Programa Teresina 2030 vai investir 45 milhões de euros em ações de desenvolvimento sustentável

A Prefeitura de Teresina está desenvolvendo o Programa Teresina 2030, projeto que visa a realização de diversas ações relacionadas ao desenvolvimento sustentável nas zonas urbana e rural da capital piauiense. O investimento previsto é de 45 milhões de euros financiados com a Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD), em operação de crédito aprovada na última quarta-feira (18) no Ministério da Economia.

O investimento compreende 36 milhões de euros financiados pela AFD e 9 milhões de contrapartida da Prefeitura de Teresina.  O programa irá desenvolver uma série de intervenções visando a promoção do acesso à energia limpa, o saneamento básico, comunidades sustentáveis, eficiência e transparência na gestão pública e o combate às mudanças climáticas.

Para isso, serão realizadas várias ações, como a instalação de banheiros e fossas ecológicas na zona rural; realização de melhorias em 3 mil unidades habitacionais para famílias de baixa renda; criação de parques ambientais e melhorias nos parques já existentes e fomento à participação popular na gestão pública, entre outras.

“Teresina faz parte de um contexto onde o desenvolvimento sustentável é ainda mais importante. A cidade passou por um processo desordenado de espalhamento urbano, perdeu cobertura vegetal e a temperatura está subindo além da média global. Este programa visa combater estes problemas, melhorar a questão climática e qualidade de vida da população”, explica Flávia Maia, coordenadora da Agenda Teresina 2030, departamento da Semplan responsável pelo projeto.

Após a aprovação no Cofiex, a operação de crédito entre a Prefeitura e a AFD ainda passará pela Secretaria do Tesouro Nacional e pelo Senado Federal antes da assinatura do contrato. A previsão é que o programa comece a funcionar já em 2020.

Quatro lagoas receberão investimentos de R$ 20 milhões do Programa Lagoas do Norte

 

Uma área de quase 17 hectares entre as lagoas do Mazerine, Oleiros, Piçarreira e São Joaquim começa a ser transformada com a obra que o Programa Lagoas do Norte está iniciando. Segundo a diretora geral do Programa Lagoas do Norte, Márcia Muniz, essa é uma obra que vai proporcionar um ganho em qualidade de vida para as pessoas que moram principalmente nos bairros São Joaquim, Nova Brasília e Mafrense.

“Nossa missão é garantir moradia digna para quem ainda vive em margens de lagoas, recuperar e urbanizar essas regiões”, afirma a diretora. Na obra, serão investidos cerca de R$ 20 milhões, com financiamento do Banco Mundial.

O primeiro trecho a ser trabalhado está situado na lagoa do Mazerine, cujo projeto contempla a utilização do espaço entre a lagoa e o Terminal de Integração da Rua Rui Barbosa para a prática esportiva e o lazer da população. Nessa área, a quadra que havia no local será reconstruída, transformando-se em poliesportiva coberta. Além disso, serão construídos dois quiosques com cobertura e banheiro, tabelas de basquete, pista para caminhada, iluminação, academia e outros equipamentos.

As quatro lagoas e suas margens passarão por uma revitalização, estruturação da drenagem para evitar alagamentos, retirada do lixo, limpeza da lâmina d’água e implantação de parques lineares dotados de espaços para lazer e prática esportiva. Isso vai contribuir para a urbanização da região de forma integrada com a área já construída na primeira fase do programa, possibilitando, a preservação da fauna e da flora locais. Além disso, o projeto prevê ainda a melhoria da acessibilidade e mais segurança para a população.

“Os projetos do Lagoas do Norte têm como foco principal resolver os problemas de alagamentos nas suas áreas de abrangência, protegendo as pessoas, e devolver a essas lagoas sua capacidade de armazenamento de água”, explica Márcia Muniz.

