Ministro do Desenvolvimento Regional vem a Teresina conhecer obras do Lagoas do Norte

O ministro Gustavo Canuto, do Desenvolvimento Regional, vem a Teresina nesta terça-feira (07) para conhecer o Programa Lagoas do Norte, suas ações e obras em desenvolvimento. Acompanhado do prefeito Firmino Filho, do secretário de Planejamento e Coordenação, José João Braga, e do diretor do Escritório Municipal de Articulação e Representação da Prefeitura de Teresina em Brasília, Erick Amorim, o ministro visitará a obra do Residencial Parque Brasil, que está sendo construído para receber famílias que vivem em situação de risco na área de abrangência do programa.

Também está na agenda uma visita ao Parque Lagoas do Norte, que se tornou um dos principais pontos de contemplação e prática esportiva e cultural, e ao Encontro dos Rios, um dos mais visitados pontos turísticos da cidade, reformado na segunda fase do Lagoas do Norte.

O Residencial Parque Brasil é referência entre os projetos habitacionais do Minha Casa, Minha Vida, com concepção pioneira no país, e tem orçamento estimado em cerca de R$ 120 milhões. Ao todo, são 1.022 unidades habitacionais, distribuídas em 350 casas e 672 apartamentos. Cada um tem área aproximada de 48 m², com sala, cozinha, dois quartos e banheiro adaptado. Os prédios de apartamentos são formados por três pavimentos. A localização é na entrada no conjunto Parque Brasil, na Avenida Rio Poti, zona Norte da capital.

Além dessas características, o projeto do residencial conta ainda com lotes destinados à construção de pontos comerciais para aquelas famílias que já possuem atividade comercial em suas regiões de origem. Um outro aspecto que diferencia o projeto é a estrutura urbana voltada para propiciar o trânsito de ônibus dentro do residencial e estar dentro das normas e legislação em vigência em termos de acessibilidade e mobilidade urbana.

Ele será destinado às famílias que vivem atualmente em áreas de risco na região de atuação do programa. O Lagoas do Norte está propiciando visitas dessas famílias ao empreendimento, para que elas conheçam o projeto. O residencial será uma das três opções de reassentamento para essas pessoas. Cerca de 60 famílias já tiveram a oportunidade de conhecer a obra.

A visita a essas obras acontecerá na tarde desta terça (07). O desembarque do ministro Gustavo Canuto está previsto para às 15h. Do aeroporto, ele segue para a obra. Já à noite, o ministro participa do Congresso das Cidades.

COLAB e Agenda 2030 abrem consulta online sobre sustentabilidade

Ouvir a população sobre como a cidade deve enfrentar os desafios para alcançar a sustentabilidade. É esse o objetivo da consulta “Teresina 2030”, desenvolvida pela prefeitura da capital piauiense e pelo aplicativo Colab. Para poder opinar, o cidadão pode acessar a pesquisa tanto pelo próprio aplicativo quanto pelo endereço consultas.colab.re/teresina2030.

A consulta foi elaborada pela equipe da Agenda Teresina 2030, departamento da Secretaria Municipal de Planejamento responsável pela busca dos objetivos do desenvolvimento sustentável (ODS) da ONU. A pesquisa conta com apenas quatro perguntas voltadas para temas relacionados à sustentabilidade, resiliência urbana, mudanças climáticas e mobilidade.

As questões envolvem tanto o que o cidadão sugere que a prefeitura faça para enfrentar esses desafios assim como que tipo de ações o próprio morador da cidade pode adotar para contribuir com uma Teresina mais sustentável. Assim, o poder público pode entender que tipo de políticas públicas seriam mais bem recebidas pela população.

“Nós temos uma série de problemas a serem enfrentados para alcançar a sustentabilidade e é importante que o poder público atue em sintonia com a população. Essa consulta é uma forma de termos uma ideia do que as pessoas veem como medidas mais eficazes e essa informação vai ser para embasar o desenvolvimento das estratégias”, explica Gabriela Uchôa, coordenadora da Agenda Teresina 2030.

“Para planejar a cidade com eficiência é importante saber analisar o retorno que está sendo oferecido pelos moradores da cidade. Por isso, consultas como essa são importantes para a prefeitura entender como o trabalho dela está sendo recebido pela população”, afirma o secretário municipal de planejamento e coordenação.

