Inscrições para o concurso “Se essa rua fosse minha” serão abertas na próxima quarta (19)

O concurso “Se essa rua fosse minha”, lançado anualmente pela Prefeitura de Teresina para batizar vias que ainda não foram nomeadas na capital, tiveram as  inscrições abertas para a edição de 2019 nesta quarta-feira (19).  Às 11h, no salão nobre da prefeitura, haverá o evento oficial de lançamento do concurso, com a presença do prefeito Firmino Filho, dos secretários municipais e que também será aberto a imprensa. O período de inscrições vai até o dia 17 de julho.

O objetivo do concurso é colocar nomes de pessoas que fizeram parte da história das comunidades de Teresina em logradouros e ruas da capital, valorizando pessoas que, às vezes anonimamente, contribuíram para o crescimento da cidade em determinada região.

Os interessados poderão encontrar o formulário de inscrição no site da Prefeitura de Teresina, da SEMPLAN ou no aplicativo Colab. Poderão ser indicados nomes de pessoas já falecidas, como uma forma de homenagear quem fez parte da construção e da evolução das comunidades. Ao realizar a inscrição, amigos ou familiares devem preencher o formulário com as informações solicitadas juntamente com uma mini biografia da trajetória da pessoa que poderá ser homenageada. Também é necessário indicar em que zona da cidade a família deseja a homenagem.

Para acessar o formulário de inscrição, clique aqui.

Para acessar a portaria com o regulamento do projeto, clique aqui.

Após o fim as inscrições, uma comissão formada por representantes da Prefeitura de Teresina, da Academia Piauiense de Letras, da Câmara dos Vereadores de Teresina, IBGE, Iphan, Universidade Federal do Piauí e Universidade Estadual do Piauí, irão selecionar os nomes inscritos e posteriormente divulgar os selecionados. No dia 29 de julho, no palácio da Música, haverá os sorteios das vias que receberão os nomes aprovados, de acordo com a região apontada na inscrição. No dia 28 de agosto, no Teresina Hall, acontecerá a solenidade oficial de entrega das placas às famílias dos homenageados.

“É muito importante ter o nome oficial nas ruas, pois torna o acesso mais fácil para as pessoas e empresas, por exemplo. Contas de água, energia, compras por frete, chegarão de forma mais rápida, pois haverá identificação exata da localização”, ressalta Jhamille Almeida, secretária executiva de planejamento urbano da SEMPLAN.

“O Se Essa Rua Fosse Minha busca preservar a identidade histórica da cidade. É um processo democrático que nos oferece a oportunidade de homenagear a pessoas que ajudaram a construir uma cidade melhor para vivermos. Estamos muito felizes por mais uma edição do concurso.”, concluiu José João Braga, secretário municipal de planejamento.

SEMPLAN reúne gestores de orçamento da Prefeitura para discutir projeto da LOA

Na manhã desta sexta-feira, a Secretaria Executiva de Planejamento Estratégico e Gestão (SEPLAG), da SEMPLAN, realizou uma reunião com os gestores de orçamento de todos os órgãos da Prefeitura de Teresina para abordar a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA) 2020 e tratar sobre a atualização do Plano Plurianual (PPA 2018-2021).

Na ocasião, foram repassadas orientações aos gestores para o preenchimento das propostas da LOA, sendo estabelecidos prazos e repassados os tetos orçamentários de cada órgão e atualizações do Plano Plurianual. O objetivo é alinhar o trabalho de todos os órgãos para agilizar o processo de elaboração do projeto de lei que será encaminhado para a Câmara Municipal.

“A elaboração da LOA é responsabilidade da SEMPLAN, mas é um projeto feito em coordenação com todos os órgãos da prefeitura. Por isso, é importante que nós possamos trabalhar de forma padronizada e mais eficiente”, destaca Eliseu Pereira, analista de orçamento e finanças públicas da SEMPLAN.

“A reunião foi muito proveitosa. Nós recebemos informações sobre a LOA e as atribuições de cada setor, após a reforma administrativa. Tivemos explicações claras e todos conseguiram absorver o que foi repassado. Além disso, vamos receber todo o material da apresentação, que poderá esclarecer eventuais dúvidas que possam surgir”, pontuou Teresinha Santos, gerente administrativa financeira da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMAM).

Parque Lagoas do Norte combate lixão com plantio de árvores

 

Apesar de toda beleza e cuidado com a conservação do Parque Lagoas do Norte por parte das equipes de manutenção, algumas pessoas ainda insistem em depositar lixo irregularmente em certos locais. Pois esses lixões agora estão sendo combatidos com plantio de árvores.

