Solenidade de nova denominação de ruas acontece na próxima quarta-feira (19)

Acontece na próxima quarta-feira (19), às 20 horas, no auditório Ipê, do Centro Universitário UNINOVAFAPI, a solenidade de denominação de novas vias públicas de Teresina. Os nomes foram selecionados por meio da edição 2015 do concurso cultural Se Essa Rua Fosse Minha, realizado pela Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN).

 
Ao todo, 157 ruas da cidade receberão a nova denominação. Dentre elas, 156 são com nomes de pessoas homenageadas e uma é a Avenida Ferroviária, que receberá oficialmente esta denominação durante a solenidade do Se Essa Rua Fosse Minha.

 
“As pessoas que darãoseus nomes às ruas formam um pedaço da história da nossa cidade e homenageá-los é ver uma nova história sendo contada. É muito gratificante trabalhar com o Se Essa Rua Fosse Minha, ver a emoção dos familiares e observar uma nova Teresina nascendo, cheia de traços dos seus próprios filhos”, declara a arquiteta e urbanista Jhamille Almeida, membro da coordenação do concurso cultural Se Essa Rua Fosse Minha.

 
A solenidade de nova denominação de ruas e avenidas faz parte da programação de aniversário dos 163 anos de Teresina.

Espetáculo teatral no Lagoas do Norte anima moradores

O Parque Lagoas do Norte foi palco da peça teatral A Carroça na Lagoa, realizada pelo Grupo Xama, de São Luís. Com entrada gratuita, o espetáculo divertiu os moradores da zona Norte da capital, trazendo uma narrativa amorosa entre dois carroceiros que se conheceram no Parque Lagoas do Norte e, então, se apaixonaram.

 
A peça é interativa e tem duração de 70 minutos. “O público se divertiu muito porque ajudava a desenrolar a história, auxiliando os personagens a construírem uma carroça e terem um final feliz. Então todas as pessoas ficaram envolvidas com o enredo e se apaixonaram de verdade pelos personagens”, contou a coordenadora social do Programa Lagoas do Norte, Conceição Ferreira.

 
Após a apresentação teatral, o grupo local Zé Piqui e Eliane, que toca MPB, foi o responsável por animar o público. A seresta foi promovida pelos comerciantes dos quiosques localizados no Parque Lagoas do Norte. “Essa é mais uma prova de que o Parque Lagoas do Norte pertence aos moradores. Porque a ideia do Parque é justamente essa: estreitar o laço entre os moradores e servir de espaço para muita diversão”, avaliou o gerente do Parque Lagoas do Norte, Jorgenei Moraes.

 
A ação foi uma realização da Prefeitura de Teresina, por meio do Programa Lagoas do Norte, em parceria com o Sesc de São Luís e com o 9° Batalhão de Polícia Militar.

Polo Empresarial Sul terá ruas em homenagem aos empresários da capital

As ruas sem denominação do Polo Empresarial Sul, bairro Pedra Miúda, zona Sul de Teresina, receberão os nomes de empresários que trabalharam no local. A ação faz parte da edição 2015 do Concurso Cultural Se Essa Rua Fosse Minha, realizado pela Prefeitura de Teresina.

 
Os empresários homenageados serão Cosme Alves de Oliveira, Manoel Gomes de Lima, Mamede Arruda Bucar, Walter Alencar Filho e Antônio José de Moraes Sousa. “Esses empresários fizeram história naquele local e homenageá-los com os nomes das ruas é ver uma nova história sendo contada. É muito gratificante trabalhar com o Concurso, ver a emoção dos familiares e observar uma nova Teresina nascendo, cheia de traços dos seus próprios filhos”, declara a arquiteta e urbanista Jhamille Almeida, membro da coordenação do Concurso Cultural Se Essa Rua Fosse Minha.

 
Ao todo, 157 ruas da cidade receberão nova denominação. Dentre elas, 156 são com nomes de pessoas homenageadas e uma é a Avenida Ferroviária, que receberá oficialmente esta denominação durante a solenidade do Se Essa Rua Fosse Minha.