“O Colab é uma start up que combina Gestão Pública com Tecnologia. Por meio de participação social, gestão eficiente e engajamento, o Colab entrega um canal de comunicação direto entre cidadão e poder público, e uma das principais ferramentas para isso é a de consultas públicas. A ferramenta de consultas oferece uma possibilidade para a população se engajar facilmente em processos de tomada de decisão do governo, assim aumentando a sua representatividade, e o governo também ganha ao ter a opinião da população, o que lhe confere mais legitimidade para realizar escolhas melhores aos cidadãos”, finaliza o co-fundador do Colab, Paulo Pandolfi.

Projeto social comemora cinco anos no Parque Lagoas do Norte

O Parque Lagoas do Norte vai receber no próximo sábado (04), às 18h, na administração, o aniversário de cinco anos da escola de capoeira Naginga, projeto realizado para a comunidade no parque. O evento vai contar com roda aberta, maculêlê, samba de roda, corte do bolo de aniversário e buffet liberado.

O projeto tem como objetivo auxiliar na educação de crianças, jovens e adultos, além de demonstrar a capoeira como um patrimônio cultural que deve ser preservado. Há cinco anos no parque, a escola tem ganhado visibilidade e revelado talentos, como destaca mestre Neném, coordenador da Naginga.

“Esperamos a presença e a participação da comunidade. A escola Naginga é nova, mas já somos bem vistos no cenário da capoeira no Piauí e em outros estados. Temos alunos que são destaques em competições importantes e esperamos comemorar muitos aniversários com a comunidade que faz a escola Naginga ter esse reconhecimento”, disse.

“Vai ser uma festa para comemorar um projeto que deu certo no Parque lagoas do Norte. O trabalho realizado é de grande importância na comunidade. Muitas pessoas se encontraram na capoeira, que tem melhorado a qualidade de vida e além disso, tem formado cidadãos”, concluiu Jorgenei Moraes, diretor do Parque Lagoas do Norte.

SEMPLAN realiza oficina sobre Outorga Onerosa

A Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Coordenação (SEMPLAN) organizou, na manhã desta quinta-feira (25), no auditório do Centro de Formação Odilon Nunes, uma palestra sobre outorga onerosa do direito de construir. A palestra, ministrada por uma equipe da ONG WRI, que atua em projetos de urbanismo no mundo todo, contou com a presença de arquitetos, engenheiros e corretores imobiliários que aprenderam mais sobre esse instrumento de organização do espaço urbano.

A outorga onerosa é uma cobrança feita ao empreendedor que pretende construir acima do permitido normalmente em determinado lote. Por exemplo, se em um lote é permitido construir 100m², mas o construtor pretende fazer um prédio residencial com quatro pisos de 50m², totalizando 200m², ele pagará uma contrapartida por esses 100m² adicionais. O valor arrecadado vai para um fundo municipal e é reinvestido na cidade.

“A outorga é um instrumento de gestão do desenvolvimento urbano apresentado no Estatuto das Cidades. Quando o construtor quer expandir a área de construção em um lote, precisa dar uma contrapartida que vai servir para investir na infraestrutura da cidade. Não é um imposto e nem uma taxa, pois ela depende do desejo do empreendedor de expandir a área de construção”, explica o consultor técnico da WRI e mestre em urbanismo, Gustavo Partezani.

O uso da outorga onerosa é um dos instrumentos adotados pela Prefeitura de Teresina na proposta de revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT), que está atualmente em processo de revisão. A ideia é oferecer descontos nessa outorga em regiões que o poder público considera vantajoso o adensamento da população, melhorando a organização dos espaços públicos.

“Nós queremos adotar uma estrategia adensando a cidade em áreas mais centralizadas e próximas dos corredores de transporte público. Para incentivar os empreendimentos nessas regiões, queremos oferecer descontos na outorga e orientar o mercado imobiliário de forma a favorecer esta estrategia e tornar a cidade mais atrativa para os habitantes”, explica Jhamille Almeida, secretária executiva de planejamento urbano.

“Nós precisamos repensar o nosso modelo de ocupação do solo em Teresina. Hoje, com as dificuldades de locomoção que temos, precisamos adensar, e de uma forma bem pensada. A Prefeitura está buscando a melhor maneira de fazer isso. Quando não existe o debate, como hoje teve, passa a existir uma imposição, e nenhuma sociedade aceita isso hoje em dia”, comentou o diretor pedagógico do Conselho Regional dos Corretores Imobiliários do Piauí, Inácio Guimarães.