A iniciativa da direção do parque conta com a colaboração dos moradores que vivem nas proximidades. Em um dos pontos com maior incidência de lixo irregular, o diretor Jorgenei Moraes conta que, somente este ano, já foram feitas sete limpezas. Diante de tanta reincidência, a direção resolveu adotar uma medida. “Nesta quarta-feira (12), com a ajuda dos moradores do local, fizemos o plantio de 10 mudas de palmeira”, comenta.

O envolvimento da comunidade também tem como objetivo provocar o sentimento de cuidado com a fauna e a flora próprias do parque.

Segundo Jorgenei, a ideia é que as pessoas passem a cuidar mais do parque não apenas em relação ao lixo, mas também no sentido de se apropriarem do local e terem suas próprias iniciativas de plantio, de aguar essas mudas e, assim, criar um microclima para minimizar a sensação de calor. “Esperamos que esses lixões acabem aqui no entorno do parque. Contamos com a colaboração de toda a comunidade nessa conservação”, finaliza.

O Parque Lagoas do Norte conta com equipes de manutenção constante. Entre os serviços realizados estão a poda, capina e coleta do lixo.

Calçadas da Avenida Barão de Gurgueia serão requalificadas visando acessibilidade

A Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN) está elaborando um projeto de requalificação das calçadas em toda a extensão da Avenida Barão de Gurgueia. As intervenções visam principalmente melhorar a segurança e o conforto dos pedestres, além de garantir a acessibilidade em uma das principais vias de Teresina e corredor do sistema Inthegra de transporte público.

De acordo com o projeto, as calçadas da avenida serão todas niveladas, evitando assim o surgimento de batentes que poderiam causar acidentes em caso de tropeço dos pedestres. Além disso, também serão instaladas rampas para cadeirantes, guias de piso tátil para deficientes visuais e sinalização adequada próxima a faixas de pedestres e estações de ônibus.

Atualmente o projeto encontra-se em fase de finalização de orçamento. Após definidos os valores necessários para a execução da obra, será definida a fonte para captação dos recursos necessários. O corredor da Barão de Gurgueia será o primeiro a passar por essa requalificação, que depois será estendida para os demais corredores do sistema Inthegra.

“Essa obra faz parte do sistema Inthegra, visando o conforto dos usuários também no deslocamento até as estações de ônibus, mas favorece também quem transita a pé pela avenida Barão de Gurgueia. Além disso, objetiva também a acessibilidade, garantindo a todos o acesso a um transporte público de qualidade e o direito de se locomover pela cidade”, afirma o secretário municipal de Planejamento, José João Braga.

Colab alinha metas para melhorias de atendimento e resolutividade

Nesta terça-feira (11), os gestores Colab da Prefeitura de Teresina (PMT) se reuniram no auditório da Casa da Cidadania (CENAJUS), para alinhar dados quantitativos sobre o número de atendimentos e a qualidade na resolução das demandas do aplicativo. O objetivo da PMT é concluir as solicitações antigas e aumentar a taxa de resolução.

A ideia de analisar os dados em pontos quantitativos de atendimento e o tempo de abertura das demandas, busca dar respostas ao cidadão que utiliza o aplicativo, para que o mesmo não fique muito tempo aguardando as atualizações. A qualidade das respostas também foi um dos temas discutidos. Através de inteligência artificial nas redes sociais, é realizado uma pesquisa a partir dos comentários de usuários, classificados como positivos, neutros ou negativos, visando melhorar a comunicação com o cidadão.

Guilherme Andrade, coordenador de operações externas do Colab, destaca a importância de reuniões pontuais com os gestores. “Os saldos das reuniões são sempre positivos, pois colocamos todos os envolvidos no projeto para conversar e resolver problemas, seja de fluxo ou de dúvidas. A Prefeitura de Teresina tem uma capacidade de atendimento muito boa e a perspectiva é sempre de melhoras”, disse.

“Estamos realizando um trabalho para melhorar o atendimento ao cidadão teresinense. Alinhamos nossas metas, discutimos, tiramos dúvidas e buscamos melhorar cada vez mais para que possamos oferecer os melhores serviços aos usuários. Além disso, faremos divulgações nas escolas para mostrar as facilidades que o aplicativo oferece para resolução de problemas estruturais na cidade”, concluiu Igor Mendes, gestor Colab da Secretária Municipal de Planejamento e Coordenação.

