Um grupo de 12 trabalhadores (vazanteiros, oleiros e artesãos) dos bairros São Joaquim e Olarias, zona norte de Teresina, trataram de soluções para a estruturação de suas atividades com os técnicos do Programa Lagoas do Norte (PLN) e com o secretário municipal de Planejamento e Coordenação (Semplan), José João Braga Júnior. A reunião aconteceu na tarde desta terça-feira (08), na Unidade de Gerenciamento de Projeto do PLN.

Segundo os vazanteiros, as cercas que protegem suas plantações estão danificadas, propiciando a entrada de animais, como as capivaras, que destroem a produção. “A gente trabalha e as capivaras comem nossa plantação, ficamos no prejuízo. Viemos pedir que a Prefeitura possa ver essa situação e faça essa cerca”, afirma seu Valdir Monteiro Marreiros, vazanteiro há mais de 40 anos.

Outros problemas foram relatados na reunião, como o acesso entre a avenida Boa Esperança e o local da plantação. Com o tráfego de carros pesados, a entrada está danificada e também é necessário recompor a piçarra ao longo do trecho.

Os representantes dos oleiros e artesãos que comercializam seus produtos às margens da avenida Boa Esperança também relataram dificuldades pela falta de um espaço adequado tanto para a produção como para a venda. De acordo com a comunidade, cerca de 20 pessoas, hoje, vivem dessa atividade no local.  O pessoal que trabalha com a fabricação de tijolo ecológico também afirmou que necessita de um local propício, reservado, com estrutura para que possa produzir.

“Conversamos com a comunidade e ouvimos os relatos. Nossos técnicos farão o levantamento de toda a estrutura necessária para que esses profissionais exerçam suas atividades. Faremos o orçamento de tudo e buscaremos o financiamento necessário para essas obras”, garante José João Braga Júnior.

De acordo com a diretora geral do Programa Lagoas do Norte, Márcia Muniz, a equipe está indo até a comunidade verificar todas as necessidades. “Estamos dando seguimento ao programa sempre buscando seguir o principal objetivo do Lagoas do Norte, que é garantir a qualidade de vida das pessoas. Para isso, elas precisam ter a estrutura necessária para desenvolver suas atividades”, finaliza.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).