 
A solenidade de nova denominação de ruas e avenidas acontecerá no próximo dia 19, às 20 horas, no Auditório Ipê, do Centro Universitário UNINOVAFAPI e faz parte da programação de aniversário dos 163 anos de Teresina.

 

Governadores e Prefeitos também receberão homenagem

 
A comissão organizadora do Concurso Cultural Se Essa Rua Fosse Minha realizou uma pesquisa para constatar quais governadores do Estado e prefeitos de Teresina ainda não haviam sido homenageados com nomes de ruas da capital.

 
“São pessoas politicamente importantes e que fazem parte da história da nossa cidade. Em todas as edições do Se Essa Rua Fosse Minha, nós homenageávamos algumas personalidades. Neste ano, fizemos uma pesquisa para descobrir quais políticos não haviam sido homenageados ainda”, detalha Jhamille Almeida.

 
Um dos homenageados será Helvídio Nunes, que governou o Piauí entre 1966 e 1970. A antiga Avenida 02, do bairro Jacinta Andrade, receberá essa denominação. No mesmo bairro, a antiga Rua 07 homenageará o governador Humberto de Arêa Leão, que governou o Estado em um curto período de tempo durante a Era Vargas, de 1930 a 1931.

Estudo aponta Teresina como uma das cidades mais inteligentes do Brasil

Teresina ocupa a 35ª posição no ranking das 50 cidades mais inteligentes do Brasil. O estudo foi apresentado em São Paulo, durante o evento Connected Smart Cities, e publicado na edição de 05 de agosto da revista Exame.

 
A capital piauiense obteve 23,20 pontos, após a análise de 70 indicadores de 11 áreas da gestão pública de 700 municípios. A maior pontuação da lista foi da cidade do Rio de Janeiro (RJ), com 29,99 pontos; e a menor, Betim (MG), com 22,76. Apenas seis cidades do Nordeste figuram entre as 50 mais inteligentes do Brasil: Teresina (PI), Recife (PE), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), Salvador (BA) e Aracaju (SE).

 
As áreas analisadas no estudo foram economia, educação, empreendedorismo, energia, governança, meio ambiente, mobilidade, planejamento urbano, saúde, segurança, tecnologia e inovação.

 
As cidades brasileiras relacionadas no ranking foram destacadas como bons exemplos de cidades investindo em ganhos de inteligência no Brasil pelo uso de melhores ferramentas tecnológicas de e de informação.

 
Para a revista Exame, o presidente da consultoria Urban Systems (responsável pelo estudo), Thomaz Assumpção, declarou que as cidades inteligentes são aquelas que têm sustentabilidade econômica, promovem a qualidade de vida e preservam o meio ambiente e para isso, o caminho é passar pela capacidade de inovação.

 

Cidade de oportunidades

 

Outros estudos e pesquisas nacionais apontam Teresina como uma cidade de oportunidades. A capital do Piauí se destaca na área de educação, geração de emprego, turismo, saúde, segurança e qualidade de vida.

 
A revista Exame aponta que Teresina ocupa a 13ª posição entre as 100 melhores cidades do Brasil com população com menos de 1 milhão de habitantes para investir em imóveis. Ainda de acordo com a Exame, a capital do Piauí ocupa a 60ª posição entre as Melhores Grandes Cidades para Criar Seus Filhos no Brasil e a 73ª posição entre as Melhores Cidades para se Viver no Brasil.

 
“O Brasil possui 26 estados, mais o Distrito Federal e um total de 5.561 municípios. A boa colocação de Teresina nesses estudos, figurando sempre entre as 100 melhores cidades, revela o compromisso da administração municipal com o desenvolvimento da cidade, construindo-a para ser cada vez mais uma cidade melhor para se viver, uma cidade feita para as pessoas, ambientalmente sustentável, socialmente inclusiva e economicamente justa”, observa o secretário municipal de Planejamento e Coordenação, Washington Bonfim.

 
Segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a cidade possui o índice de 0,751 no ranking de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), sendo o primeiro município do Piauí a atingir esse nível.