A moradora Mayara Andrade Bezerra, que reside na rua Jim Borralho, diz o que espera da obra. “Sei tudo que vai acontecer. Já fui visitar a Lagoa do Mocambinho que o programa inaugurou agora e achei ótimo lá. Então, o que vai acontecer aqui para a nossa comunidade também é uma melhoria de vida. Minha casa vai ser afetada parcialmente, já deu tudo certo, fiz a negociação e já fui paga”, afirmou.

Minuta de revisão do Plano Diretor de Teresina é aprovada por delegados

Ascom/Semplan

O projeto de lei sobre o Plano Diretor de Ordenamento Territorial do Município (PDOT), com os ajustes levantados pelo Ministério Público e população em geral na última audiência pública, realizada em outubro, teve o texto deliberado nesta quinta-feira (28) pelos delegados responsáveis. Agora o texto segue para aprovação da Câmara Municipal.

A reunião em caráter deliberativo aconteceu no auditório da Secretaria Municipal de Finanças – SEMF, no Palácio da Cidade. Os delegados(as) do plano diretor são representantes do poder público; dos movimentos populares; trabalhadores, por suas entidades sindicais; empresários relacionados à produção e ao financiamento do desenvolvimento urbano; entidades profissionais, acadêmicas e de pesquisas e conselhos profissionais e de Organizações Não Governamentais (ONGs) com atuação na área de Desenvolvimento Urbano e Ambientais.

Além de serem interlocutores da população com a Prefeitura e atuarem na estruturação final do plano, os delegados são responsáveis pela homologação da minuta do Projeto de Lei de revisão do Novo PDOT. Eles são responsáveis pela aprovação do texto que será enviado à Câmara Municipal de Teresina – CMT.

A representante da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação – SEMDUH, Marielly Ibiapina, comentou sobre os dois anos do processo de revisão do PDOT que nesta reunião chegou a um consenso. “Tivemos as audiências públicas, discussões de categorias, reuniões abertas e participação popular. Então, foi um desenvolvimento constante, cada ponto que era falado foi considerado e analisado. Hoje finalmente a gente conseguiu alinhar tudo. Os últimos pontos que estavam pendentes da última audiência foram resolvidos. Batemos o martelo, finalmente conseguimos chegar num consenso”, disse.

“Foi um longo processo de trabalhos técnicos e discussão com a população em geral, bem como as organizações interessadas. Nós conseguimos finalmente chegar à este resultado final, que ao ser aprovado pela Câmara Municipal vai entregar nosso objetivo: uma Teresina compacta, coordenada, que funciona melhor, com mais qualidade de vida para a população”, avaliou o Secretário Municipal de Planejamento e Coordenação de Teresina, José João Braga.

O Vereador Inácio Carvalho, delegado representando a Câmara Municipal de Teresina – CMT, ressaltou a importância do Novo Plano Diretor para a efetivação de direitos fundamentais da população em Teresina. “Nossa constituição de 1988 assegura ao direito à propriedade e depois ela colocou a função social da propriedade. As leis evoluem e naquela época, em 1988, ela já previu que o estatuto das cidades viria regular determinadas situações desconfortáveis para a população, que efetivamente precisa de não estar convivendo ao lado de lixo, ao lado de rato ao lado de coisas desocupadas”, comentou o vereador.

“No início tivemos dificuldades, mas é toda uma caminhada. Eu acredito que nós chegamos a um bom resultado, com a contribuição de todos. Especialmente com a abertura que a Prefeitura deu. O CAU Piauí (Conselho de Arquitetura e Urbanismo) em momento algum, nas críticas que fez, eram coisas pessoais. É sempre no sentido de contribuir. Agradeço por terem observado nossas contribuições, dado a devida atenção à elas. Muitas delas foram incorporadas nesse novo PDOT”, comentou o Presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Piauí – CAU, Wellington Camarço, ao parabenizar os delegados pelo resultado consensual na revisão do plano diretor.