Prefeitura encaminha LDO com previsão de mais de R$ 650 milhões para obras

A Secretaria Municipal de Planejamento e coordenação (SEMPLAN) encaminhou para a Câmara de vereadores o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias do Município para o ano de 2020. O projeto, que prevê mais de R$ 650 milhões para investimentos em obras na capital piauiense, será avaliado pelos vereadores e deve ser aprovado até o mês de julho. Algumas das principais obras estão relacionadas às áreas de drenagem, urbanismo e mobilidade.

Na área de drenagem estão previstas a aplicação de recursos nas galerias do Residencial Torquato Neto e também na zona Leste, na região do bairro São Cristóvão. Na mobilidade, a prefeitura irá investir na ampliação da Avenida Ulisses Marques, na construção da Ponte da UFPI e da segunda ponte sobre o rio Poti, na região do Poti Velho, além da continuidade dos investimentos na implantação do sistema BRT. No urbanismo, estão previstos trabalhos como a revitalização do Centro e pavimentação e requalificação de vias por toda a cidade.

O Programa Lagoas do Norte, financiado pelo Banco Mundial, também está com previsão de receber mais recursos para requalificar o entorno de quatro lagoas da região, levando mais drenagem, saneamento e qualidade de vida para a população da zona Norte da cidade. Outra fonte de financiamento para obras em Teresina é a Cooperação Andina de Fomento (CAF), banco que irá financiar obras como a Via Marginal Sul, a requalificação urbano-ambiental da Vila da Paz, a reforma do Mercado Central, implantação do Parque Floresta Fóssil, construção do Museu da Imagem e Som (MIS), entre outros.

Também serão fonte de investimentos as emendas parlamentares, que possuem previsão de R$ 874 mil para cada vereador, que podem dividir esse valor em até seis atividades, obras ou projetos, e R$ 21 milhões para o orçamento popular.

Divisão por eixos

A divisão dos recursos previstos na LDO estão divididos em cinco eixos principais, adotando metodologia utilizada pelo governo federal e pela Organização das Nações Unidas (ONU).  Estes investimentos prioritários estão divididos em Inclusão Social, Sustentabilidade Ambiental, Produtividade Econômica, Qualidade de Vida e Governança.

Entre as secretarias que mais receberão recursos, destacam-se a Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), com mais de R$ 600 milhões previstos, a Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social (SEMCASPI), com cerca de R$ 88 milhões previstos, a Fundação Municipal de Saúde (FMS), com mais de R$ 1,2 bilhão previstos, quase o dobro do que o município seria obrigado a investir pela Constituição Brasileira.

Semplan participa do II Congresso das Cidades

A Agenda Teresina 2030, departamento vinculado à Secretária Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN), participará do II Congresso das Cidades, que vai reunir diferentes atores da sociedade civil para discutir o tema: Gestão, Inovação e Desenvolvimento Humano. O evento acontece nos dias 06, 07 e 08 de maio, no Atlantic City.

O órgão da Prefeitura de Teresina terá um stand de exposição, onde será realizado um trabalho de sensibilização da sociedade para questões ambientais e desenvolvimento social e econômico, que fazem parte da frente de trabalho da Agenda Teresina 2030. No stand, haverá um pequeno espaço onde as pessoas podem discutir problemas específicos da cidade com gestores municipais e servidores da PMT, aproximado a sociedade, setor público e iniciativa privada.

Também será abordado como as mudanças de hábitos impactam um futuro mais sustentável e resiliente. Além desse espaço de exposição, a Agenda Teresina 2030 irá palestrar sobre os mesmos temas de forma mais ampla e aprofundada, com momentos de discussão com o público.

“É muito importante que as pessoas participem de eventos como esse, onde conseguimos ter contato com os temas de ponta no desenvolvimento das cidades, para que a gente possa se familiarizar com o que os municípios estão fazendo para alcançar a Agenda de desenvolvimento sustentável. A Agenda 2030 não é do poder público, é uma agenda global e da sociedade civil, e para se construir um futuro mais sustentável, é importante que em todos os momentos a sociedade civil esteja junta, debatendo e avançando para alcançar os objetivos”, destacou Flávia Maia, especialista em sustentabilidade e resiliência da Agenda Teresina 2030.