 
“O IDH é um índice que serve de comparação entre as cidades, com objetivo de medir o grau de desenvolvimento econômico e a qualidade de vida oferecida à população. O índice que atingimos em Teresina, de 0,751, é considerado Desenvolvimento Humano Alto, o que reforça a ideia de que nossa capital preza pela melhoria da qualidade de vida de sua população”, explica Washington Bonfim.

 
Em educação, Teresina é a primeira entre as capitais do Nordeste cujo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) municipal superou a meta nacional, em 2013. A cidade é também referência regional no ensino superior, tendo se consolidado como cidade universitária, com 40 instituições de ensino superior.

 
A capital piauiense também é considerada um polo de saúde, possuindo 841 estabelecimentos de saúde, dentre hospitais, clínicas, consultórios, ambulatórios, laboratórios e postos de saúde. A cidade é a 3ª melhor capital do Nordeste em relação à taxa de mortalidade infantil, com 16 mortes para cada grupo de mil crianças.Já na área de segurança, a capital possui a menor taxa de homicídios dentre as capitais do Nordeste.

 

“Desde 2014, Teresina tem se destacado como uma das cidades que mais gera emprego no Brasil e, consequentemente, no Piauí. Somos a quarta capital do país na geração de emprego e a segunda do Nordeste, com 8.617 empregos criados ano passado. E vamos avançar mais nessa área. Nossa cidade recebeu, essa semana, uma nova sede de uma empresa de call center que, sozinha, vai gerar mais de cinco mil novos postos de trabalho”, completa Washington Bonfim.

 
A capital piauiense também se destaca no ramo de hotelaria. Teresina oferta 4.442 leitos e 131 auditórios para eventos.Em 2014, a cidade foi premiada com o índice Nacional da Competitividade do Turismo Nacional, pela FGV e SEBRAE, nas categorias Cidade que Mais Evoluiu em Competitividade para o Turismo, e Cidade que Mais Cresceu nos Aspectos Culturais.

 
Na área empresarial, Teresina possui leis de incentivos fiscais, com disponibilidade de áreas com infraestrutura em distritos industriais para aplicação de novos negócios. O programa de investimento do Governo Municipal para os próximos quatro anos supera R$ 1 bilhão em infraestrutura, incluindo mobilidade urbana, saneamento básico, segurança, saúde, educação, lazer, entre outros.

 
“Os resultados das pesquisas são satisfatórios e isso se dá porque Teresina é uma cidade planejada a longo prazo, com nossos planos diretores de Transporte e Mobilidade, Drenagem Urbana, Turismo, Habitação e Interesse Social, Saneamento Básico, Educação, Requalificação Urbana e Agenda 2030. Esse planejamento, ao tempo que pensa o desenvolvimento da cidade, avança no sentido de construir uma cidade para as pessoas, com qualidade nos serviços à população, geração de emprego e oportunidades de renda e melhor qualidade de vida”, avalia Washington Bonfim.

Prefeitura promove Painel de Segurança para segunda fase do Lagoas do Norte

A Prefeitura de Teresina promoverá, em setembro, um estudo denominado Painel de Segurança, uma análise técnica sobre a segunda fase do Programa Lagoas do Norte, em especial no que se refere às áreas dos diques dos rios Parnaíba e Poti, que protegem a cidade de Teresina.

 

O Painel de Segurança é um estudo independente e será composto por três especialistas nas áreas de hidráulica de barragens, hidrologia de barragens e geologia/geotécnica de barragens, de renome internacional e experiência com análise de obras financiadas pelo Banco Mundial, que, dentre outras atividades, farão nova avaliação da situação atual dos Diques Parnaíba e Poti com análise das condições geológicas do maciço de fundação da barragem, incluindo avaliação das sondagens realizadas.

 

“O objetivo desse estudo é verificar a adequação das cotas de coroamento dos diques, a situação dos maciços de terra e sua resistência a eventual inundação. O estudo irá ainda recomendar os procedimentos cabíveis em relação a locais considerados críticos, fazer indicações relativas a manutenções preventivas e inspeções rotineiras, além de estimar custos para as ações e intervenções sugeridas”, explicou Washington Bonfim, secretário municipal de Planejamento e Coordenação.