Teresina ganha destaque pela gestão fiscal

O cenário de crise econômica no Brasil tem exigido maior rigor fiscal dos estados e municípios, mas mesmo neste panorama, Teresina tem mostrado grande eficiência na gestão dos seus recursos. A capital piauiense tem os melhores resultados em educação no país, mesmo com o menor custo por aluno. A saúde é outro ponto forte na administração municipal, sendo responsável pela maior parte dos atendimentos realizados no estado.

O relatório do anuário Multicidades, organizado pela Frente Nacional dos Prefeitos, colocou Teresina em situação privilegiada em relação às demais capitais nordestinas, que compartilham as mesmas regras de distribuição de recursos e possuem características regionais semelhantes. Ela apresenta a maior receita corrente per capita entre as capitais do nordeste, totalizando R$ 3.044,17 por teresinense. O montante chega a ser maior, inclusive, que a média regional de R$ 2.2331,62. A alta nas receitas correntes permite que o poder público municipal seja mais eficaz ao lidar com as despesas de serviços para a população. Hoje, o município aplica mais de 39%  na área de saúde, enquanto a média das capitais do Nordeste é de 25%.

“Nosso trabalho é manter um equilíbrio fiscal e a gestão municipal tem feito isso: é a capital que mais investe em termo per capita entre as demais do Nordeste. Nosso objetivo é aumentar o investimento no município para melhorar a infraestrutura da cidade e a qualidade de vida dos cidadãos”, comenta  Eduardo Speeden, coordenador de execução orçamentária da Prefeitura.

Quando se fala em equilíbrio fiscal do poder executivo, a administração atua em duas frentes de trabalho: a arrecadação e as despesas. Nesse sentido, o equilíbrio entre o que se arrecada e o que se gasta, como as obras em desenvolvimento, a folha de pagamento e as dívidas públicas, pode garantir a melhor aplicação dos recursos em áreas fundamentais, como a saúde e a educação.

“Teresina recebe muitos pacientes, não só do estado, mas também de outros. Por isso, a Prefeitura desenvolve um programa de monitoramento das despesas de custeio. A gente sempre busca melhorar os processos para que os gastos sejam cada vez mais eficientes. O município investe suas receitas próprias na saúde para melhorar o serviço ofertado à população”, comenta Eduardo Speeden.

CAF envia missão a Teresina para acompanhar o Programa Teresina Sustentável

Representantes da Corporação Andina de Fomento (CAF) – banco de fomento que financia o Programa Teresina Sustentável – estão em missão na capital. O trabalho iniciou nesta quinta (17) e segue até e sexta-feira (18) para acompanhar o desenvolvimento das obras municipais. O programa investirá um total de 91 milhões de dólares em Teresina até 2022, entre recursos do banco e contrapartidas da Prefeitura.

A equipe da CAF é formada pelos executivos Diego Vettori e Paulo Rodrigues, que estão conferindo os relatórios preparados pelo programa e visitando as principais obras in loco.

“Essas missões são feitas de maneira periódica, justamente para podermos conversar com a Prefeitura e verificar tanto o planejamento quanto ao andamento dos serviços. Nossa expectativa é que o programa engrene com as obras que estão sendo iniciadas agora”, afirmou Diego Vettori.

“Esse contrato foi assinado há um ano e estamos mostrando a eles o que já está sendo feito, fruto de contrato ou licitação. Até novembro, vamos ter 74% de todas as nossas obras e projetos licitados, o que vai agilizar o desembolso para executar as ações do segundo ano do Programa”, conta o secretário executivo de Captação de Recursos e Monitoramento, Ítalo Portela.

O Programa Teresina Sustentável investe em diferentes áreas, como mobilidade e requalificação urbana e ambiental, revitalização do patrimônio histórico e cultural e modernização da gestão municipal. Obras como a implantação do Parque Floresta Fóssil, a requalificação do bairro Vila da Paz e a Avenida Marginal Via Sul, entre outras, recebem recursos do Teresina Sustentável.

