“Um bem valioso e que está situado numa área de expansão qualificada de Teresina”. Essa é a definição do prefeito Firmino Filho para o Residencial Parque Brasil, que está sendo construído pela Prefeitura de Teresina na região da grande Santa Maria da Codipi para as famílias que residem em áreas de risco atendidas pelo Programa Lagoas do Norte. O chefe do executivo municipal esteve neste sábado (23) na obra vistoriando o andamento dos serviços.

Contendo 1.022 unidades habitacionais, 350 casas e 672 apartamentos, o residencial será oferecido como alternativa de reassentamento a essas famílias que atualmente vivem nas margens de lagoas ou em casas sem estrutura mínima, em condições insalubres.  O orçamento total para a obra do Residencial é de R$ 107 milhões, com investimento da Caixa Econômica Federal, através do Minha Casa, Minha Vida, e contrapartida da Prefeitura de Teresina.

“Estamos construindo este conjunto para abrigar essas pessoas que residem na área de intervenção do Programa Lagoas do Norte. A construção está em bom ritmo com entrega prevista para fevereiro do próximo ano. Importante ressaltar a qualidade e a beleza desse empreendimento. São apartamentos e casas com área aproximada de 50 m², com o preço unitário de cada unidade de R$108 mil reais. Um bem valioso e que vai estar situado numa área de expansão qualificada, o Residencial fica na frente da avenida Poti Velho, então não tenho dúvidas de que será um dos belos empreendimentos, uma das belas vizinhanças da zona Norte”, disse o prefeito.

O novo residencial começou a ser construído em outubro do ano passado. O projeto foi desenvolvido pelos técnicos do Programa Lagoas do Norte com enfoque na qualidade de vida dos seus habitantes, contendo ruas amplas para a circulação de transporte público, avenida, áreas de lazer, esporte, arborização, unidades habitacionais planejadas para receber famílias com pessoas idosas e portadoras de deficiência, drenagem, abastecimento de água próprio, esgotamento sanitário com estação de tratamento, espaços destinados ao convívio social, áreas reservadas para a construção de escola e calçadas.

“Esse Residencial é diferente na sua parte urbanística, com casas maiores que o padrão do Minha Casa Minha Vida, com uma qualidade melhor. Tanto que pela quantidade de unidades habitacionais, 1.022, teria que ser construído com R$70 milhões do Minha Casa Minha Vida e o total final do orçamento da obra, devido a essas melhorias, foi para R$108 milhões, com contrapartida da Prefeitura de Teresina”, informou o secretário municipal de Planejamento, José João Braga.

O projeto do Residencial conta ainda com lotes destinados à construção de pontos comerciais para aquelas famílias que já possuem atividade comercial em suas regiões de origem. Um outro aspecto que diferencia o Residencial é a estrutura urbana voltada para propiciar o trânsito de ônibus e estar dentro das normas e legislação em vigência em termos de acessibilidade e mobilidade urbana. “Além de ter o diferencial de ser o primeiro com drenagem e estação de tratamento de esgoto sanitário inclusos”, acrescentou José João.

O prefeito esteve ainda neste sábado no bairro Vila Operária, zona Norte da cidade, acompanhando o serviço dos agentes de saúde na Faxina dos Bairros, ação operacionalizada pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) que tem o objetivo de retirar todos os potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti.

 

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).