcançarmos as metas propostas pelo Plano Nacional de Saneamento, os investimentos devem crescer pelo menos 50%”, declarou.

 

O presidente do Conselho de Administração da Agespisa, Herbert Buenos Aires, apresentou os desafios da Agespisa na cidade de Teresina e falou sobre a realização de estudos para verificar a viabilidade de parceria com setor privado para a gestão de água e esgotos na capital.

 

Segundo Herbert Buenos Aires, a meta para Teresina no Plano Nacional de Saneamento é ter o serviço de coleta e tratamento de esgotos universalizado no ano 2031. “Mantidos os investimentos nos padrões atuais, será impossível alcançar essa meta. Seriam necessários mais de 80 anos para atingi-la. A Agespisa hoje tem déficit financeiro na prestação de serviços, seja por perdas de distribuição, seja por ligações feitas em ocupações irregulares, seja por outras questões. Não temos tido, ao longo do tempo, os investimentos necessários e o Governo do Estado tem o desafio de mudar esse quadro. Precisamos melhorar o atendimento e recuperar o atraso, dando à população uma melhor qualidade de vida”, observou Herbert Buenos Aires.

 

A I Conferência Municipal de Saneamento Básico trouxe ainda, no período da manhã, palestras sobre a gestão da drenagem urbana e dos resíduos sólidos nos municípios.

 

À tarde, os inscritos participarão de painéis sobre a gestão de águas e esgotos de Teresina; gestão de resíduos sólidos; gestão de drenagem urbana; e controle social no saneamento básico.

 

Cerca de 450 pessoas se inscreveram para o evento.

 

A I Conferência Municipal de Saneamento Básico é uma realização da Prefeitura de Teresina, com apoio do UNINOVAFAPI e da DRZ.

 

 

Mutirão de limpeza acontece amanhã no Parque Alvorada

A Prefeitura de Teresina, através do Programa Lagoas do Norte, desenvolverá um mutirão de limpeza nas ruas que formam o entorno da lagoa do bairro Parque Alvorada, zona Norte de Teresina. A ação acontece amanhã (13) e ainda contará com ações de conscientização às famílias sobre a correta destinação do lixo.

 

A lagoa do Parque Alvorada fica localizada ao fundo de 50 casas e está tomada de aguapés. Para a coordenadora social do Programa Lagoas do Norte, Conceição Ferreira, é importante discutir com a sociedade sobre a importância da destinação correta dos resíduos sólidos e das águas servidas para a população.

 

“A lagoa não tem espelho d’água e está completamente tomada de aguapés. Provavelmente, ela está cheia de água residual e esgoto. Por isso, além de limpar, também é importante conscientizar a população sobre os benefícios do esgotamento sanitário. Pois, se não houver ações mínimas de limpeza, a lagoa pode se transformar num veículo propagador de doenças”, observa Conceição Ferreira.

 

A ação visa percorrer as ruas Professor Ludovico, Telegrafista Francisco Medeiros, São Sebastião e Canindé realizando a limpeza da lagoa e a coleta de lixo e entulho dos quintais. A polícia ambiental fará o monitoramento da limpeza, que beneficiará 110 famílias ao total.

 

O mutirão é uma ação do Programa Lagoas do Norte, por meio de articulação entre as secretarias municipais de Planejamento (SEMPLAN); de Educação (SEMEC); e de Trabalho, Cidadania e Assistência Social (SEMTCAS); a Fundação Municipal de Saúde (FMS); a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMAM); e a Superintendência de Desenvolvimento Urbano Centro Norte (SDU/CN).

Parque Alvorada recebe mutirão de limpeza no sábado (13)

No próximo sábado (13), o Programa Lagoas do Norte desenvolve um mutirão de limpeza nas ruas que formam o entorno da lagoa do bairro Parque Alvorada, zona Norte de Teresina. A lagoa fica localizada no fundo de 50 casas e está tomada de aguapés. Assim, o mutirão terá caráter ambiental e ainda contará ações de conscientização às famílias sobre a correta destinação do lixo. A limpeza cobrirá as ruas Professor Ludovico, Telegrafista Francisco Medeiros, São Sebastião e Canindé.

 

“A lagoa não tem espelho d’água e está completamente tomada de aguapés. Provavelmente, ela está cheia de água residual e esgoto. Por isso, além de limpar, também é importante conscientizar a população de que, se não houver ações mínimas de limpeza, a lagoa pode se transformar em um veículo propagador de doenças”, observa Conceição Ferreira, coordenadora Social do Programa Lagoas do Norte.

 

O mutirão de limpeza deve informar a população sobre os benefícios do esgotamento sanitário e sobre a correta destinação do lixo. Durante a ação, que beneficiará 110 famílias ao total, a polícia ambiental fará o monitoramento da limpeza.

 

O mutirão é uma ação do Programa Lagoas do Norte, por meio de articulação entre as secretarias municipais de Planejamento (SEMPLAN); de Educação (SEMEC); e de Trabalho, Cidadania e Assistência Social (SEMTCAS); a Fundação Municipal de Saúde (FMS); a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMAM); e a Superintendência de Desenvolvimento Urbano Centro Norte (SDU/CN).