 

De acordo com o secretário, os três especialistas virão a Teresina em setembro para a realização do estudo, em cada área específica. Depois disso, eles terão um prazo de sessenta dias para elaborar o relatório final do Painel de Segurança.

 

“O relatório será apresentado numa oficina técnica, que contará com a presença dos três especialistas e representantes de todos os órgãos públicos interessados no acompanhamento do Programa Lagoas do Norte”, completou Washington Bonfim.

 

A Prefeitura de Teresina realizou um primeiro painel de segurança em 2006, quando da preparação para a primeira fase do Lagoas do Norte e agora realizará um novo estudo, preparatório para a segunda fase do Programa.

 

Durante o Painel de Segurança, serão analisadas todas as justificativas técnicas e legais das intervenções previstas para essa nova etapa do Programa Lagoas do Norte, especialmente as condições de segurança da ocupação das margens dos rios Parnaíba e Poti, com análise de documentos, visitas técnicas ao local das intervenções, e, ao final, elaboração de documento com as conclusões.

 

“O workshop para apresentação dos resultados é importante para que toda a cidade se aproprie das ações do poder público e tome parte nos rumos de nossa Teresina”, encerrou Washington Bonfim.

Agenda Teresina 2030 norteia desenvolvimento da cidade para os próximos 15 anos

Planejar o desenvolvimento de Teresina para os próximos 15 anos. Com esse objetivo, a Prefeitura Municipal lançou hoje (13) a publicação Agenda Teresina 2030: A Cidade Desejada, no Palácio da Música.

 

A Agenda Teresina 2030 está dividida em cinco eixos temáticos – Cidade Sustentável, Cidade de Oportunidades, Cidade de Direitos, Cidade Criativa e Governança Eficiente – a Agenda Teresina 2030 foi elaborada de forma participativa, em conjunto com instituições públicas municipais, estaduais e federais; empresas privadas de grande responsabilidade social; organizações do chamado Terceiro Setor; e entidades do movimento popular, sindical, classista, patronal, laboral e profissional.

 

“Estamos colocando à disposição da cidade o fruto de um trabalho participativo, uma agenda para guiar o crescimento urbano econômico e social de Teresina nos próximos 15 anos. É cada vez mais importante que as cidades possam adotar não apenas aqueles instrumentos de planejamento determinados constitucionalmente. Nós temos o orçamento, o planejamento anual, temos o PPA, mas é necessário que tenhamos uma visão de longo prazo, mais distanciada do futuro. E essa visão aponta os caminhos para que possamos chegar a esse sonho. Aqui é um momento de olhar para o futuro, ver que Teresina nós temos, que Teresina nós queremos e que trilhas nós queremos avançar nos próximos 15 anos”, disse o prefeito.

 

Para o secretário municipal de Planejamento e Coordenação, Washington Bonfim, a Agenda Teresina 2030: A Cidade Desejada une os objetivos de manter as conquistas da Agenda 2015 e de seguir construindo uma cidade para as pessoas: ambientalmente sustentável, socialmente inclusiva e economicamente justa.

 

“Teresina partiu de um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) médio, de 0,620, nos anos 2000, para a Agenda 2015. Agora, estamos partindo para a Agenda 2030 com um IDH alto, de 0,751. Teresina possui um Produto Interno Bruto (PIB) maior que os dos estados do Acre, Roraima e Amapá. Tivemos uma evolução importante em áreas como educação, saúde, assistência social e geração de emprego. Esses avanços demonstram a importância de planejar o futuro da cidade e norteiam os passos para enfrentarmos os desafios que se apresentam para os próximos 15 anos. Por isso a relevância da construção da Agenda Teresina 2030 de forma participativa: ouvir dos cidadãos seus anseios e seus desejos para a cidade; enfrentar de forma planejada e consciente os desafios; e construir coletivamente a cidade que desejamos”, ressaltou Washington Bonfim.

