Teresina ocupa a 35ª posição no ranking das 50 cidades mais inteligentes do Brasil. O estudo foi apresentado em São Paulo, durante o evento Connected Smart Cities, e publicado na edição de 05 de agosto da revista Exame.

 
A capital piauiense obteve 23,20 pontos, após a análise de 70 indicadores de 11 áreas da gestão pública de 700 municípios. A maior pontuação da lista foi da cidade do Rio de Janeiro (RJ), com 29,99 pontos; e a menor, Betim (MG), com 22,76. Apenas seis cidades do Nordeste figuram entre as 50 mais inteligentes do Brasil: Teresina (PI), Recife (PE), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), Salvador (BA) e Aracaju (SE).

 
As áreas analisadas no estudo foram economia, educação, empreendedorismo, energia, governança, meio ambiente, mobilidade, planejamento urbano, saúde, segurança, tecnologia e inovação.

 
As cidades brasileiras relacionadas no ranking foram destacadas como bons exemplos de cidades investindo em ganhos de inteligência no Brasil pelo uso de melhores ferramentas tecnológicas de e de informação.

 
Para a revista Exame, o presidente da consultoria Urban Systems (responsável pelo estudo), Thomaz Assumpção, declarou que as cidades inteligentes são aquelas que têm sustentabilidade econômica, promovem a qualidade de vida e preservam o meio ambiente e para isso, o caminho é passar pela capacidade de inovação.

 

Cidade de oportunidades

 

Outros estudos e pesquisas nacionais apontam Teresina como uma cidade de oportunidades. A capital do Piauí se destaca na área de educação, geração de emprego, turismo, saúde, segurança e qualidade de vida.

 
A revista Exame aponta que Teresina ocupa a 13ª posição entre as 100 melhores cidades do Brasil com população com menos de 1 milhão de habitantes para investir em imóveis. Ainda de acordo com a Exame, a capital do Piauí ocupa a 60ª posição entre as Melhores Grandes Cidades para Criar Seus Filhos no Brasil e a 73ª posição entre as Melhores Cidades para se Viver no Brasil.

 
“O Brasil possui 26 estados, mais o Distrito Federal e um total de 5.561 municípios. A boa colocação de Teresina nesses estudos, figurando sempre entre as 100 melhores cidades, revela o compromisso da administração municipal com o desenvolvimento da cidade, construindo-a para ser cada vez mais uma cidade melhor para se viver, uma cidade feita para as pessoas, ambientalmente sustentável, socialmente inclusiva e economicamente justa”, observa o secretário municipal de Planejamento e Coordenação, Washington Bonfim.

 
Segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a cidade possui o índice de 0,751 no ranking de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), sendo o primeiro município do Piauí a atingir esse nível.

 
“O IDH é um índice que serve de comparação entre as cidades, com objetivo de medir o grau de desenvolvimento econômico e a qualidade de vida oferecida à população. O índice que atingimos em Teresina, de 0,751, é considerado Desenvolvimento Humano Alto, o que reforça a ideia de que nossa capital preza pela melhoria da qualidade de vida de sua população”, explica Washington Bonfim.

 
Em educação, Teresina é a primeira entre as capitais do Nordeste cujo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) municipal superou a meta nacional, em 2013. A cidade é também referência regional no ensino superior, tendo se consolidado como cidade universitária, com 40 instituições de ensino superior.

 
A capital piauiense também é considerada um polo de saúde, possuindo 841 estabelecimentos de saúde, dentre hospitais, clínicas, consultórios, ambulatórios, laboratórios e postos de saúde. A cidade é a 3ª melhor capital do Nordeste em relação à taxa de mortalidade infantil, com 16 mortes para cada grupo de mil crianças.Já na área de segurança, a capital possui a menor taxa de homicídios dentre as capitais do Nordeste.

 

“Desde 2014, Teresina tem se destacado como uma das cidades que mais gera emprego no Brasil e, consequentemente, no Piauí. Somos a quarta capital do país na geração de emprego e a segunda do Nordeste, com 8.617 empregos criados ano passado. E vamos avançar mais nessa área. Nossa cidade recebeu, essa semana, uma nova sede de uma empresa de call center que, sozinha, vai gerar mais de cinco mil novos postos de trabalho”, completa Washington Bonfim.

 
A capital piauiense também se destaca no ramo de hotelaria. Teresina oferta 4.442 leitos e 131 auditórios para eventos.Em 2014, a cidade foi premiada com o índice Nacional da Competitividade do Turismo Nacional, pela FGV e SEBRAE, nas categorias Cidade que Mais Evoluiu em Competitividade para o Turismo, e Cidade que Mais Cresceu nos Aspectos Culturais.

 
Na área empresarial, Teresina possui leis de incentivos fiscais, com disponibilidade de áreas com infraestrutura em distritos industriais para aplicação de novos negócios. O programa de investimento do Governo Municipal para os próximos quatro anos supera R$ 1 bilhão em infraestrutura, incluindo mobilidade urbana, saneamento básico, segurança, saúde, educação, lazer, entre outros.

 
“Os resultados das pesquisas são satisfatórios e isso se dá porque Teresina é uma cidade planejada a longo prazo, com nossos planos diretores de Transporte e Mobilidade, Drenagem Urbana, Turismo, Habitação e Interesse Social, Saneamento Básico, Educação, Requalificação Urbana e Agenda 2030. Esse planejamento, ao tempo que pensa o desenvolvimento da cidade, avança no sentido de construir uma cidade para as pessoas, com qualidade nos serviços à população, geração de emprego e oportunidades de renda e melhor qualidade de vida”, avalia Washington Bonfim.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).