Workshop discute aspectos legais e gerenciais de parcerias público privadas

Teve início hoje (11) o Workshop sobre Parcerias Público-Privadas, promovido pela Prefeitura de Teresina. O evento acontece no auditório da Casa da Cultura de Teresina, até amanhã (12), e tem como público alvo servidores da administração municipal de Teresina.

 

O objetivo do workshop é apresentar conceitos essenciais sobre as parcerias público privadas (PPPs), tendo como foco a experiência brasileira recente sobre o assunto, a fim de avaliar o que pode ser aplicado em Teresina. Além dos conceitos fundamentais, o treinamento também terá a finalidade de apresentar as linhas gerais a respeito do planejamento de um programa de PPPs.

 

Presente ao evento, o prefeito Firmino Filho destacou que as PPPs são um tema relevante, pela baixa capacidade de poupança do poder público, que acaba impedindo as administrações de fazer investimentos sociais. “A parceria público privada deve ser vista como uma forma de ampliar a capacidade de investimento do poder público, mas não pode ser o único instrumento, por suas próprias limitações. Por isso a importância de debater o assunto e de aprofundar os conhecimentos da equipe da Prefeitura de Teresina. Temos a necessidade de fazer com que o poder público tenha condições de realmente atender as demandas da população, com cada vez mais qualidade”, ressaltou.

 

Para o secretário municipal de Planejamento e Coordenação, Washington Bonfim, a Prefeitura de Teresina inicia hoje, de maneira mais formal, um novo passo para a formatação de PPPs: “A Prefeitura já havia criado um grupo de trabalho para a formatação de PPPs e hoje amplia essa discussão, com a presença de um consultor e de representantes de diversos órgãos da administração municipal. Esse é um momento oportuno, já que o Governo Federal lançou um pacote de concessões. Todos sabem que o país vive um momento de crise. Mas a crise é, também, um momento de gerar oportunidades. Nosso desafio é encontrar áreas em que a parceria público privada possa ser realizada, com viabilidade econômica e com a garantia de melhoria para a população”, destacou.

 

O workshop terá duração de oito horas, divididas em duas manhãs. O curso é baseado na combinação de elementos teóricos com estudos de caso ou exercícios práticos, de modo a permitir que os participantes desenvolvam ferramentas para atuar de forma mais efetiva na formatação e gestão de parcerias público privadas.

 

“Hoje, o Estado brasileiro retira algo em torno de 37% das riquezas geradas pela produção social. O desafio é converter esses recursos orçamentários em valor para a sociedade, com transparência a respeito da arrecadação e dos gastos públicos. Esse desafio em relação à eficiência dos gastos públicos, infelizmente não está na pauta dos debates sociais. No workshop veremos, por meio dos aspectos legais e da análise de casos de PPPs em diversos municípios, que – a depender da capacidade do mercado e da capacidade institucional – a formação de uma parceria público privada dura, em média, de seis a 12 meses”, declarou Bruno Pereira, advogado e consultor da Radar PPP.
Além de gestores e servidores municipais de Teresina, participam também do workshop representantes da administração municipal de Timon e do Governo do estado do Piauí, a convite da Prefeitura de Teresina.

I Conferência de Saneamento Básico acontece amanhã (12)

Amanhã (12), a partir das 8 horas, acontece a I Conferência Municipal de Saneamento Básico no auditório Ipê, do Centro Universitário UNINOVAFAPI. As inscrições seguem abertas e o interessado pode realizar o cadastro gratuitamente no site da Prefeitura de Teresina (teresina.pi.gov.br), até às 8 horas dessa sexta-feira (12).

 
O diretor presidente do Serviço Municipal de Águas e Esgotos de Teresina (SEMAE), Erick Amorim, observa a importância da sociedade em participar da Conferência: “O evento será aberto ao público e é muito importante que a sociedade participe dos debates e palestras, porque é um momento de aproximação. É uma oportunidade de construirmos conjuntamente as soluções das quais necessitamos”, declara.

 
No evento, será discutida a gestão de saneamento básico de Teresina e debatidos temas relacionados à destinação de resíduos sólidos e à drenagem urbana nos municípios; à concepção dos sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário de Teresina; e ao controle social no saneamento básico.

 
A primeira palestra – A Gestão de Saneamento Básico nos Municípios – será ministrada proferida por Pedro Scazufsca, coordenador do Grupo Técnico de Parcerias Público-Privadas na Sabes. Em seguida, Roberto José Amorim Rufino Fernandes, pesquisador em geociências do Serviço Geológico do Brasil e professor da Uespi, abordará o tema A Gestão da Drenagem Urbana nos Municípios.

 
Às 10h20, Bertrand Sampaio de Alencar, do Instituto Tecnológico do Pernambuco (ITEP), vai apresentar a palestra A Gestão de Resíduos Sólidos nos Municípios. Ao final da manhã, Herbert Buenos Aires de Carvalho, presidente da Agespisa, irá proferir a palestra Desafios da Agespisa na Cidade de Teresina.