 

Luiz Valério Pereira, presidente da Associação de Moradores do Bairro Santa Clara (zona Sul), elogiou a qualidade da publicação, com informações detalhadas sobre o planejamento até 2030 e destacou a importância de o documento ter sido escrito a muitas mãos, representando a visão dos diversos segmentos da sociedade teresinense: “A gente vê que a Agenda Teresina 2030 traz um planejamento minucioso para a cidade, o que nos dá uma visão ampliada sobre o que precisamos fazer para alcançar o desenvolvimento que tanto queremos. É uma maneira de conhecermos e de acompanharmos bem de perto as ações do poder público. Mas o mais importante da Agenda Teresina 2030 é que ela não é um documento da Prefeitura, é um documento da cidade. Foi construída da forma correta, ouvindo o povo, que é a cidade”.

 

Segundo o representante da coordenação da Agenda Teresina 2030, Ulisses Filho, o documento será constantemente revisitado e revisado por representantes da comunidade teresinense até 2030, para o acompanhamento da implantação das ações propostas e a redefinição de prioridades.

 

“A Agenda é uma experiência exitosa, um trabalho criterioso norteado pela participação da sociedade em todo o processo. A cidade de Teresina, em suas diversas representações, elaborou a sua agenda de desenvolvimento, buscando melhorar a qualidade de vida de seus cidadãos. A sociedade também acompanhará sua implantação e revisitará o documento sempre que necessário, refazendo rotas e propondo novas soluções aos desafios. É assim, coletivamente, que construiremos a cidade desejada”, encerrou Ulisses Filho.

 

 

PMT lança manifestação de interesse para realizar estudo sobre violência

A Prefeitura de Teresina, por meio do Programa Lagoas do Norte, lançou na manhã desta quinta-feira (13), uma manifestação de interesse para selecionar empresas de consultoria que estejam interessadas em realizar um diagnóstico da situação da violência em Teresina. Dentro deste diagnóstico deverá conter um mapa da situação da violência na área de abrangência do Programa Lagoas do Norte, com foco na população juvenil.

 

Estes diagnósticos servirão posteriormente como base para o desenvolvimento do Plano Municipal de Prevenção à Violência, que está previsto para ser elaborado em 2016, e para a execução de um programa de formação em prevenção à violência.

 

“A Prefeitura de Teresina tem buscado mecanismos de combate à violência na capital. A segurança, claro, é o alicerce da sociedade e traçar um mapa da violência nos dá um direcionamento de como agir, buscando sempre o bem estar da população”, avalia o coordenador do Programa Lagoas do Norte, Erick Amorim.

 

As inscrições seguem abertas até o dia 24. As empresas interessadas deverão encaminhar à Prefeitura Municipal de Teresina documentação e informações que comprovem sua capacidade técnica, adquirida a partir da realização de trabalhos similares que já tenham realizado, indicando que possuem as habilitações necessárias para o desempenho das atividades. O diagnóstico será realizado com recursos do Banco Mundial.

 

“O Mapa da Violência é insumo essencial para elaboração e avaliação dos planos e estratégias de enfrentamento da violência,possibilitando ponderar a situação e a evolução da mortalidade violenta nos diversos locais do Brasil”, finaliza Erick Amorim.

 

Para mais informações, clique no link.

Lagoas Ambiental monitora água consumida pela população da zona Norte

O Laboratório de Águas de Teresina Dr. Klebert Passos, vinculado a Fundação Municipal de Saúde (FMS), realizou na região do bairro Nova Brasília, zona Norte da capital, uma pesquisa para o controle maior da água disponibilizada para consumo humano naquela área da cidade. A ação fez parte das atividades realizadas pelo projeto Lagoas Ambiental, desenvolvido pela Prefeitura de Teresina na área de abrangência do Programa Lagoas do Norte.

 

“Nós realizamos na região, além de ações de educação em saúde e educação ambiental, uma pesquisa com o objetivo de saber como as famílias usam a água e qual o destino da mesma. E também analisar a qualidade da água consumida”, disse Raniere Carvalho, biólogo do Laboratório de Águas da FMS.

