A empresa TPF Engenharia, contratada pelo Programa Lagoas do Norte, está elaborando o projeto de recuperação dos diques dos rios Parnaíba e Poti. A empresa tem oito meses para apresentar o resultado final, com alternativas para cada um dos seis trechos determinados. As obras de recuperação vão compreender uma extensão de 5,6km.

O dique é a estrutura que protege parte da zona norte da cidade das cheias dos rios. Construído por volta de 1975, nunca passou por obra de reforço e, ao longo do tempo, sofreu interferências que comprometem sua eficiência, como a construção de poços, fossas sépticas, fundações de casas e árvores de grande porte.

“O dique é um maciço de terra que protege a cidade da entrada da água do rio. Não se pode construir nem perfurar essa estrutura porque essas interferências podem facilitar a infiltração de água quando o rio enche. Além disso, em alguns pontos houve um rebaixamento da altura do dique. Isso quer dizer que, no caso de uma grande cheia, a água do rio poderia ultrapassar o dique”, explica Márcia Muniz, diretora geral do Programa Lagoas do Norte.

Três painéis de segurança realizados anteriormente atestaram a necessidade de realização de uma obra para reestruturar o dique. O que a empresa TPF Engenharia está fazendo é o estudo e a elaboração de alternativas para cada um dos trechos.

Ainda de acordo com Márcia Muniz, essas alternativas levam em consideração que as obras irão impactar o mínimo possível a região nos aspectos sociais, ambientais e socioeconômicos.

Ainda não há comentários.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com (*).