Colab

O Colab é uma ferramenta utilizada pela população para comunicar os problemas do seu bairro ao poder público, criando uma ponte entre o cidadão e a Prefeitura, de forma que o cidadão possa colaborar mandando informações com fotos de problemas como buraco nas vias, imóveis abandonados, postes de iluminação com defeito, entre outras coisas que são recebidas pela ouvidoria da Prefeitura. Ao serem avaliadas, essas demandas são encaminhadas para os órgãos responsáveis. O download é gratuito e está disponível para celulares Android e IOS.

Animais resgatados são soltos no Parque Lagoas do Norte

O Parque Lagoas do Norte recebeu, na manhã desta sexta-feira (7), 36 cágados de barbicha resgatados na região. Os animais são recolhidos pelo Instituto Cabar, que recolhe e trata os espécimes feridos, geralmente vítimas de atropelamento, e após recuperados, são postos novamente na natureza. A ação ocorreu simultaneamente com a Blitz ambiental realizada pela SEMAM, em parceria com o Batalhão de Polícia Ambiental e a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente.

O cágado de barbicha é comum na Zona Norte da cidade, tendo como habitat natural as lagoas características da região. Durante o período chuvoso, é comum que estes animais transitem entre uma lagoa e outra, mas muitos são atropelados durante essa travessia. O Instituto Cabar se propõe a recolher os bichos e tratá-los até que possam voltar à natureza.

“Através do Projeto Cabar, esses animais são resgatados no período chuvoso, geralmente vítimas de atropelamentos pelos veículos que trafegam na região. São resgatados, colocados em um centro de triagem, e após ficarem aptos para voltar ao meio ambiente, são soltos aqui no Parque Lagoas do Norte”, contou Zelinda de Oliveira, bióloga do Programa Lagoas do Norte.

 

A soltura foi feita por crianças de escolas da região e também da Legião da Boa Vontade (LBV). Os voluntários do programa, no entanto, fazem um alerta: o número de animais vistos na região vem diminuindo a cada ano, sinal de que a espécie pode estar correndo risco de desaparecer daquela área.

“Infelizmente o motorista não tem a educação de frear ao ver qualquer tipo de animal. O número de animais vem diminuindo a cada ano, e agora estão em zona de alerta para entrar em extinção”, afirmou Jaqueline Lustosa, presidente do Instituto Cabar.

“O núcleo de educação ambiental do PLN mensalmente faz atividades de conscientização nas escolas e com a população da região objetivando a despertar a importância da preservação desses animais para o meio ambiente”, ressaltou Zelinda.

Câmara aprova financiamento para obras e projetos de drenagem em Teresina

A Prefeitura de Teresina solicitou e a Câmara Municipal aprovou na manhã desta quinta-feira uma operação de crédito no valor R$ 92 milhões, obtida junto ao governo federal. O valor será utilizado para financiar obras de drenagem e elaborar projetos que serão utilizados em intervenções futuras, também para melhorar o controle das águas fluviais.

Os recursos serão financiados através do programa Avançar Saneamento, do Ministério do Desenvolvimento Regional. Os técnicos da Prefeitura de Teresina elaboraram a proposta que foi aprovada pelo Ministério e, por se tratar de contratação de empréstimo, necessitou também da aprovação dos vereadores, dada nesta quinta-feira (06).

“Nós tentamos recursos junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional, cadastrando alguns estudos e projetos no programa Avançar Saneamento. Tivemos esses projetos aprovados e a Câmara aproveitou esse crédito para execução de obras e elaboração de projetos, na ordem de R$ 92 milhões”, explica a assessora de coordenação da secretaria municipal de planejamento, Delna Brito.

Desse montante, R$ 83 milhões serão aplicados na construção de pouco mais de 3.000m de galerias e três reservatórios de detenção com capacidade para quase 50.000m³ de água, na região da bacia P10, que compreende os bairros São Pedro, Redenção e Tabuleta.

Os outros R$ 9 milhões serão utilizados para a elaboração de projetos, também de drenagem, que compreenderão os bairros Monte Verde, Parque Industrial, Alegre, Jacinta Andrade, Chapadinha e Santa Maria da Codipi, na Zona Norte; parte do bairro Itararé, na Zona Sudeste; e os bairros, São João, Santa Isabel, Vale Quem Tem, Uruguai, Aroeiras e Pedra Mole, na Zona Leste.

“A drenagem urbana é um desafio enfrentado por todas as cidades de grande porte do Brasil. Além de ser um problema sério, demanda um grande volume de recursos para ser resolvido, por isso a Prefeitura de Teresina tem buscado diversas formas de financiar estas obras, que trazem um retorno muito positivo para a população”, explica o secretário municipal de planejamento e coordenação, José João Braga.