 

Durante a pesquisa realizada no bairro Nova Brasília, a equipe do Laboratório de Águas de Teresina colheu amostras de água em quatro casas e também em dois reservatórios que abastecem o bairro, que ficam no Morro da Esperança e no Risoleta Neves. “Os reservatórios são de responsabilidade da Agespisa. Neles não verificamos alteração físico-química ou mocrobiológica, segundo a Portaria nº 2914/2011 do Ministério da Saúde. Mas a água que chega ao consumidor tem quantidade inadequada de fluoreto. Nós já notificamos o órgão responsável pelo tratamento da água para que eles possam analisar o que está acontecendo na rede de distribuição”, explicou Raniere Carvalho.

 

A água para consumo humano em Teresina é monitorada e desde o começo deste ano as amostras são analisadas no Laboratório de Águas Dr. Klebert Passos. “Agora realizamos todo o processo: coleta e análise das amostras de água. Antes o material era enviado para laboratório estadual”, disse a gerente de Vigilância Ambiental da FMS, Lina Vera Oliveira Aragão.

 

Ao todo, quatro biólogos e quatro técnicos de saneamento fazem o monitoramento de todas as formas de abastecimento de água aos quais os seres humanos têm acesso, desde a água distribuída pela Agespisa até caminhões pipas e poços. “A finalidade do laboratório é de vigilância, porque o controle da qualidade da água é feito pelas distribuidoras de água”, afirmou Lina Vera Oliveira Aragão.

 

O controle da água realizado pela concessionária de Teresina é auditado pelo laboratório da FMS. O laboratório realiza, também, inspeções sanitárias nas Estações de Tratamento de Água (ETAs), investiga situações de surtos e a sua relação com doenças de veiculação hídrica; identifica eventos que condicionam e/ou determinam situações de risco para a saúde ambiental relacionado à água de consumo humano e realiza o monitoramento ambiental para o vibrião colérico.

 
FONTE: ASCOM FMS

Agenda 2030 traça rumos para crescimento de Teresina nos próximos 15 anos

Acontece amanhã (13), às 10h, no Palácio da Música, o lançamento da publicação Agenda Teresina 2030: A Cidade Desejada. A publicação é dividida em eixos temáticos e detalha os caminhos do crescimento de Teresina para um período de 15 anos.

 

De acordo com o secretário municipal de Planejamento e Coordenação, Washington Bonfim, a Agenda Teresina 2030, em grandes linhas, une os objetivos de manter as conquistas da Agenda 2015 e seguir construindo uma cidade para as pessoas: ambientalmente sustentável, socialmente inclusiva e economicamente justa.

 

“Em 2030, teremos ultrapassado a marca de um milhão de habitantes e à agenda social que persiste, acrescenta-se para os próximos quinze anos o desafio da construção de uma cidade mais sustentável, que preserva seus rios e cursos d’água; favorece a mobilidade da população transformando seu sistema público de transporte e multiplicando os seus ‘centros’ econômicos e de serviços; e estimula a qualidade de vida através da qualificação dos seus espaços públicos de lazer, esporte e cultura”, comentou Washington Bonfim.

 

Dividida em cinco eixos temáticos – Cidade Sustentável, Cidade de Oportunidades, Cidade de Direitos, Cidade Criativa e Governança Eficiente – a Agenda Teresina 2030 foi elaborada de forma participativa, em conjunto com instituições públicas municipais, estaduais e federais; empresas privadas de grande responsabilidade social; organizações do chamado Terceiro Setor; e entidades do movimento popular, sindical, classista, patronal, laboral e profissional.

 

“A Agenda é a síntese das consultas a diversos segmentos sociais e propõe ao poder público alternativas para o futuro, a fim de que as pessoas tenham melhor qualidade de vida. Ela é uma conquista de toda a sociedade teresinense e reflete seus sonhos e desafios, projetando e norteando as transformações que devem ocorrer até 2030. Durante o percurso, ao longo desses 15 anos, representantes da comunidade teresinense acompanharão os avanços da cidade e farão revisões nesse documento, redefinindo as prioridades sempre que for necessário”, explicou Matias Matos, coordenador da Agenda Teresina 2030.