Praça no Mocambinho recebe nome de morador graças ao projeto “Se essa rua fosse minha”

Entre as quase 400 inscrições recebidas na edição 2019 do projeto cultural “Se Essa Rua Fosse Minha”, um dos destaques foi a história de Valdemar Costa Júnior. Durante toda a sua vida, seu sonho era transformar o terro baldio em frente à sua casa em uma praça para a população do bairro. A praça está hoje em fase de construção e, quando inaugurada, receberá o nome do morador que tanto lutou por este benefício para a comunidade.

A responsável pela inscrição foi Marta Regina, viúva de Valdemar. Ela conta que muitos projetos foram feitos por ele e enviados à prefeitura, buscando sempre melhorias para a região. Com o “Se Essa Rua Fosse Minha”, esses esforços receberão reconhecimento onde ele sempre viveu e lutou.

“Eu senti no meu coração de que a praça ia ganhar o nome dele. Na família está todo mundo, até hoje, emocionado com tudo. Era o sonho dele arrumar o terreno para as crianças brincarem. Nunca vi esse tipo de coisa em outros estados e para a gente que perde alguém isso é algo que não dá para explicar, a importância de homenagear um ente querido”, conta Dona Marta.

O projeto

O projeto cultural “Se essa rua fosse minha” completa a sua sexta edição este ano. Nascido da necessidade administrativa de nomear as ruas da cidade, o projeto tem dado espaço para que a população participe desse processo trazendo a possibilidade de que famílias prestem uma homenagem a seus entes queridos que já partiram, mas que de alguma forma fizeram história do lugar onde viveram.

“O projeto dá identidade à cidade, facilitando que a população se identifique ainda mais com o lugar onde vive vendo seus familiares homenageados pela prefeitura”, afirma Jhamille Almeida, secretária executiva de planejamento urbano.

Em parceria com cafeteria, aplicativo MUV vai premiar usuários em desafio semanal

O aplicativo MUV está realizando um desafio semanal em parceria com o Café da Gota Serena, através da qual irá premiar os três primeiros participantes que gastarem 2.000 calorias utilizando o aplicativo. O MUV foi implantado pela Prefeitura de Teresina como uma forma de estimular a mobilidade sustentável na capital piauiense

Para participar, os usuários cadastrados precisam apenas aceitar o desafio no aplicativo e dar o play quando forem utilizar meios de transporte sustentável, como a caminhada, a bicicleta ou o transporte público. O primeiro que atingir a marca estabelecida ganhará um prato de massa e uma taça de vinho no Café Gota Serena. O segundo colocado será premiado com um exemplar da Revista Expresso (especializada em café), e o terceiro colocado receberá um cappuccino.

Estratégia de desafios

O MUV tem desafios semanais e premiações iguais aos jogos de realidade aumentada. Para isso, foram realizadas parcerias com o setor privado, como lojas de equipamentos esportivos, restaurantes e outras empresas interessadas na temática da sustentabilidade, que oferecem os mais diversos benefícios. Os usuários que adotarem os modais mais sustentáveis de deslocamento vão acumulando pontos, que serão convertidos em prêmios e descontos na vida real.

“Com os desafios, nós esperamos engajar uma parcela ainda maior da população com o MUV. Essas pessoas estarão recebendo um duplo benefício, tanto de viver em uma cidade mais sustentável, com menos carros nas ruas, e os prêmios que receberão pelas sua contribuição”, explica Mariana Fiúza, urbanista da Agenda Teresina 2030 e coordenadora do projeto.

Esse “ranking” dos usuários será criado a partir do histórico das pedaladas e caminhadas. As informações como: distância, altitude acumulada, velocidade máxima e média, batimentos cardíacos, o traçado do percurso no mapa, entre outras, serão acompanhadas através do aparelho celular e GPS.