Usuários de aplicativo em Teresina participarão de torneio com cidades europeias

Estimular as pessoas a se locomoverem mais a pé, de bicicleta ou transporte público é o objetivo do aplicativo MUV (Mobility Urban Values), que funciona como um jogo que premia quem faz uso de uma mobilidade mais sustentável. Entre os meses de junho e julho, os usuários da capital piauiense participarão de um torneio com diversas cidades europeias e poderão ganhar prêmios. O app, que está sendo implantado na capital piauiense pela Prefeitura de Teresina, trabalhará em parceria com estabelecimentos comerciais de toda a cidade e já está disponível na Apple Store e no Google Play.

Os interessados em participar do torneio devem baixar o MUV no seu celular e fazer um cadastro, onde darão algumas informações pessoais e da sua rotina, como trajetos realizados com mais frequência (casa/trabalho ou casa/universidade, por exemplo). A partir daí os usuários receberão missões ao longo da semana, que deverão ir cumprindo para subir de nível no jogo. As missões estarão sempre relacionadas com deslocamento, como caminhar por dez minutos, por exemplo.

Todos os usuários do MUV em Teresina participarão automaticamente do Torneio Cidades Sustentáveis. A disputa irá de 03 de junho a 21 de julho, totalizando sete semanas. Será realizada uma rodada a cada semana, durante a qual os usuários da capital piauiense disputarão com os jogadores de uma das outras cidades participantes, que são: Amsterdam (Holanda), Barcelona (Espanha), Fundão (Portugal), Ghent (Bélgica), Helsinki (Finlândia), Palermo e Roma (Itália).

Os confrontos diretos serão disputados através da soma dos pontos de todos os usuários de cada município participante. Cada rodada contará um ponto para a cidade vencedora e, ao fim das sete semanas, aquela que tiver obtido mais vitórias será consagrada a campeã do Torneio Cidades Sustentáveis. Caso Teresina seja a grande campeã, os três melhores usuários da plataforma serão premiados.

Mas o objetivo do torneio vai além dos prêmios. A ideia é promover a conscientização sobre meios mais sustentáveis de se locomover pela cidade. “Queremos mostrar que é possível fazer uso de meios menos poluentes e que causem menos transtornos nas nossas rotas diárias. É um trabalho difícil, mas a conscientização de cada um é o começo para termos ruas com menos carros e mais pessoas”, afirma Mariana Fiúza, urbanista da Agenda Teresina 2030, departamento da SEMPLAN que trabalha com projetos visando o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. Um dos ODS é o desenvolvimento de cidades mais sustentáveis, o que inclui a mobilidade.

O aplicativo

O MUV é desenvolvido por uma organização italiana e financiado pela União Europeia por meio do Programa Horizon 2020, utilizando a estratégia de gamificação (uso da dinâmica de um jogo para engajar as pessoas) para incentivar a mobilidade sustentável. Teresina é a primeira cidade fora da Europa a ser contemplada pelo programa. “Nós observamos que o fato de Teresina ter várias ações visando a melhoria da mobilidade chamou a atenção do Programa, que também se interessa em ver como o aplicativo funcionará em um contexto diferente do europeu”, explica Mariana.

Além de estimular a mobilidade sustentável com os moradores da cidade, o MUV também permitirá a coleta de dados importantes para o município, como redução da emissão de gás carbônico, padrões de deslocamento, rotas mais utilizadas, entre outros. Estes dados serão utilizados para desenvolvimento futuro de políticas públicas para esta área.

“A gestão pública precisa aproveitar as novas tecnologias para otimizar os seus resultados. Com esse aplicativo, não só estaremos melhorando o nosso nível de informação sobre um problema que aflige todas as grandes cidades, como estaremos envolvendo a própria população na solução do problema”, defende o Secretário Municipal de Planejamento e Coordenação, José João Braga.

Prefeitura planeja desenvolver projeto de sustentabilidade na Zona Norte

A cidade de Teresina está recebendo nesta quinta (30) e sexta-feira (31) a visita de uma comitiva alemã, formada por representantes dos setores públicos e privados, que pretendem desenvolver um projeto de sustentabilidade nos bairros Jacinta Andrade e Edgar Gayoso, na Zona Norte da cidade. Depois de apresentarem a ideia para o prefeito Firmino Filho, o grupo conheceu os residenciais e conversou com os moradores para conhecer as suas demandas.

