SEMPLAN – Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação
Teresina, 15 de Dezembro de 2017

Seminário Pensar + Teresina

 

Realizado entre os dias 17 a 19 de junho de 2013, no auditório da Federação das Indústrias do Piauí, a solenidade de abertura do Seminário Pensar + Teresina. O evento promovido pela Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação Geral reúne até o próximo dia 19, técnicos, instituições e representantes da comunidade para a discussão dos problemas e apresentações de sugestões para o desenvolvimento da cidade.

 

Arquitetos, engenheiros, professores, lojistas, Câmara Municipal, Caixa Econômica Federal e lideranças comunitárias participaram da solenidade de abertura que ficou marcada, também, pela palestra do especialista em mobilidade urbana do Banco mundial, Bernardo Alvim, sobre desenvolvimento orientado sustentável.

 

“Vamos discutir a nossa cidade e apontar caminhos para a construção dos nossos sonhos”, afirmou o prefeito Firmino Filho ao revelar que Teresina tem atualmente uma frota de mais de 350 mil veículos motorizados. A falta de estacionamentos para veículos e os grandes engarrafamentos nas principais vias de acesso são, conforme o prefeito, grandes desafios para a cidade.

 

Para o secretário municipal de Planejamento, Washington Bonfim, o seminário é um passo inicial para a renovação dos instrumentos de convivência da cidade. Ele informou que Teresina terá investimentos na ordem de R$ 1 bilhão nos próximos quatro anos. A cidade também está preparando a Agenda Teresina 2030.

 

Além das palestras, serão realizados nas Salas Joaz Sousa e Rui Lima, seminários temáticos sobre os eixos do Plano PluriAnual (2014-2017) e do PDOT ( Plano de Ordenamento Territorial).

 

Buscando discutir questões relevantes para o desenvolvimento e planejamento da cidade, o Seminário Pensar Mais Teresina continua hoje (19), na FIEPI, com Constance Jacob no Seminário Temático que abordará os Novos Instrumentos de Legislação Urbana, a partir das 8h.
Às 10h20, quem profere palestra é a jornalista Natália Garcia, especialista em Planejamento Urbano. Criadora do projeto Cidade para Pessoas, Natália percorreu 12 cidades pelo mundo em busca de boas ideias e boas práticas de planejamento urbano que pudessem dar um novo impulso às cidades brasileiras.
Ontem, o Plano Plurianual (PPA) 2014- 2017 e o Plano Diretor de Ordenação Territorial (PDOT) foram o foco das discussões desta. Na sala Joaz Sousa, o secretário executivo de Orçamento e Gestão, Canidé, apresentou os projetos da nova gestão direcionados à Inclusão Social.
O objetivo deste planejamento é garantir acesso à saúde, educação e à rede de proteção social, além de qualidade no atendimento de serviços básicos e ampliação de políticas de inclusão, que contemplem a juventude, mulheres, idosos, pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. Para ele, uma das formas de atingir os objetivos é implantar projetos como “Meu Amigo, meu Tesouro”, fortalecendo o grupo de idosos e “Meu Primeiro Emprego” no mercado de trabalho, com acompanhamento e premiação de empresas parceiras.
De acordo com a secretária da Juventude Karina Araújo, a nova gestão municipal busca manter um diálogo com as comunidades, ouvindo as pessoas e suas necessidades.
Na sala Rui Lima, Kaki Afonso, secretária executiva de Planejamento Urbano, presidia as discussões que giravam em torno do PDOT. Juntamente com Pang Yen Shiao, superintendente da Strans, e Ricardo Freitas, diretor de Transportes Públicos da Strans, discutiram sobre os desafios da mobilidade urbana e novas possibilidades para o transporte público em Teresina.
Kaki apresentou o projeto de Requalificação do Centro de Teresina, elaborado por sua equipe de arquitetos da Semplan, acompanhada pela Superintendente do Iphan (Piauí), Claudiana Cruz, o presidente do Sindilojas, Luiz Antônio Veloso, e Marcelo Mourão, coordenador Especial da Área Central SDU Centro/ Norte.
Além de assistir a uma aula sobre o desenvolvimento da região central, estilos arquitetônicos,  antigos e novos hábitos, os participantes puderam conhecer um pouco sobre o Projeto Centro Sustentável, que se baseia na tríade: Desenvolvimento Ambiental ( ambiente natural e ambiente construído) , Inclusão Social e Desenvolvimento Econômico.
“A saída é desenvolver programas habitacionais em áreas históricas, a revisão da legislação urbana para incentivar a verticalização na área do entorno do centro”, explica a secretária executiva de Planejamento Urbano.

Em seu último dia, o Seminário Pensar Mais Teresina, que aconteceu ontem (19) na FIEPI, contou com discussões relevantes para o planejamento estratégico da capital, além de palestras relacionadas aos instrumentos de legislação urbana e sustentabilidade ambiental. O grande destaque foi a apresentação da jornalista Natália Garcia, especialista em Planejamento Urbano, que falou sobre suas experiências e de seu blog Cidade para Pessoas.