O aplicativo

O aplicativo MUV (Mobility Urban Values, ou valores da mobilidade urbana, em tradução literal) foi desenvolvido na Itália para os desafios de sustentabilidade da União Europeia. Ele avalia os valores da mobilidade urbana com intuito de incentivar as pessoas a adotarem padrões de deslocamento mais sustentáveis e coletivos nas cidades, como utilizar mais a bicicleta; o transporte público e fazer mais caminhadas. Para a Organização das Nações Unidas, a ONU, o desenvolvimento sustentável de uma cidade como Teresina está diretamente ligado pelo padrão de deslocamento dos seus habitantes.

“A maior parte das cidades brasileiras e de outros países em desenvolvimento é muito favorável ao deslocamento através de veículos privados, ‘o carro de passeio’, que aumenta substancialmente a emissão dos gases do efeito estufa. Então o MUV é uma ação para melhorar esse quadro em um cenário de curto prazo”, finaliza Mariana Fiúza.

Comissão define nomes que serão homenageados no concurso Se essa rua fosse minha

A comissão que analisa as inscrições dos nomes sugeridos no concurso “Se essa rua fosse minha”, selecionou cerca de 250 nomes para serem homenageados em logradouros na capital. As famílias dos selecionados estão sendo informadas pela organização do concurso, formada por servidores da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN). Na próxima segunda, dia 29 de julho, às 18h, acontecem os sorteios das vias que receberão os nomes aprovados, de acordo com a região apontada na inscrição.

A comissão é formada por representantes da Prefeitura de Teresina, da Academia Piauiense de Letras, da Câmara dos Vereadores de Teresina, do IBGE, do Iphan, da Universidade Federal do Piauí e da Universidade Estadual do Piauí. Foi levada em consideração a história das pessoas que vivenciaram a cidade e contribuíram realmente para o seu desenvolvimento. A solenidade oficial de entrega das placas às famílias dos homenageados será no dia 29, no Teresina Hall.

“Nos reunimos duas vezes com a comissão para validar as inscrições. Foi um processo minucioso, pois buscamos resgatar a história de cidadãos que contribuíram verdadeiramente para o crescimento de Teresina. Estamos entrando em contato com as famílias e esperamos que compareçam ao sorteio das vias e à solenidade oficial de entrega das placas”, ressalta Jhamille Almeida, secretária executiva de Planejamento Urbano.

O concurso

Lançado anualmente pela Prefeitura de Teresina para nomear vias ainda sem nome na capital, o concurso tem como objetivo homenagear pessoas que fizeram parte da história das comunidades de Teresina em logradouros e ruas da cidade, valorizando pessoas que, muitas vezes anonimamente, contribuíram para o crescimento de determinada região.

Colônia de férias do Parque Lagoas do Norte leva alegria e diversão para a criançada

A 9° colônia de férias do Parque Lagoas do Norte iniciou com muita diversão e alegria nesta quinta-feira (18), levando diversas atividades para as mais de 300 crianças inscritas. A colônia acontece através de parceria entre a Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan) e a Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel).

Espalhadas por todo o parque com os instrutores, as crianças aproveitarem diversas brincadeiras. Bambolê, futebol, handebol de areia, teatro de bonecos, sessão de cinema ambiental, vôlei e oficinas de recreação fizeram a alegria da criançada no primeiro dia de colônia de férias, que segue até o sábado (20), acontecendo de forma simultânea com a 23º edição do Teresina em Ação, na praça dos Orixás.

Rafaela de Sousa levou a filha Nayla, de seis anos, pela primeira vez à colônia de férias. A mãe afirma que a filha estará presente nas próximas edições. “É a primeira vez que trago minha filha na colônia de férias e estou gostando muito. Eu já conhecia, mas ela ainda não tinha idade para participar. Está tudo muito bem organizado, com profissionais acompanhado as crianças e isso dá uma segurança maior para os pais. Ela pintou, brincou, se divertiu muito e tenho certeza que ela estará aqui nas próximas edições”, disse.