Paixão de Cristo emociona comunidades do entorno do Parque Lagoas do Norte

O prédio da administração do Parque Lagoas do Norte foi palco de uma emocionante encenação de um dos espetáculos mais tradicionais do Brasil na noite desta terça-feira (16). O grupo Ato de Teatro encenou a Paixão de Cristo, contando a história da vida de Jesus, maior símbolo do cristianismo cuja vida é celebrada no período da semana santa, até a sua morte e ressurreição.

Centenas de pessoas estiveram no local acompanhando a peça teatral, que mostrou cenas diversas da história de Jesus. Após uma abertura com narração e uma apresentação de dança, foram exibidas o batismo nas águas do rio Jordão, a peregrinação de Cristo pelo deserto enfrentando as tentações do diabo, a Santa Ceia, o caminho até o Gólgota e a crucificação.

Entre os momentos mais aplaudidos pelo público, destacam-se a emocionante atuação da atriz que interpretou Maria, chorando com o filho morto nos braços, e a ascensão de Cristo aos céus. “É um privilégio para os moradores da região poder assistir esse espetáculo e participar dessas celebrações, aproximando a população do que Cristo viveu por nós e propiciando esse momento de oração e reflexão”, contou Teresa Cristina, moradora da Vila Padre Eduardo.

O momento foi celebrado também pelo grupo Ato de Teatro, que veio do bairro Lourival Parente para fazer a encenação na Zona Norte. “É uma satisfação muito grande. Falamos de amor e agradamos qualquer vertente religiosa, e é um prazer enorme poder incluir a comunidade, as crianças, tendo até uma função educativa para elas vivenciando e aprendendo sobre nossa fé cristã”, contou a diretora do espetáculo, Marina Marques.

“É o quarto ano que trazemos essa encenação para o Parque Lagoas do Norte, tendo o prazer de incluir as comunidades vizinhas nesse momento de celebração religiosa que mexe com a grande maioria da população brasileira”, concluiu o diretor do parque, Jorgenei Morais.

Mais de mil pessoas são esperadas no Parque Lagoas do Norte para acompanhar a Paixão de Cristo

A coordenação do Parque Lagoas do Norte espera por mais de mil pessoas para acompanhar o espetáculo Paixão de Cristo, que acontece nesta terça-feira (16), às 17h, na administração do parque. A encenação será feita pelo grupo Ato de teatro, do bairro Lourival Parente.

Esta é a quarta edição da Paixão de Cristo no Parque. Sucesso em todo o Brasil, a encenação conta a história de Cristo em sua passagem na Terra, com destaque para sua morte e ressurreição. Com 80 atores, a peça tem duração de 1:30h com nove cenas em um cenário cenográfico que está sendo montado.

“Estamos convidando toda a comunidade para se fazer presente no Parque Lagoas do Norte a partir das 17h para assistir o espetáculo Paixão de Cristo. Tirando uma média dos últimos anos, nós estamos aguardando mais de mil pessoas para acompanhar a encenação da trajetória de Jesus Cristo. Toda a estrutura necessária já está sendo montada para que tudo saia como planejado e para que a população saia satisfeita mais uma vez”, destacou Jorgenei Moraes, diretor do Parque Lagoas do Norte.

Projeto piloto da tecnologia BIM é de escola com dois pavimentos

A Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN) entregou nesta sexta-feira (12), através do Núcleo BIM (NUBIM), o projeto piloto com o uso da tecnologia BIM de uma escola municipal de Ensino Fundamental em tempo integral para a Secretaria Municipal de Educação (SEMEC). O projeto consiste na construção de uma escola em terreno menor e com mais de um pavimento.

O modelo padrão da SEMEC para construção de escolas consiste na construção de apenas em um pavimento, exigindo uma maior extensão do terreno para a construção térrea. A ideia foi utilizar um terreno sem a opção de expansão de pavimento e montar toda a estrutura necessária tida como base das escolas municipais em outros pavimentos, além de buscar melhorias.

Além do novo molde, a escola está sendo preparada para receber medidas ambientais que visam uma maior sustentabilidade. Para a realização do projeto, foi levado em consideração a dinamicidade do local e a interação natural. A escola receberá estrutura para ter ventilação natural, reutilização da água, hortas verticais e uso de energia solar, promovendo uma melhor eficiência energética do prédio.