 

Conquistas da Agenda 2015

 

A Agenda Teresina 2015 foi lançada no início dos anos 2000, contemplando 17 temas relevantes para o desenvolvimento da cidade, levando-se em consideração as potencialidades e a vocação da capital e as tendências da época.

 

O documento foi um instrumento técnico-político dinâmico e um marco de referência tanto para a administração pública como para a sociedade civil no processo de desenvolvimento de Teresina, criando a possibilidade de uma permanente reflexão sobre aquilo que se quer para a cidade.

 

“Desde o lançamento da Agenda 2015, no início dos anos 2000, a cidade de Teresina produziu inúmeros avanços: consolidou um sistema de saúde pública que é referência para os municípios piauienses e dos estados do Maranhão e parte dos estados do Ceará e Tocantins; avançou na qualidade do ensino fundamental da rede pública municipal e no atendimento às crianças em idade pré-escolar; construiu uma rede de atendimento na área de assistência social, privilegiando a inclusão e a perspectiva dos direitos da população teresinense, especialmente para mulheres e jovens; e, não menos importante, construiu alternativas de atração de investimentos, diversificação do seu setor de serviços, tendo também reorganizado o centro de nossa cidade, aliando dignidade ao comércio informal e recuperação dos seus espaços públicos, o que veio a reaquecer o comércio formal. Com a Agenda 2030, revisitamos a Agenda 2015 e traçamos os rumos da cidade para os próximos 15 anos, identificando os desafios e avançando no sentido de construir uma cidade cada vez melhor”, ressaltou Washington Bonfim, secretário municipal de Planejamento e Coordenação.

Lagoas Digitais: programa de apoio a empresas de tecnologia começa hoje (11)

Nesta terça-feira (11), às 18h30, terá início o programa Acelera Cuia de Startups, que busca fomentar o surgimento de novos negócios digitais em Teresina. O evento acontecerá no prédio administrativo do Parque Lagoas do Norte.

 

O Acelera Cuia de Startups faz parte do projeto Lagoas Digitais e irá oferecer as condições e facilidades necessárias para o crescimento de novas empresas e negócios, estimulando o empreendedorismo e oferecendo apoio estratégico para empresas de base tecnológica.

 

O programa é composto por duas etapas. A primeira, de pré-aceleração, tem um mês de duração e é a etapa necessária para a definição, consolidação e validação da ideia junto ao mercado. A segunda etapa, de aceleração, é necessária para o desenvolvimento do modelo de negócios e possui três meses de duração.

 

Foram selecionadas doze startups (grupo de empreendedores do ramo de tecnologia, com empresas em estágio nascente ou com até três anos de formalização) para a primeira etapa. Dentre essas, serão escolhidas as quatro melhores para a segunda fase do programa, que se inicia em setembro.

 

“Cada startup selecionada para pré-aceleração ganhará uma bolsa de R$ 800,00. As selecionadas para aceleração poderão contar com auxílio de até três bolsas nos próximos três meses de aceleração, o que soma um aporte de R$ 7.200,00 nesta segunda etapa. Cada startup ainda contará com apoio tecnológico para o desenvolvimento da ideia, bem como com apoio logístico e de mentorias”, explica Bringel Filho, coordenador do Lagoas Digitais.

 

Bringel Filho completa dizendo que o programa é muito importante para quem está começando no ramo e deve fomentar a economia local: “Esse é o primeiro projeto de aceleração que busca apoiar novas empresas de tecnologia em Teresina. Isso vai impactar diretamente na economia ao fomentar o surgimento de novas empresas. A nossa intenção é ajudar as empresas para que elas possam amadurecer e se preparar para o mercado de trabalho”, observa.

 

O Lagoas Digitais é uma parceria das secretarias municipais de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN), através do Programa Lagoas do Norte, e de Economia Solidária de Teresina (SEMEST), com a Rede Social Solidária (RSS), a Universidade Estadual do Piauí (UESPI), o Instituto Federal do Piauí (IFPI), a Empresa Teresinense de Processamento de Dados (PRODATER), a Agência de Tecnologia da Informação do Estado do Piauí (ATI) e o Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas do Piauí (SEBRAE).