“Estamos vivendo esse grande momento que é a colônia de férias. Um evento que já é tradicional e que faz sucesso na comunidade. As crianças que estão aqui se divertem bastante, aproveitam todos os momentos e ficamos felizes porque vemos que a população dá retorno e confia no nosso trabalho. Gostaria também de agradecer a Semel pelo apoio, que disponibilizou equipamentos e profissionais para melhorar a nossa colônia de férias”, destacou Jorgenei Moraes, diretor do Parque Lagoas do Norte.

MUV é lançado no The Vejo na Ponte com sorteio de brindes

A equipe da Agenda Teresina 2030, departamento da Prefeitura de Teresina vinculado à SEMPLAN, participou do The Vejo na Ponte na noite deste domingo lançando o aplicativo MUV (Mobility Urban Values), que confere pontos para quem adota meios de transporte sustentáveis. Além de tirar dúvidas no stand, quem baixou o aplicativo participou de sorteios de brindes dos parceiros comerciais desta iniciativa.

Mais de uma centena de pessoas passaram pelo stand do MUV no estacionamento da ponte estaiada, tirando dúvidas, participando de jogos, conhecendo a estratégia e os objetivos do aplicativo e, claro, baixando em seus celulares. Quem fazia o download recebia um cupom para participar do sorteio de brindes, no qual um dos ganhadores foi o jovem Pedro Leal, que conheceu a iniciativa durante o evento.

“Me atraiu pelo objetivo do aplicativo ser de proteção ao meio ambiente e é muito bom, pois vai incentivando as pessoas a pontuarem e trocarem os pontos por mais prêmios”, contou Pedro, que ganhou uma cesta de produtos naturais.

“Achei muito interessante a iniciativa, uma coisa nossa, de Teresina, e que nos ajuda a monitorar o que estamos fazendo. Essa estratégia dos pontos estimula até a competição entre os amigos, de uma forma que vai ajudar o meio ambiente”, disse o fotógrafo Yago Almeida, outro frequentador do stand a baixar o aplicativo.

Este foi o lançamento oficial do MUV, apesar de o download já estar disponível para celulares Android e IoS há alguns meses, em versão beta. Para a urbanista Mariana Fiúza, o evento serviu para que mais pessoas conhecessem a iniciativa e despertassem a curiosidade para a mobilidade sustentável.

“A receptividade do público foi muito boa. Tivemos um bom movimento no nosso stand, muitas pessoas baixaram o aplicativo, tiraram dúvidas com a gente e também recebemos muitos comentários sobre essa estratégia de gamificação, que as pessoas percebem como um bom estímulo para adotarem práticas mais sustentáveis que vão contribuir com a cidade”, afirmou.

MUV

O objetivo do MUV é estimular as pessoas a se locomoverem mais a pé, de bicicleta ou transporte público, premiando quem faz uso de uma mobilidade mais sustentável. O app, que está sendo implantado na capital piauiense pela Prefeitura de Teresina, trabalhará em parceria com estabelecimentos comerciais de toda a cidade, que trocarão os pontos dos usuários por brindes, como descontos, produtos etc. O download já pode ser feito através da Apple Store ou na Play Store.

O evento

A 2ª edição do Festival The Vejo na Ponte começou neste domingo (7) e acontecerá novamente nos próximos dois fins de semana, no Complexo Turístico Ponte Estaiada, zona Leste de Teresina. São esperadas quatro mil pessoas durante cada dia do festival, de acordo com estimativas da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Semdec).

O festival, que tem como proposta ser atividade cultural nos meses de férias em Teresina, vai reunir vários nomes importantes da música local. O objetivo é valorizar os artistas da terra e oferecer alternativas de qualidade para entretenimento, gastronomia, além de levar a população de Teresina a frequentar mais os atrativos turísticos da capital.