“Eu acho importante a inovação da concepção de novos prédios para os nossos alunos da rede municipal de ensino. São prédios ecologicamente bem adaptados, com conforto ambiental e funcional, deixando o ambiente mais agradável. A escola vai trabalhar com energia solar e reaproveitamento de água e isso faz parte do currículo dos alunos, em saber que estamos adaptados ao respeito ao meio ambiente. Só tenho a agradecer a todos que desenvolveram o projeto e tenho a certeza que estamos mudando o padrão para muito melhor”, destacou Kleber Montezuma, secretário municipal de Educação.

O projeto já foi entregue oficialmente à Secretaria Municipal de Educação. “Será a primeira escola municipal em pavimentos, que possibilita a construção em terrenos menores e com melhor aproveitamento. É o primeiro projeto desenvolvido com o BIM na Prefeitura que marca uma nova forma de elaboração dos projetos, que é feita em conjunto em uma única plataforma. Temos a previsão de economizar tempo e custo na realização da obra, e confirmaremos isso com a execução final do projeto”, disse Virginia Moura, Líder do Núcleo BIM na SEMPLAN.

“Recebemos o pedido da SEMEC para a criação de um novo projeto para escolas municipais. A SEMPLAN acatou o pedido e buscamos implementar no projeto as melhorias estruturais que irão impactar positivamente no aprendizado e na qualidade da educação”, concluiu o secretário municipal de Planejamento, José João Braga.

Entenda o BIM

BIM significa Building Information Modelling (Modelagem de Informação da Construção), que consiste em um sistema que inclui a modelagem inteligente do projeto em 3D, além da concentração de todas as informações de diversas áreas relacionadas à obra em um único documento, favorecendo uma melhor visualização do trabalho e um planejamento mais eficaz que reduz a execução da obra em gastos e tempo.

Programa Lagoas do Norte licita empresa para fazer estudos sobre o dique do Parnaíba

A necessidade de reestruturação do dique do Parnaíba já foi constatada por especialistas que integraram os painéis de segurança realizados pelo Programa Lagoas do Norte. Agora, o programa lançará a licitação para contratar uma empresa que ficará responsável por avaliar a atual situação da estrutura e apresentar soluções para o dique.

No último painel, ocorrido no ano passado, os especialistas comprovaram que o dique, hoje, não apresenta condições de garantir a segurança da população caso ocorra o mesmo fenômeno de cheia dos rios como no ano de 1985.  “Nós temos consciência de que o dique precisa de reparos. Estamos licitando a contratação dessa empresa e os estudos vão mostrar que tipo de intervenção precisa ser feita. A empresa deverá apresentar ao menos três propostas. A partir disso, a Prefeitura, em conjunto com a população e o Ministério Público, discutirá qual a alternativa mais eficiente para proteger as famílias de toda a zona norte da cidade”, afirma Márcia Muniz, diretora geral do Programa Lagoas do Norte.

O dique é uma obra de engenharia hidráulica que tem a finalidade de manter determinadas porções de terra secas através do represamento de águas correntes. Construído em 1974 com a finalidade de barrar as águas do rio Parnaíba, o dique foi sofrendo interferências em sua estrutura e transformou-se numa das principais avenidas de acesso a vários bairros da zona norte. O único reparo em sua estrutura ocorreu durante a enchente de 1985, em que milhares de famílias ficaram desabrigadas.

Segundo Tarcysio Ferreira, engenheiro do Lagoas do Norte, ao longo do tempo, o dique sofreu alguns tipos de intervenções, como a fundação de casas, poços e fossas, além de árvores de grande porte que cresceram na encosta (parte inclinada) do dique. “Além dessas intervenções na estrutura, houve um certo afundamento desta grande estrutura que diminuiu a cota em alguns trechos, além do assoreamento do rio. Com isso, se ocorrer um período chuvoso como foi na década de 1980, com os picos de cheias máximas nos dois rios, não se pode garantir que o dique seja eficiente para conter a água”, explica.

O edital de licitação deverá ser lançado até o fim deste mês. A empresa selecionada fará a avaliação e proporá ao menos três alternativas estruturais, determinando quais as obras e necessidades de desocupação da área em cada proposta. Essas alternativas serão discutidas pelo PLN com a população.