O projeto, batizado de “Coalizões urbanas para a transformação”, está sendo implantado em cinco cidades da América Latina, mais precisamente no México, na Argentina e no Brasil, onde os municípios escolhidos foram Recife e Teresina. O programa é desenvolvido por um consórcio formado pela ONG global WRI (World Resources Institute), Instituto Alemão de Desenvolvimento, Universidade das Nações Unidas e Instituto Internacional para Meio Ambiente e Desenvolvimento.

A ideia é melhorar a qualidade de vida da população residente em bairros de baixa renda, ao mesmo tempo em que promove a redução das emissões de carbono, contribuindo para o meio ambiente. Os trabalhos serão desenvolvidos pelo consórcio em parceria com a prefeitura local, que em Teresina recebeu bem a iniciativa.

“É uma experiência inovadora esse tipo de programa de desenvolvimento local, buscando o crescimento da comunidade e ao mesmo tempo com foco na sustentabilidade. Espero que haja engajamento da comunidade para que em algum tempo nós possamos dar algumas lições para a América Latina”, comentou o prefeito Firmino Filho.

“Teresina é uma cidade que já está colocando em prática alguns projetos interessantes com relação à sustentabilidade e ao desenvolvimento urbano, e temos uma necessidade de qualificar esses bairros originários do Minha Casa Minha Vida. Apostamos em Teresina também porque já temos um bom relacionamento e conhecemos o comprometimento da prefeitura em projetos desse tipo”, afirmou Henrique Evers, gerente de desenvolvimento urbano da WRI.

Após a reunião com o prefeito e secretários municipais, o grupo, acompanhado da equipe da SEMPLAN, visitou as comunidades que foram selecionadas pare receber o projeto. Além de ver as condições dos bairros, o grupo conversou com moradores para ouvir as suas principais demandas e o que eles próprios sugerem para melhorar as suas condições de vida.

“A ideia é encontrar esse ponto de conexão entre a melhora da qualidade de vida e do meio ambiente. A gente quer que esses bairros se transformem em locais bons para viver, bairros de verdade, não apenas aglomerados de casa, e queremos fazer isso alinhado com o objetivo global que é a redução das emissões”, completou Henrique.

“Com esse projeto, nós teremos participação direta da população na resolução dos seus próprios problemas, sempre mantendo o foco na sustentabilidade. A prefeitura dará todo o apoio por entender que é uma iniciativa que trará benefícios não só para os moradores desses residenciais, mas para a toda a cidade com a redução das emissões de carbono”, finalizou a secretária executiva de planejamento urbano da SEMPLAN, Jhamille Almeida.

Dia do Desafio leva grande público ao Parque Lagoas do Norte

Na noite desta quarta-feira (29), o Parque Lagoas do Norte recebeu uma série de atividades relacionadas a saúde e bem-estar. O Sesc (Serviço Social do Comércio) levou à comunidade próxima ao parque o Dia do Desafio, evento que acontece anualmente na última quarta do mês de maio, com o objetivo de reunir o maior número de pessoas em pontos específicos da cidade para realização de atividades saudáveis.

Na 25ª edição, o Dia D, como é chamado, foram disponibilizadas ao público atividades como aulas de zumba, bike in door, jump, treinamento funcional e aulas de abdominais, além de serviços de saúde como aferição de pressão, taxa de glicemia e orientações em geral. Todas as atividades e serviços tiveram acompanhamento profissional.

Fátima Oliveira, de 35 anos, é moradora do bairro São Joaquim. Ela garante que eventos como esse atraem o público ao parque e geram incentivo para que as pessoas pratiquem atividades físicas. “Hoje vim ao parque fazer caminhada e quando vi a estrutura que estava sendo montada, aproveitei e participei das atividades de dança, pedalei nas bicicletas e ainda utilizei os serviços de saúde. Ações como essa nos estimulam a fazer atividades físicas. As pessoas que veem todo esse aparato, se envolvem e vão começar a praticar”, disse a participante.

“As nossas expectativas foram superadas e o público foi muito satisfatório. O Parque Lagoas do Norte foi bem estruturado para receber o nosso trabalho. Todas as nossas atividades tiveram acompanhamento profissional para oferecer o melhor ao público. Nós sempre buscamos palcos diferentes para o evento, mas devido a demanda que tivemos no parque, nos permite pensar em repeti-lo nas próximas edições”, destacou Lara Duquesa, coordenadora do Sesc Ilhotas.

“Tivemos mais uma parceria exitosa. Um público muito bacana participando das atividades, interagindo e se divertindo. A iniciativa é superinteressante e temos a certeza que parcerias como essas devem se repetir por muitas vezes, pois oferece serviços de qualidade para a população”, concluiu Jorgenei Moraes, diretor do Parque Lagoas do Norte.