Um projeto que visa melhorar a mobilidade e a urbanização da cidade chamou atenção dos frequentadores do Espaço Futuro, organizado pela Agenda Teresina 2030 na última semana, no Congresso das Cidades. Em parceria com o Laboratório de Inteligência, Robótica e Automação de Sistemas do Instituto Federal do Piauí (IFPI), a equipe apresentou uma maquete de rua completa na Jornalista Dondon, zona Leste da capital, em uma maquete 3D  que funciona em 360º com óculos de realidade virtual.

Ruas completas são pensadas para garantir segurança e conforto para todos os modais de transporte, considerando o espaço viário e contemplando as diferentes funções de mobilidade. Abrange de forma democrática todos os meios, como bicicletas, faixa exclusiva para ônibus, vias de carro, estacionamento e outras funções como arborização, paradas de ônibus, pontos de espera e lazer.

Gabriela Uchôa, coordenadora da Agenda Teresina 2030, ressalta a importância da parceria para buscar melhorias na mobilidade de Teresina. “Esta maquete virtual feita em parceria com o IFPI possibilitou oferecer aos munícipes uma visão de uma rua que levamos como exemplo e que oferece as diferentes ofertas de função. Foi proporcionada uma experiência de ver o antes e depois da rua e foi possível ver que se corretamente ordenada, não causa nenhum prejuízo às funções que já existem”, disse Gabriela.

Weslley Soares, aluno de eletrônica e integrante do laboratório de Inteligência do IFPI, destaca o projeto e seus pontos diferenciais. “Um dos diferenciais desse projeto da Prefeitura de Teresina é trabalhar especificamente na melhoria da mobilidade na cidade. Poder auxiliar a gestão nesse projeto, juntamente com a população, para construir melhoras na cidade é gratificante. O que apresentamos com a realidade virtual mostra uma maquete em 3D, a construção de uma rua completa, estando em uma imersão do ambiente, que possibilita também a correção de erros para que não haja gastos desnecessários”, pontuou.

“Foi muito bacana ver que estão buscando melhorar Teresina e sua mobilidade. Tive uma visão que mostrou que meu espaço enquanto pedestre, ciclista ou motorista será respeitado, sem afetar outros agentes no trânsito. Tenho certeza que projetos como esse irão transformar a mobilidade de Teresina para muito melhor”, concluiu Eliardo Cunha, estudante de engenharia de materiais e visitante no Congresso das Cidades.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).