 

A arquiteta Constance Jacob iniciou a programação esclarecendo sobre os Novos Instrumentos de Legislação Urbana, proposta do Plano Diretor de Ordenamento Territorial. No auditório Fernando Bezerra, Érick Elysio, presidente do Serviço Municipal de Águas e Esgotos de Teresina, falou sobre o eixo Sustentabilidade Ambiental, como parte da programação das discussões em torno do PPA (Plano Plurianual) 2014-2017.

 

O PPA é o principal instrumento de planejamento estratégico do município, organizando recursos e energias do governo e da sociedade em direção a uma visão de futuro para um cenário de médio prazo de quatro anos. Através dele são estabelecidas as diretrizes, os objetivos e metas da administração municipal para as despesas de capital decorrentes da implantação de programas de duração continuada.

 

“Na elaboração do PPA 2014-2017 estamos inovando ao adotar métodos gerenciais novos e com maior participação popular. Neste modelo, o poder público precisa dialogar continuamente com a sociedade, inclusive sob o ponto de vista do cidadão como cliente principal”, afirmou Érick Elysio.

 

Após os Seminários Temáticos, a jornalista Natália Garcia, especialista em Planejamento Urbano, abordou na palestra suas experiências e de seu blog Cidade para Pessoas, que tem o mesmo nome de um projeto, através do qual ela viajou por diversos países com espírito aventureiro, compromisso social e uma bicicleta dobrável, em busca dos modelos bem sucedidos em mobilidade urbana.

 

Ao observar os espaços e como a população se apodera positivamente deles – com ou sem a orientação dos governos – ela não trouxe soluções, nem apontou inimigos do desenvolvimento. Pelo contrário. Ela fez o cidadão refletir sobre como pode contribuir, gestores e a sociedade pensarem em como seriam as cidades se as pessoas fossem mais importantes que os carros. E citou Jan Gehl, planejador urbano dinamarquês:“Sabemos tudo sobre o habitat ideal de qualquer espécie de mamífero do mundo, menos do Homo Sapiens”.

 

Para ela, não existe o segredo do sucesso, nem soluções universais. “O que existe é um conceito diferente de sucesso para cada realidade, considerando a diversidade”, explicou.  Ainda segundo Natália, um modelo bem sucedido em Portland talvez seja impraticável em Teresina. “Se Teresina quer uma cidade para pessoas, não deve pesquisar sobre a vazão de veículos e a velocidade média deles, mas fazer pesquisas sobre os atalhos necessários, vazão de pessoas e velocidade média nos corredores de ônibus”, pontuou.  

 

O tema da palestra de Natália, Cidades para Pessoas, estava em consonância com o discurso de abertura do prefeito Firmino Filho, que olha para o futuro de maneira a construir uma agenda sustentável. “Reorganizar prioridades e tomar decisões que beneficiem a maioria, trabalhar em conjunto, dando voz ao que as pessoas esperam das cidades”, destacou.

 

Dando continuidade às ações de planejamento participativo da Prefeitura de Teresina, a Secretaria de Planejamento e Coordenação – Semplan- encaminhou à Câmara Municipal de Teresina as análises das propostas da população para a melhoria da cidade através do site pensarmaisteresina.com.br. Foram 490 propostas que serão incluídas no Plano Plurianual 2014/17, devendo ser executadas nos próximos anos.

 

 

 

O Pensar Mais Teresina é um instrumento de participação popular em que, através do site, os cidadãos teresinenses puderam enviar suas propostas, acompanhadas de justificativas e sugestões para sua implementação. “É uma forma de a Prefeitura manter uma relação cada vez mais próxima dos teresinenses, ouvindo diretamente os seus anseios e procurando uma forma de deixar a vida da população cada vez melhor”, explica o secretário de planejamento Washington Bonfim.

 

 

 

Das 490 propostas apresentadas, 274 foram referentes à zona Rural, destacando-se as solicitações no abastecimento dágua, com implantação, ampliação e manutenção. No transporte coletivo, a maioria das solicitações foi referente ao aumento do número de ônibus e ampliação dos horários de atendimento. Com relação à infraestrutura, grande parte dos pedidos foi referente à aberturas de vias, calçamento e asfaltamento. Na saúde, os pedidos limitaram-se apenas a ampliação do atendimento de urgência e presença de médicos nas comunidades.

 

 

 

Na zona urbana da cidade, foram 216 propostas, sendo que grande parte delas é referente à mobilidade urbana; revitalização do centro de Teresina através do incentivo as pessoas morarem no centro da cidade; construção de edifícios garagens e do aproveitamento das residências antigas e conservação do patrimônio histórico cultural. Além disso, houve uma grande preocupação com meio ambiente, principalmente sobre a poluição dos rios Parnaíba e Poti, com pedidos de tratamento dos esgotos antes de serem despejados nos rios.

 

 

 

Todas as propostas apresentadas através do site, com exceção das que não competem à Prefeitura de Teresina, foram encaminhadas à Câmara e, em seguida, serão enviadas para as secretarias responsáveis por cada ação e região.

 

 

 

Total das propostas distribuídas por eixos do PPA (urbano e rural):

 

Eixo inclusão social: 95

 

Eixo sustentabilidade ambiental: 83

 

Eixo competitividade econômica: 163

 

Eixo qualidade de vida: 144

 

Eixo governança: 5