 
A I Conferência Municipal de Saneamento Básico é uma realização da Prefeitura de Teresina, com apoio do UNINOVAFAPI e da DRZ. A programação completa do evento está disponível no site da Prefeitura de Teresina.

PMT realiza novo teste na rede de esgotamento sanitário do São Joaquim

A Prefeitura de Teresina realizou hoje (11), novo rede de esgotamento sanitário do São Joaquim. Na manhã desta quinta-feira, foi testada a estação de bombeamento de esgotos e, após comprovada sua funcionalidade, serão feitas as ligações domiciliares. Com 21 quilômetros de extensão, a rede faz parte do Programa Lagoas do Norte e beneficia os bairros Matadouro e São Joaquim, ambos na zona Norte da capital, atendendo cerca de 13.800 pessoas.

 

De início, foi realizado teste na rede de esgoto; em seguida, na estação elevatória e, por fim, na estação de bombeamento. “Finalizamos a etapa de testes com a estação de bombeamento porque todo o esgoto da bacia vem para esse local. Daqui, é feito o bombeamento e o esgoto é transportado para a Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) do Pirajá para, então, ser depositado no corpo receptor, de forma que minimize os impactos ao meio ambiente”, declara Tarcysio Ferreira, engenheiro da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN).

 

A estação de bombeamento funciona à energia elétrica e ainda conta com um gerador, que é ativado automaticamente em casos de falta de energia, garantindo o pleno funcionamento da rede. Ela também conta com duas bombas, sendo uma a operadora e outra a reserva. Cada bomba da estação bombeia 240 litros de esgoto por segundo.

 

“Boa parte dos moradores tinha fossa, que é um armazenamento muito rudimentar, e outros não tinham sequer um banheiro, suas necessidades eram jogadas em terrenos e até mesmo nas lagoas. Então, oferecer esse sistema de saneamento para a população significa uma grande mudança na qualidade de vida, pois diminui o risco de doença e também contribui para a limpeza da lagoa e do Rio Parnaíba”, observa Erick Amorim, coordenador do Programa Lagoas do Norte.

 

Erick Amorim chama a atenção dos moradores para que eles não façam ligações do esgoto às residências: “Como ainda está em fase de testes, não é interessante fazer as ligações agora, porque o esgoto não vai represar e pode estourar no meio da rua. Então, é importante que haja essa conscientização de que o esgoto será coletado no tempo certo e as ligações serão feitas pela Prefeitura”, conta Amorim. As ligações domiciliares beneficiarão 2.500 famílias.

 

O morador Paulo Sérgio Fernandes, 46, conta que usa fossa em sua casa e, sem o sistema de esgotamento sanitário, ele ainda sofre com mau cheiro oriundo da água parada nos esgotos. “Na minha casa nós usamos uma fossa, mas é ruim porque tenho que estar sempre limpando e esvaziando porque senão a casa toda fica com mau cheiro. Fora isso, outra coisa que me irrita muito é a questão do esgoto, que às vezes entope e a entrada da casa fica imunda, com vários insetos em cima. Isso pode até mesmo propagar doenças. Ter um sistema de esgotamento sanitário, com certeza, foi uma grande conquista, estou muito ansioso para poder usar logo esse benefício”, encerra.
O mesmo serviço será implantado no bairro Parque Alvorada, favorecendo 18 mil habitantes. As duas obras estão orçadas em R$ 14 milhões e fazem parte do Programa Lagoas do Norte.

 

Durante o teste ainda estiveram presentes os engenheiros Valdinar Clementino, gerente da manutenção de esgotos da Agespisa, e Paulo Vilarinho, presidente da Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos de Teresina (Arsete).

Prefeitura dá prioridade a pedestres com Lei das Calçadas

Técnicos das Gerências de Fiscalização das SDUs participaram estiveram reunidos na manhã de hoje, 11, com o objetivo de discutir a uniformização dos procedimentos para a aplicação da Lei de Calçadas. A Lei, que foi aprovada em 2014, garantiu o prazo de um ano para que todos pudessem se adaptar às novas regras.

 

Segundo Gabriela Uchôa, coordenadora de planejamento urbano da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN), a maior alteração nas regras foi a organização das calçadas. “Os dimensionamentos não mudaram; as grandes alterações foram relacionadas a normatização dos procedimentos, como a construção de rampas de estacionamento, posicionamento de lixos e postes”, explica coordenadora. “É importante que exista uma área acessível para pedestres”, completou ela.

 

Durante a reunião, as regras sobre a Lei foram repassadas e os técnicos puderam tirar dúvidas acerca da fiscalização, que deverá ser intensificada.

 

A Lei 4.522 estabelece novos padrões de calçadas e passeios públicos e critérios para a sua construção/reconstrução, conservação e utilização, considerando princípios como acessibilidade, segurança e autonomia, desenho urbano, nível de serviço e conforto e sustentabilidade.

 

A Lei das Calçadas dispõe ainda sobre conservação e limpeza; obras e serviços nas calçadas, vias e logradouros públicos; trânsito público; localização de trailers, bancas de jornais, revistas e livros; publicidade; terrenos não edificados e da edificação compulsória, bem como responsabilidades e penalidades.

Fonte: SEMCOM – PMT